Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Central do Rock reúne 3 mil em parque de Santo André


Everaldo Fioravante
Do Diário do Grande ABC

23/05/2005 | 07:54


As nuvens negras no céu não impediram que a nuvem negra se formasse em solo firme. Metaleiros devidamente trajados de preto, mesmo com chuva e frio, compareceram aos shows de rock promovidos domingo à tarde no Parque Central, em Santo André, na inauguração do projeto Central do Rock. As bandas Montanha, do Grande ABC, Claustrofobia e Krisium, ambas de São Paulo, atraíram ao local em torno de 3 mil pessoas, estimativa tanto da organização do evento quanto da Guarda Civil Municipal. Vozes macabras, guitarras distorcidas e baterias sendo massacradas deram o tom.

Em show de metaleiro, algumas coisas não faltam: cabeças balançando de um lado para o outro, honrando a dança típica dos metaleiros; certa bebedeira por parte do público; muita agitação, entusiasmo que em alguns casos é até exagerado; e uns focos de briga. Em espetáculos grandes, como foi o Central do Rock, essa união de fatores por vezes chega a ser explosiva. No entanto, em Santo André, tudo transcorreu em paz.

Os princípios de briga não evoluíram, logo se desfizeram com a intervenção dos guardas. O esquema de segurança também deu conta de segurar os fãs que insistiam em tentar avançar a barreira de proteção que separava o público do palco. No final das contas, todo mundo curtiu.

A relações públicas Tuka Quinelli, 38 anos, que trabalha em São Bernardo e mora em São Paulo, veio da capital para o show: “Com bandas boas, em shows gratuitos, pode fazer sol ou chuva, pois eu venho mesmo”.

O estudante Marcelo Simonassi, 17, de Santo André, integrante da banda Guillotine, já estava pensando até em subir no palco, não neste domingo, mas em uma outra ocasião, e para tocar. Ele sabe que os interessados em se apresentar naquele espaço podem procurar o Departamento de Cultura da cidade (tel.: 4433-0711).

Para o pintor Adriano Ament Santos, 18, de São Bernardo, eventos como o Central do Rock (bimestral) deveriam ocorrer mais vezes.

O casal Luiz Ubirajara Ferroni, 50, e Margareth Ferroni, 44, de Santo André, ele músico e ela auxiliar de enfermagem, foram ao show para acompanhar a filha Giovana, 15, estudante. Eles, que estiveram nas apresentações da Orquestra Sinfônica de Santo André e da banda Ira! na inauguração do Parque Central no dia 17 do mês passado, gostariam que aquele belo palco recebesse com mais freqüência eventos musicais, e de gêneros variados.

Marcelo Índio, 36, da banda da região Necromancia, marcou presença em família. Ele foi com a irmã Karina D‘Castro, 28, que levou o filho Kíron, 4. Marcelo, que também disse pretender tocar naquele palco, falou sobre o grande público que prestigiou o evento: “A força do metal é cada dia maior”. A reportagem ainda tentou conversar com o garotinho Kíron, mas ele estava mais interessado em degustar sua maçã-do-amor.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;