Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Componente do Viagra pode prevenir outras doenças


Das Agências

05/12/2000 | 00:34


O óxido nítrico (NO), substância que combate a impotência, também pode ser usada na prevençao de arterioesclerose, hipertensao e úlcera. Um remédio com esta substância deverá estar no mercado em um ou dois anos, disse segunda o cientista norte-americano Louis Ignarro, ganhador do Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina de 1998 por sua descoberta dos benefícios do NO. Ignarro é responsável pelos estudos que serviram de base para a criaçao do Viagra, que estimula a açao do NO no organismo.

De acordo com o médico, que veio ao Rio participar da 2ª Bienal de Pesquisa da Fundaçao Instituto Oswaldo Cruz, o óxido nítrico estabiliza a pressao do sangue e impede sua coagulaçao. O NO é produto da metabolizaçao da nitroglicerina - presente em medicamentos para curar problemas cardíacos, como a angina - no corpo humano.

"O resultado dos testes com ratos mostrou que o óxido protege o sistema cardiovascular. Os animais com arterioesclerose que receberam a substância apresentaram sensível melhora", disse Ignarro, pesquisador da Escola de Medicina da Universidade da Califórnia.

Mortes - "Acredito que o desenvolvimento de novas drogas feitas de NO vao reduzir significativamente o número de mortes por doenças cardiovasculares nos próximos cinco ou dez anos", afirmou o médico, ressaltando que a açao da substância no tratamento de úlcera já foi constatada. "Existe uma indústria na Europa que está produzindo remédios para úlcera de estômago."

Um medicamento contra a arterioesclerose teria como objetivo aumentar a concentraçao de NO no organismo. "Poderiam ser pílulas para dar mais NO ao corpo ou entao para proteger suas moléculas já existentes que, por serem muito instáveis, sao facilmente destruídas", explicou o médico. Ele começou a estudar a açao do óxido no organismo humano há dez anos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Componente do Viagra pode prevenir outras doenças

Das Agências

05/12/2000 | 00:34


O óxido nítrico (NO), substância que combate a impotência, também pode ser usada na prevençao de arterioesclerose, hipertensao e úlcera. Um remédio com esta substância deverá estar no mercado em um ou dois anos, disse segunda o cientista norte-americano Louis Ignarro, ganhador do Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina de 1998 por sua descoberta dos benefícios do NO. Ignarro é responsável pelos estudos que serviram de base para a criaçao do Viagra, que estimula a açao do NO no organismo.

De acordo com o médico, que veio ao Rio participar da 2ª Bienal de Pesquisa da Fundaçao Instituto Oswaldo Cruz, o óxido nítrico estabiliza a pressao do sangue e impede sua coagulaçao. O NO é produto da metabolizaçao da nitroglicerina - presente em medicamentos para curar problemas cardíacos, como a angina - no corpo humano.

"O resultado dos testes com ratos mostrou que o óxido protege o sistema cardiovascular. Os animais com arterioesclerose que receberam a substância apresentaram sensível melhora", disse Ignarro, pesquisador da Escola de Medicina da Universidade da Califórnia.

Mortes - "Acredito que o desenvolvimento de novas drogas feitas de NO vao reduzir significativamente o número de mortes por doenças cardiovasculares nos próximos cinco ou dez anos", afirmou o médico, ressaltando que a açao da substância no tratamento de úlcera já foi constatada. "Existe uma indústria na Europa que está produzindo remédios para úlcera de estômago."

Um medicamento contra a arterioesclerose teria como objetivo aumentar a concentraçao de NO no organismo. "Poderiam ser pílulas para dar mais NO ao corpo ou entao para proteger suas moléculas já existentes que, por serem muito instáveis, sao facilmente destruídas", explicou o médico. Ele começou a estudar a açao do óxido no organismo humano há dez anos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;