Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Já tem candidato perdendo prazos

A resolução 23.455, de 15 de dezembro de 2015, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), rege sobre a escolha dos nomes e o registro dos candidatos nas eleições de 2016


Beto Silva
Do Diário do Grande ABC

02/08/2016 | 07:00


A resolução 23.455, de 15 de dezembro de 2015, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), rege sobre a escolha dos nomes e o registro dos candidatos nas eleições de 2016. O artigo 8 dispões sobre as convenções, realizadas de 20 de julho a 5 de agosto (sexta-feira). O parágrafo primeiro é claro: “A ata da convenção, digitada e assinada em duas vias, será encaminhada ao Juízo Eleitoral, em 24 horas após a convenção, para: I – publicação em cartório”. Ocorre que alguns candidatos têm perdido esse prazo e pode se complicar. Abre possibilidade de questionamentos de adversários. Por isso a campanha tem de ser organizada, com corpo jurídico atento. Não é fácil encarar todas as burocracias de um pleito até chegar a votação, em 2 de outubro. Coligação do candidato a prefeito de Santo André Aidan Ravin (PSB), por exemplo, realizou a convenção no sábado. Deveria, portanto, entregar o Drap (Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários) no domingo, já que os cartórios eleitorais estavam de plantão juntamente para atender aos representantes das siglas. Mas a coordenação da campanha do socialista só protocolaram ontem, segunda-feira, o documento. Será uma campanha difícil na busca por votos. E, se continuar assim, será mais complicada ainda para garantir a candidatura sem problemas jurídicos.

Verdadeira chapa pura
Assediado pelo prefeito de Ribeirão Pires e pré-candidato à reeleição pelo PMDB, Saulo Benevides, o PMB faz hoje convenção que homologará a vice-prefeita Leo da Apraespi como nome à Prefeitura. A candidata a vice de Leo será justamente sua irmã, Lair da Apraespi, também filiada no PMB. O evento está marcado para as 18h, na sede da legenda (Rua Luiz Bettega, 72, Vila Aparecida).

Apoio
Airton da Costa (PMB), conhecido em Diadema com Airton Ex-Menino de Rua, anunciou que vai apoiar a candidatura ao Paço de Diadema do vereador Vaguinho do Conselho (PRB). Presidente da sigla na cidade, ele chegou a lançar candidatura solo na eleição. Foi candidato a vereador pelo PT em 2012 (1.051 votos).

Vaias
A coligação formada por PEN, DEM e PPS em Diadema realizou neste fim de semana convenção para homologar a chapa de candidatos a vereador. Mas o evento em si ficou em segundo plano. Chamados a compor a mesa de autoridades, a ex-deputada Regina Gonçalves (PV, hoje chefe de Gabinete) e o assessor especial Cacá Viana (PSB) foram vaiados pelos presentes. A saia justa ficou evidente porque no ambiente só havia aliados do prefeito Lauro Michels (PV), candidato à reeleição.

Vai ou não vai?
Ontem o PSB de Diadema realizou sua convenção. O partido está no arco de aliados do prefeito Lauro Michels (PV) e tem o primo do chefe do Executivo, o vereador Marcos Michels, como presidente. Chamou atenção a presença do parlamentar Célio Boi (PSB). Socialista de longa data, é candidato à reeleição, mas não compactua com o governo de Lauro. Resta saber se vai pedir votos ao verde durante o pleito.

Volta da dor de cabeça
Uma questão que parecia superada na montagem da campanha do prefeito de Santo André, Carlos Grana (PT), voltou à pauta. Após praticamente encaminhar coligação proporcional que salvaria a tentativa de reeleição do vereador José de Araújo (PSD), o PT viu o PMB mudar de opinião. Presidente do PMB, José Evangelista agora fala em outra coligação, sem ter o PSD ao lado, depois que Grana anunciou a manutenção de Oswana Fameli (PMB) como vice – Evangelista queria ser ele o número dois da chapa. Com isso, voltou o debate em torno da coligação do PSD com o PT e PDT, elo esse já fechado e aprovado pela direção petista. Araújo incomoda vereadores do PT, que avaliam que, numa parceria direta, o pessedista tiraria uma cadeira da bancada do petismo. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Já tem candidato perdendo prazos

