Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Em discurso para refugiados, Bolsonaro volta a criticar situação da Argentina



16/01/2020 | 19:43


O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a situação da Argentina durante discurso sobre a situação de refugiados venezuelanos no Brasil. Ele afirmou que o Chile caminha para a mesma direção dos argentinos, que elegeram o peronista Alberto Fernández como presidente no ano passado, e que o Brasil não pode fazer o mesmo. "Nós não podemos deixar o Brasil chegar na situação que a Argentina está", declarou Bolsonaro.

Apesar das críticas, Bolsonaro falou, no mesmo discurso, que "não temos uma briga com a Argentina" e que é possível haver amizades na política internacional.

Bolsonaro também falou que acredita que um oposicionista pode suceder o seu aliado, Sebastian Piñera, no comando do Chile. Piñera passou por dois meses de protestos contra o seu governo no final do ano passado e sua popularidade chegou a 10%. "Um grande e próspero país como o Chile está caminhando para o caos e socialismo", criticou o presidente brasileiro.

Mais cedo, durante uma transmissão ao vivo em redes sociais, Bolsonaro disse que a Argentina tornou-se um "refúgio desse tipo de gente, socialista, que não quer o futuro do seu país, que quer que se exploda seu povo, que usa seu povo como massa de manobra para atingir seu objetivo que é o poder absoluto". O presidente se referia à acolhida oferecida pelos argentinos para o ex-presidente da Bolívia Evo Morales.

Nas duas ocasiões, Bolsonaro reforçou que os Estados Unidos optaram por apoiar o Brasil no processo de entrada do País na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A nova posição americana escanteou a Argentina, antes favorita sobre o Brasil para o ingresso na OCDE.

"A gente torce para que a Argentina dê certo, mas a gente sabe que pelo quadro político que está lá vão ter dificuldades. Fizeram a opção em eleger quem os colocou na situação de desgraça em que se encontram", disse Bolsonaro sobre o vizinho que é um dos maiores parceiros comerciais do Brasil.

As falas do presidente da República foram feitas em frente a crianças venezuelanas beneficiadas pela Operação Acolhida, ação humanitária das Forças Armadas que acolhe imigrantes venezuelanos nas cidades de Paracaima (RO) e Boa Vista.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em discurso para refugiados, Bolsonaro volta a criticar situação da Argentina


16/01/2020 | 19:43


O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a situação da Argentina durante discurso sobre a situação de refugiados venezuelanos no Brasil. Ele afirmou que o Chile caminha para a mesma direção dos argentinos, que elegeram o peronista Alberto Fernández como presidente no ano passado, e que o Brasil não pode fazer o mesmo. "Nós não podemos deixar o Brasil chegar na situação que a Argentina está", declarou Bolsonaro.

Apesar das críticas, Bolsonaro falou, no mesmo discurso, que "não temos uma briga com a Argentina" e que é possível haver amizades na política internacional.

Bolsonaro também falou que acredita que um oposicionista pode suceder o seu aliado, Sebastian Piñera, no comando do Chile. Piñera passou por dois meses de protestos contra o seu governo no final do ano passado e sua popularidade chegou a 10%. "Um grande e próspero país como o Chile está caminhando para o caos e socialismo", criticou o presidente brasileiro.

Mais cedo, durante uma transmissão ao vivo em redes sociais, Bolsonaro disse que a Argentina tornou-se um "refúgio desse tipo de gente, socialista, que não quer o futuro do seu país, que quer que se exploda seu povo, que usa seu povo como massa de manobra para atingir seu objetivo que é o poder absoluto". O presidente se referia à acolhida oferecida pelos argentinos para o ex-presidente da Bolívia Evo Morales.

Nas duas ocasiões, Bolsonaro reforçou que os Estados Unidos optaram por apoiar o Brasil no processo de entrada do País na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A nova posição americana escanteou a Argentina, antes favorita sobre o Brasil para o ingresso na OCDE.

"A gente torce para que a Argentina dê certo, mas a gente sabe que pelo quadro político que está lá vão ter dificuldades. Fizeram a opção em eleger quem os colocou na situação de desgraça em que se encontram", disse Bolsonaro sobre o vizinho que é um dos maiores parceiros comerciais do Brasil.

As falas do presidente da República foram feitas em frente a crianças venezuelanas beneficiadas pela Operação Acolhida, ação humanitária das Forças Armadas que acolhe imigrantes venezuelanos nas cidades de Paracaima (RO) e Boa Vista.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;