Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

BoE deve continuar com estímulo, diz Carney



30/08/2013 | 03:59


O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) deve continuar a fornecer estímulo para a economia do Reino Unido até que atinja um crescimento "autossustentável", disse o presidente da instituição, Mark Carney, em uma entrevista para o Daily Mail.

Carney afirmou que o banco central está preparado para imprimir mais dinheiro para comprar bônus "se necessário".

"Nós vamos fornecer o estímulo para o crescimento até que a economia atinja este nível de uma espécie de crescimento autossustentável", disse Carney. "Estamos descrevendo a quantidade mínima de estímulo que vamos fornecer. Pode haver mais, se necessário. Mas não será menor. Estamos absolutamente claros sobre isso."

Sob o comando de Carney, o BoE se comprometeu a manter sua taxa de juros de referência em 0,5% até o desemprego no Reino Unido cair para 7%.

Carney tem se esforçado para convencer os mercados financeiros de que as taxas podem ficar baixas por este período, vistos os sinais de fortalecimento do crescimento. Mas Carney disse ao Daily Mail que "as empresas e a economia entenderam a mensagem".

O presidente do BoE disse que as receitas dos britânicos, que estagnaram ao mesmo tempo em que os preços subiram mais rapidamente do que os salários, devem começar a crescer novamente, com a progressão da recuperação econômica.

Ele acrescentou que tem uma "visão" sobre se o Royal Bank of Scotland Group, um grande credor parcialmente nacionalizado, deverá ser dividido como alguns legisladores propuseram. Contudo, ele disse que só iria partilhar sua visão com "alguém em uma posição de autoridade", relatou o jornal

O sistema bancário do Reino Unido está substancialmente reparado, mas ainda não está tão forte quanto a economia precisa, afirmou Carney, acrescentando que a concessão de empréstimos a empresas precisa aumentar. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

BoE deve continuar com estímulo, diz Carney


30/08/2013 | 03:59


O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) deve continuar a fornecer estímulo para a economia do Reino Unido até que atinja um crescimento "autossustentável", disse o presidente da instituição, Mark Carney, em uma entrevista para o Daily Mail.

Carney afirmou que o banco central está preparado para imprimir mais dinheiro para comprar bônus "se necessário".

"Nós vamos fornecer o estímulo para o crescimento até que a economia atinja este nível de uma espécie de crescimento autossustentável", disse Carney. "Estamos descrevendo a quantidade mínima de estímulo que vamos fornecer. Pode haver mais, se necessário. Mas não será menor. Estamos absolutamente claros sobre isso."

Sob o comando de Carney, o BoE se comprometeu a manter sua taxa de juros de referência em 0,5% até o desemprego no Reino Unido cair para 7%.

Carney tem se esforçado para convencer os mercados financeiros de que as taxas podem ficar baixas por este período, vistos os sinais de fortalecimento do crescimento. Mas Carney disse ao Daily Mail que "as empresas e a economia entenderam a mensagem".

O presidente do BoE disse que as receitas dos britânicos, que estagnaram ao mesmo tempo em que os preços subiram mais rapidamente do que os salários, devem começar a crescer novamente, com a progressão da recuperação econômica.

Ele acrescentou que tem uma "visão" sobre se o Royal Bank of Scotland Group, um grande credor parcialmente nacionalizado, deverá ser dividido como alguns legisladores propuseram. Contudo, ele disse que só iria partilhar sua visão com "alguém em uma posição de autoridade", relatou o jornal

O sistema bancário do Reino Unido está substancialmente reparado, mas ainda não está tão forte quanto a economia precisa, afirmou Carney, acrescentando que a concessão de empréstimos a empresas precisa aumentar. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;