Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Câmara aprova 199 projetos; 45% são de nomes de ruas


Sérgio Vieira
Do Diário do Grande ABC

29/12/2007 | 07:08


A Câmara de Mauá terminou 2007 com 199 projetos aprovados durante as sessões. Deste total, 116 foram de autoria de vereadores e 83 do Poder Executivo.

Os parlamentares perderam boa parte do ano discutindo e aprovando propostas de um único tema: denominações de ruas. Foram 90 projetos deste tipo, o que corresponde a 45% de tudo que foi aprovado em 2007.

Entre as proposituras que tinham como objetivo apenas nominar ou mudar os nomes de ruas no município, 14 foram feitas pelo governo Leonel Damo (PV) e 76 vieram das mãos dos parlamentares.

O campeão foi o vereador Ozelito José Benedito (PSB), com 14 propostas para este fim.

O presidente da Câmara, Alberto Betão Pereira Justibno (PSB), ficou logo atrás, com 13 projetos de denominações de ruas ou vielas.

Para Manoel Lopes (DEM) – que dos oito projetos aprovados, todos tinham como objetivo denominar ruas de Mauá –, estas propostas ajudaram a aumentar a auto-estima da população.

“Em Mauá, nós tinhamos muitos bairros com a mesma denominação, como rua 1 ou rua A, por exemplo. Isso confundia demais a população”, justifica o democrata. “Sem endereço para citar, a pessoa não sente digna. Dessa forma, ela passa a ter um CEP e orgulho com seu novo endereço.”

ÍNDICE BAIXO

Ainda assim, o vereador considera baixo o número de projetos aprovados com este objetivo. “É como se cada um dos 17 vereadores tivesse apresentado cinco propostas. Se for analisar bem, não é muito”, pondera.

“O governo já deveria ter mandado um projeto que denominasse todas as ruas do município. Não sei porque isso ainda não foi feito”, critica o parlamentar, que faz parte da base aliada de Leonel Damo na Câmara.

Apesar de achar que essa é uma das funções dos parlamentares, Manoel Lopes reclama das limitações dos projetos originários do Legislativo.

“Muitas coisas que queremos fazer somos impedidos por conta da lei. O vereador pode fazer muito pouco. Aquele que promete asfaltar um rua ou construir um posto de saúde, pode chamá-lo de mentiroso”, diz o vereador do DEM.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Câmara aprova 199 projetos; 45% são de nomes de ruas

Sérgio Vieira
Do Diário do Grande ABC

29/12/2007 | 07:08


A Câmara de Mauá terminou 2007 com 199 projetos aprovados durante as sessões. Deste total, 116 foram de autoria de vereadores e 83 do Poder Executivo.

Os parlamentares perderam boa parte do ano discutindo e aprovando propostas de um único tema: denominações de ruas. Foram 90 projetos deste tipo, o que corresponde a 45% de tudo que foi aprovado em 2007.

Entre as proposituras que tinham como objetivo apenas nominar ou mudar os nomes de ruas no município, 14 foram feitas pelo governo Leonel Damo (PV) e 76 vieram das mãos dos parlamentares.

O campeão foi o vereador Ozelito José Benedito (PSB), com 14 propostas para este fim.

O presidente da Câmara, Alberto Betão Pereira Justibno (PSB), ficou logo atrás, com 13 projetos de denominações de ruas ou vielas.

Para Manoel Lopes (DEM) – que dos oito projetos aprovados, todos tinham como objetivo denominar ruas de Mauá –, estas propostas ajudaram a aumentar a auto-estima da população.

“Em Mauá, nós tinhamos muitos bairros com a mesma denominação, como rua 1 ou rua A, por exemplo. Isso confundia demais a população”, justifica o democrata. “Sem endereço para citar, a pessoa não sente digna. Dessa forma, ela passa a ter um CEP e orgulho com seu novo endereço.”

ÍNDICE BAIXO

Ainda assim, o vereador considera baixo o número de projetos aprovados com este objetivo. “É como se cada um dos 17 vereadores tivesse apresentado cinco propostas. Se for analisar bem, não é muito”, pondera.

“O governo já deveria ter mandado um projeto que denominasse todas as ruas do município. Não sei porque isso ainda não foi feito”, critica o parlamentar, que faz parte da base aliada de Leonel Damo na Câmara.

Apesar de achar que essa é uma das funções dos parlamentares, Manoel Lopes reclama das limitações dos projetos originários do Legislativo.

“Muitas coisas que queremos fazer somos impedidos por conta da lei. O vereador pode fazer muito pouco. Aquele que promete asfaltar um rua ou construir um posto de saúde, pode chamá-lo de mentiroso”, diz o vereador do DEM.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;