Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Sinfônica andreense encerra temporada


Gislaine Gutierre
Do Diário do Grande ABC

30/11/2004 | 11:09


A Orquestra Sinfônica de Santo André faz nesta terça, às 21h, seu primeiro concerto no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo. O grupo regido por Flavio Florence executa o mesmo programa com o qual empolgou o público que lotou o Teatro Municipal de Santo André no último sábado.

O palco estará lotado. Além dos 80 músicos da orquestra, haverá 50 componentes do Coral Sinfônico Coreano, mais os solistas Davi Graton (violino), Sylvia Klein (soprano), Marcos Liesenberg (tenor) e Daniel Lee (barítono).

O programa começa com as Árias Ciganas para Violino e Orquestra, Op. 20, de Pablo de Sarasate (1844-1908), Introdução e Rondó Caprichoso para Violino e Orquestra Op. 28, de Saint-Saëns (1835-1921) e As Alegres Travessuras de Till Eulenspiegel, de Richard Strauss (1864-1949).

Após o intervalo, entra o Coral Sinfônico Coreano para acompanhar a sinfônica na Missa Solene de Santa Cecília, de Charles Gounod (1818-1893).

No concerto em Santo André, a orquestra agradou ao público de saída. Mais especificamente o violinista Davi Graton, dono dos aplausos mais calorosos da noite. "A música que ele toca impressiona muito. Ele foi brilhante, além de ser uma figura muito simpática", afirma Florence. No geral, o concerto foi bem aceito pela platéia.

Mas nem por isso a orquestra relaxou. Nesta segunda, Florence assumiu a batuta em mais um ensaio, no qual o grupo repassou todo o repertório que será executado nesta terça. Horas antes do concerto, os músicos da sinfônica ainda farão um último ensaio, para conhecer melhor e se adaptar à acústica do local.

Segundo Florence, este é um dos melhores programas do ano, pela diversidade e qualidade das peças selecionadas. Mais um exemplo de que, a despeito do pífio orçamento anual de R$ 10 mil, a sinfônica continua fazendo bonito.

Além de "exportar" o trabalho da orquestra e o nome da cidade a São Paulo, Florence ainda levou seu prestígio a Porto Alegre, onde regeu no início do mês a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, uma das mais tradicionais da capital gaúcha.

Em janeiro, ele comandará pela primeira vez a Orquestra Guido Cantelli, na Sala Verdi, em Milão, na Itália. Levará uma obra do brasileiro Radamés Gnatalli e peças de Sarasate e Britten, entre outros.

Orquestra Sinfônica de Santo André - Concerto com participação do Coral Sinfônico Coreano. Regência de Flavio Florence. Nesta terça, às 21h. No Teatro Sérgio Cardoso - r. Rui Barbosa, 153, São Paulo. Tel.: 288-0136. Entrada franca.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sinfônica andreense encerra temporada

Gislaine Gutierre
Do Diário do Grande ABC

30/11/2004 | 11:09


A Orquestra Sinfônica de Santo André faz nesta terça, às 21h, seu primeiro concerto no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo. O grupo regido por Flavio Florence executa o mesmo programa com o qual empolgou o público que lotou o Teatro Municipal de Santo André no último sábado.

O palco estará lotado. Além dos 80 músicos da orquestra, haverá 50 componentes do Coral Sinfônico Coreano, mais os solistas Davi Graton (violino), Sylvia Klein (soprano), Marcos Liesenberg (tenor) e Daniel Lee (barítono).

O programa começa com as Árias Ciganas para Violino e Orquestra, Op. 20, de Pablo de Sarasate (1844-1908), Introdução e Rondó Caprichoso para Violino e Orquestra Op. 28, de Saint-Saëns (1835-1921) e As Alegres Travessuras de Till Eulenspiegel, de Richard Strauss (1864-1949).

Após o intervalo, entra o Coral Sinfônico Coreano para acompanhar a sinfônica na Missa Solene de Santa Cecília, de Charles Gounod (1818-1893).

No concerto em Santo André, a orquestra agradou ao público de saída. Mais especificamente o violinista Davi Graton, dono dos aplausos mais calorosos da noite. "A música que ele toca impressiona muito. Ele foi brilhante, além de ser uma figura muito simpática", afirma Florence. No geral, o concerto foi bem aceito pela platéia.

Mas nem por isso a orquestra relaxou. Nesta segunda, Florence assumiu a batuta em mais um ensaio, no qual o grupo repassou todo o repertório que será executado nesta terça. Horas antes do concerto, os músicos da sinfônica ainda farão um último ensaio, para conhecer melhor e se adaptar à acústica do local.

Segundo Florence, este é um dos melhores programas do ano, pela diversidade e qualidade das peças selecionadas. Mais um exemplo de que, a despeito do pífio orçamento anual de R$ 10 mil, a sinfônica continua fazendo bonito.

Além de "exportar" o trabalho da orquestra e o nome da cidade a São Paulo, Florence ainda levou seu prestígio a Porto Alegre, onde regeu no início do mês a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, uma das mais tradicionais da capital gaúcha.

Em janeiro, ele comandará pela primeira vez a Orquestra Guido Cantelli, na Sala Verdi, em Milão, na Itália. Levará uma obra do brasileiro Radamés Gnatalli e peças de Sarasate e Britten, entre outros.

Orquestra Sinfônica de Santo André - Concerto com participação do Coral Sinfônico Coreano. Regência de Flavio Florence. Nesta terça, às 21h. No Teatro Sérgio Cardoso - r. Rui Barbosa, 153, São Paulo. Tel.: 288-0136. Entrada franca.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;