Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Inglaterra pode exigir visto de brasileiros



28/08/2008 | 07:01


O governo britânico pretende impor aos brasileiros a necessidade de visto de entrada, a partir do próximo ano, e admite até criar um constrangimento diplomático para que isso ocorra. O primeiro passo foi dado há dois meses, quando o Brasil foi colocado, sem nenhuma negociação prévia, em uma lista de países ‘suspeitos' - pelo alto índice de imigrantes ilegais ou de outros crimes -, ao lado de Bolívia, Malásia, África do Sul, Botsuana, Namíbia, Venezuela, Trinidad e Tobago, Lesoto, Suazilândia e Ilhas Maurício. Todos têm até o fim do ano para provar que aceitam uma política mais rígida de fiscalização de quem desobedece às leis da imigração.

Mas agora se sabe que, no dia 3 de julho, em carta entregue pessoalmente pelo embaixador Peter Collecott aos ministros Celso Amorim (Itamaraty) e Tarso Genro (Justiça), o governo britânico explicita a ameaça: "A menos que trabalhemos juntos nos próximos seis meses, não teremos outra opção a não ser introduzir um regime de vistos para o Brasil".

Para que a "política seja eficaz", o Reino Unido exige que o Brasil aceite "mecanismos de mitigação", como colocar um policial britânico na imigração do aeroporto de Guarulhos.

Esse "oficial de ligação internacional" daria treinamento às companhias aéreas sobre passaporte e identificação de fraudes.

Exige-se também que as agências de turismo entrevistem os clientes e não vendam passagens a quem apresentar indícios de que não seja um "visitante genuíno" - empresário, turista ou estudante.

Em junho, o governo britânico chegou a pensar em estabelecer visto para brasileiros. "Mas interesses econômicos da Inglaterra prevaleceram e, temendo receber reciprocidade e dificuldades para entrar no Brasil, o governo inglês optou por debater o assunto antes com as autoridades de Brasília", explicou um funcionário do governo britânico.

Brasil e Reino Unido assinaram em 1998 o acordo de isenção de visto, permitindo que o visitante fique até 90 dias no país, prorrogáveis pelo mesmo tempo, a critério da autoridade britânica. Só é exigido visto para quem vai fixar residência para estudar e trabalhar.

Na carta assinada pelos ministros das Relações Exteriores, David Miliband, e do Interior, Jacqui Smith, o governo britânico diz que "está preocupado com o número de brasileiros que permanecem além do permitido e/ou trabalham ilegalmente no Reino Unido".

Por causa desse diagnóstico, dentro de uma política que analisa países segundo critérios como imigração, criminalidade, terrorismo e outros riscos de deslocamento, Londres incluiu o Brasil em um "estágio probatório" de seis meses, o Visa Waiver Test.

O documento britânico começa com uma redação cordial, segue em tom ameaçador e termina com uma espécie de notícia tranqüilizadora e inevitável. "Ao fim do prazo de seis meses, se o governo inglês decidir introduzir um regime de vistos (no Brasil), asseguraremos o fornecimento de serviços consulares rápidos e eficientes aos brasileiros que tenham intenção genuína de visitar, estudar ou trabalhar no Reino Unido de forma legítima", diz o relatório.

Tarso Genro, Amorim e o subsecretário-geral das Comunidades Brasileiras no Exterior, embaixador Oto Agripino Maia, receberam o documento das mãos do embaixador Collecott em julho. A carta afirma que devem existir 150 mil brasileiros ilegais na Grã-Bretanha. Em 2006, segundo o Itamaraty, 5.000 brasileiros foram impedidos de entrar no Reino Unido.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Inglaterra pode exigir visto de brasileiros


28/08/2008 | 07:01


O governo britânico pretende impor aos brasileiros a necessidade de visto de entrada, a partir do próximo ano, e admite até criar um constrangimento diplomático para que isso ocorra. O primeiro passo foi dado há dois meses, quando o Brasil foi colocado, sem nenhuma negociação prévia, em uma lista de países ‘suspeitos' - pelo alto índice de imigrantes ilegais ou de outros crimes -, ao lado de Bolívia, Malásia, África do Sul, Botsuana, Namíbia, Venezuela, Trinidad e Tobago, Lesoto, Suazilândia e Ilhas Maurício. Todos têm até o fim do ano para provar que aceitam uma política mais rígida de fiscalização de quem desobedece às leis da imigração.

Mas agora se sabe que, no dia 3 de julho, em carta entregue pessoalmente pelo embaixador Peter Collecott aos ministros Celso Amorim (Itamaraty) e Tarso Genro (Justiça), o governo britânico explicita a ameaça: "A menos que trabalhemos juntos nos próximos seis meses, não teremos outra opção a não ser introduzir um regime de vistos para o Brasil".

Para que a "política seja eficaz", o Reino Unido exige que o Brasil aceite "mecanismos de mitigação", como colocar um policial britânico na imigração do aeroporto de Guarulhos.

Esse "oficial de ligação internacional" daria treinamento às companhias aéreas sobre passaporte e identificação de fraudes.

Exige-se também que as agências de turismo entrevistem os clientes e não vendam passagens a quem apresentar indícios de que não seja um "visitante genuíno" - empresário, turista ou estudante.

Em junho, o governo britânico chegou a pensar em estabelecer visto para brasileiros. "Mas interesses econômicos da Inglaterra prevaleceram e, temendo receber reciprocidade e dificuldades para entrar no Brasil, o governo inglês optou por debater o assunto antes com as autoridades de Brasília", explicou um funcionário do governo britânico.

Brasil e Reino Unido assinaram em 1998 o acordo de isenção de visto, permitindo que o visitante fique até 90 dias no país, prorrogáveis pelo mesmo tempo, a critério da autoridade britânica. Só é exigido visto para quem vai fixar residência para estudar e trabalhar.

Na carta assinada pelos ministros das Relações Exteriores, David Miliband, e do Interior, Jacqui Smith, o governo britânico diz que "está preocupado com o número de brasileiros que permanecem além do permitido e/ou trabalham ilegalmente no Reino Unido".

Por causa desse diagnóstico, dentro de uma política que analisa países segundo critérios como imigração, criminalidade, terrorismo e outros riscos de deslocamento, Londres incluiu o Brasil em um "estágio probatório" de seis meses, o Visa Waiver Test.

O documento britânico começa com uma redação cordial, segue em tom ameaçador e termina com uma espécie de notícia tranqüilizadora e inevitável. "Ao fim do prazo de seis meses, se o governo inglês decidir introduzir um regime de vistos (no Brasil), asseguraremos o fornecimento de serviços consulares rápidos e eficientes aos brasileiros que tenham intenção genuína de visitar, estudar ou trabalhar no Reino Unido de forma legítima", diz o relatório.

Tarso Genro, Amorim e o subsecretário-geral das Comunidades Brasileiras no Exterior, embaixador Oto Agripino Maia, receberam o documento das mãos do embaixador Collecott em julho. A carta afirma que devem existir 150 mil brasileiros ilegais na Grã-Bretanha. Em 2006, segundo o Itamaraty, 5.000 brasileiros foram impedidos de entrar no Reino Unido.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;