Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 1 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Logística necessita de ação imediata


Daniel Trielli
Do Diário do Grande ABC

03/12/2007 | 07:05


A infra-estrutura logística do Grande ABC precisa mais do que nunca de um impulso, segundo Antônio de Oliveira Ferreira, proprietário da Transportadora Ajofer, de Santo André. Ferreira, que também foi presidente do Setrans (Sindicato das Empresas de Transporte do Grande ABC), explica que o seminário Logística: É hora de avançar, promovido hoje em São Bernardo vem em boa hora.

“Pela peculiaridade do Grande ABC, um local altamente industrial, a questão da logística é uma coisa muito importante”, diz.

“Vivemos num momento de grande demanda. As indústrias de autopeças estão todas no limite da produção e as montadoras também estão vendendo bastante. Precisamos dar vazão para esses produtos prontos e movimentar os componentes com mais facilidade”, diz o proprietário da Ajofer.

Nesse aspecto, a malha rodoviária é a maior armadilha. “A circulação está muito difícil, não só no Grande ABC como em toda Grande São Paulo. Enquanto não vier o Rodoanel, a situação fica muito complicada”, conta Ferreira.

No entanto, ele destaca que o projeto não vai resolver tudo. “Não podemos acreditar que em dois anos, quando vier o Eixo Sul do Rodoanel tudo será maravilhoso. Ainda será preciso completar a outra metade, as partes Norte e Leste”, explica.

Além das dificuldades estruturais públicas, as das empresas privadas também prejudica a logística regional. “A infra-estrutura é grave nas próprias empresas”, alerta Ferreira. “Muitas unidades industriais não estão preparadas para recebimento e vazão de mercadorias e são freqüentes as filas nas empresas.”

Para Ferreira, a questão é mais problemática nos grandes supermercados. “São pedidos grandes e complexos.”

Falando em fila, o ex-presidente do Setrans não deixa de citar o Porto de Santos. “Não tem nem local para estacionar no caminhão”, reclama.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Logística necessita de ação imediata

Daniel Trielli
Do Diário do Grande ABC

03/12/2007 | 07:05


A infra-estrutura logística do Grande ABC precisa mais do que nunca de um impulso, segundo Antônio de Oliveira Ferreira, proprietário da Transportadora Ajofer, de Santo André. Ferreira, que também foi presidente do Setrans (Sindicato das Empresas de Transporte do Grande ABC), explica que o seminário Logística: É hora de avançar, promovido hoje em São Bernardo vem em boa hora.

“Pela peculiaridade do Grande ABC, um local altamente industrial, a questão da logística é uma coisa muito importante”, diz.

“Vivemos num momento de grande demanda. As indústrias de autopeças estão todas no limite da produção e as montadoras também estão vendendo bastante. Precisamos dar vazão para esses produtos prontos e movimentar os componentes com mais facilidade”, diz o proprietário da Ajofer.

Nesse aspecto, a malha rodoviária é a maior armadilha. “A circulação está muito difícil, não só no Grande ABC como em toda Grande São Paulo. Enquanto não vier o Rodoanel, a situação fica muito complicada”, conta Ferreira.

No entanto, ele destaca que o projeto não vai resolver tudo. “Não podemos acreditar que em dois anos, quando vier o Eixo Sul do Rodoanel tudo será maravilhoso. Ainda será preciso completar a outra metade, as partes Norte e Leste”, explica.

Além das dificuldades estruturais públicas, as das empresas privadas também prejudica a logística regional. “A infra-estrutura é grave nas próprias empresas”, alerta Ferreira. “Muitas unidades industriais não estão preparadas para recebimento e vazão de mercadorias e são freqüentes as filas nas empresas.”

Para Ferreira, a questão é mais problemática nos grandes supermercados. “São pedidos grandes e complexos.”

Falando em fila, o ex-presidente do Setrans não deixa de citar o Porto de Santos. “Não tem nem local para estacionar no caminhão”, reclama.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;