Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Industrial só terá câmeras em 2008


Rodrigo Cipriano
Do Diário do Grande ABC

16/11/2007 | 07:00


A Prefeitura de Santo André vai adiar para o ano que vem a instalação do sistema de monitoramento por câmeras nas avenidas Industrial e Dom Pedro II e redondezas, no bairro Campestre. A previsão inicial era de colocar as câmeras em funcionamento até dezembro. Essa data deve ser prorrogada em, pelo menos, dois meses.

O atraso se deve à demora na abertura da licitação para compra dos equipamentos. Segundo a Assessoria de Políticas de Prevenção à Violência Urbana, o edital para concorrência só foi concluído agora – três meses após o anúncio do projeto – e deverá ser publicado na próxima semana.

Dificilmente, a empresa vencedora do processo será conhecida em menos de 90 dias – prazo padrão para conclusão de uma licitação sem entraves judiciais, como questionamentos de empresas não-vencedoras, que podem atrasar o processo.

A demora para a abertura da licitação se deve, segundo a administração, à dificuldade na redação do edital causada pelo grande número de detalhes exigidos para a instalação das câmeras.

EQUIPAMENTOS

Pelo projeto, os equipamentos devem ter capacidade para girar 360 graus em torno do eixo e captar imagens aproximadas a uma distância de 400 metros. O zoom permitirá a identificação de pessoas e objetos dentro do raio de cobertura.

As câmeras serão blindadas e instaladas a uma altura de 15 metros, para evitar depredação.

Os pontos exatos onde serão instaladas ainda não foram definidos. Dependem, segundo a Prefeitura, de análise atualizada dos corredores.

Serão 11 equipamentos. As imagens captadas serão repassadas para uma central de monitoramento.

PROSTITUIÇÃO

O objetivo da Prefeitura é acabar com a criminalidade na Industrial e redondezas. Está prevista ainda a instalação de uma base da Guarda Municipal. A administração considera que a prostituição seja responsável por parte dos índices de criminalidade naquela região.

Prostitutas e travestis que trabalham na região dizem que as câmeras vão inibir a clientela e que, provavelmente, terão de migrar para outras regiões.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Industrial só terá câmeras em 2008

Rodrigo Cipriano
Do Diário do Grande ABC

16/11/2007 | 07:00


A Prefeitura de Santo André vai adiar para o ano que vem a instalação do sistema de monitoramento por câmeras nas avenidas Industrial e Dom Pedro II e redondezas, no bairro Campestre. A previsão inicial era de colocar as câmeras em funcionamento até dezembro. Essa data deve ser prorrogada em, pelo menos, dois meses.

O atraso se deve à demora na abertura da licitação para compra dos equipamentos. Segundo a Assessoria de Políticas de Prevenção à Violência Urbana, o edital para concorrência só foi concluído agora – três meses após o anúncio do projeto – e deverá ser publicado na próxima semana.

Dificilmente, a empresa vencedora do processo será conhecida em menos de 90 dias – prazo padrão para conclusão de uma licitação sem entraves judiciais, como questionamentos de empresas não-vencedoras, que podem atrasar o processo.

A demora para a abertura da licitação se deve, segundo a administração, à dificuldade na redação do edital causada pelo grande número de detalhes exigidos para a instalação das câmeras.

EQUIPAMENTOS

Pelo projeto, os equipamentos devem ter capacidade para girar 360 graus em torno do eixo e captar imagens aproximadas a uma distância de 400 metros. O zoom permitirá a identificação de pessoas e objetos dentro do raio de cobertura.

As câmeras serão blindadas e instaladas a uma altura de 15 metros, para evitar depredação.

Os pontos exatos onde serão instaladas ainda não foram definidos. Dependem, segundo a Prefeitura, de análise atualizada dos corredores.

Serão 11 equipamentos. As imagens captadas serão repassadas para uma central de monitoramento.

PROSTITUIÇÃO

O objetivo da Prefeitura é acabar com a criminalidade na Industrial e redondezas. Está prevista ainda a instalação de uma base da Guarda Municipal. A administração considera que a prostituição seja responsável por parte dos índices de criminalidade naquela região.

Prostitutas e travestis que trabalham na região dizem que as câmeras vão inibir a clientela e que, provavelmente, terão de migrar para outras regiões.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;