A resolução 23.455, de 15 de dezembro de 2015, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), rege sobre a escolha dos nomes e o registro dos candidatos nas eleições de 2016

Beto Silva
Do Diário do Grande ABC

02/08/2016 | 07:00


A resolução 23.455, de 15 de dezembro de 2015, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), rege sobre a escolha dos nomes e o registro dos candidatos nas eleições de 2016. O artigo 8 dispões sobre as convenções, realizadas de 20 de julho a 5 de agosto (sexta-feira). O parágrafo primeiro é claro: “A ata da convenção, digitada e assinada em duas vias, será encaminhada ao Juízo Eleitoral, em 24 horas após a convenção, para: I – publicação em cartório”. Ocorre que alguns candidatos têm perdido esse prazo e pode se complicar. Abre possibilidade de questionamentos de adversários. Por isso a campanha tem de ser organizada, com corpo jurídico atento. Não é fácil encarar todas as burocracias de um pleito até chegar a votação, em 2 de outubro. Coligação do candidato a prefeito de Santo André Aidan Ravin (PSB), por exemplo, realizou a convenção no sábado. Deveria, portanto, entregar o Drap (Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários) no domingo, já que os cartórios eleitorais estavam de plantão juntamente para atender aos representantes das siglas. Mas a coordenação da campanha do socialista só protocolaram ontem, segunda-feira, o documento. Será uma campanha difícil na busca por votos. E, se continuar assim, será mais complicada ainda para garantir a candidatura sem problemas jurídicos.

Verdadeira chapa pura
Assediado pelo prefeito de Ribeirão Pires e pré-candidato à reeleição pelo PMDB, Saulo Benevides, o PMB faz hoje convenção que homologará a vice-prefeita Leo da Apraespi como nome à Prefeitura. A candidata a vice de Leo será justamente sua irmã, Lair da Apraespi, também filiada no PMB. O evento está marcado para as 18h, na sede da legenda (Rua Luiz Bettega, 72, Vila Aparecida).

Apoio
Airton da Costa (PMB), conhecido em Diadema com Airton Ex-Menino de Rua, anunciou que vai apoiar a candidatura ao Paço de Diadema do vereador Vaguinho do Conselho (PRB). Presidente da sigla na cidade, ele chegou a lançar candidatura solo na eleição. Foi candidato a vereador pelo PT em 2012 (1.051 votos).

Vaias
A coligação formada por PEN, DEM e PPS em Diadema realizou neste fim de semana convenção para homologar a chapa de candidatos a vereador. Mas o evento em si ficou em segundo plano. Chamados a compor a mesa de autoridades, a ex-deputada Regina Gonçalves (PV, hoje chefe de Gabinete) e o assessor especial Cacá Viana (PSB) foram vaiados pelos presentes. A saia justa ficou evidente porque no ambiente só havia aliados do prefeito Lauro Michels (PV), candidato à reeleição.

Vai ou não vai?
Ontem o PSB de Diadema realizou sua convenção. O partido está no arco de aliados do prefeito Lauro Michels (PV) e tem o primo do chefe do Executivo, o vereador Marcos Michels, como presidente. Chamou atenção a presença do parlamentar Célio Boi (PSB). Socialista de longa data, é candidato à reeleição, mas não compactua com o governo de Lauro. Resta saber se vai pedir votos ao verde durante o pleito.

Volta da dor de cabeça
Uma questão que parecia superada na montagem da campanha do prefeito de Santo André, Carlos Grana (PT), voltou à pauta. Após praticamente encaminhar coligação proporcional que salvaria a tentativa de reeleição do vereador José de Araújo (PSD), o PT viu o PMB mudar de opinião. Presidente do PMB, José Evangelista agora fala em outra coligação, sem ter o PSD ao lado, depois que Grana anunciou a manutenção de Oswana Fameli (PMB) como vice – Evangelista queria ser ele o número dois da chapa. Com isso, voltou o debate em torno da coligação do PSD com o PT e PDT, elo esse já fechado e aprovado pela direção petista. Araújo incomoda vereadores do PT, que avaliam que, numa parceria direta, o pessedista tiraria uma cadeira da bancada do petismo. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;