Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 14 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

‘Gente Nova no Pedaço’: Vanessa Bumagny


Gislaine Gutierre
Do Diário do Grande ABC

19/04/2007 | 07:05


Tem Gente Nova no Pedaço: a cantora Vanessa Bumagny, que ficou conhecida pela delicada e alegre interpretação de Flor da Idade, de Chico Buarque, participa nesta quinta-feira do projeto promovido pelo Sesc São Caetano, que se propõe a levar ao palco jovens talentos e artistas consagrados. O show, que é o primeiro da artista na região, começa às 20h.

Descendente de russos e portugueses, Vanessa descobriu por meio de Mozart sua vocação artística. Tinha 17 anos de idade, estudava nos Estados Unidos por meio de intercâmbio e até então cogitava seguir as dicas dos amigos, de cursar Direito ou Publicidade.

“Tive certeza absoluta de que cantar era o que eu queria fazer”, conta Vanessa, sobre a época em que participava do coral do colégio norte-americano, cujo repertório era basicamente erudito.

A opção pela carreira artística teve seu preço: “Tem aquela coisa de família, de dizer ‘isso não é profissão’”, lembra. Ela chegou a cursar durante um ano a faculdade de Publicidade, mas desistiu. “Não teve jeito”, fala, sorrindo.

Não foi a única surpresa que Vanessa causou aos Bumagny. Aos 12 anos, num passeio com o pai, este ofereceu-lhe um disco de presente, à escolha da menina. O eleito: Luiz Gonzaga. “Ele achou estranhíssimo, mas eu via o Luiz Gonzaga na TV e o achava incrível, adorava”.

Hoje, sua música tem lá as influências do Rei do Baião. “Tenho alma nordestina”, diz Vanessa, que teve sua banda de forró e foi backing vocal de Chico César. A todas essas influências, soma-se a MPB “transferida” pela mãe, o pop e o rock adorados por Vanessa na adolescência. Mistura que aparece bem no álbum de estréia, De Papel, base para o show de quinta-feira.

Acompanham-na Zeca Loureiro (voz, violão, guitarra e cavaco), Mauro Sanches (percussão e bateria), Henrique Alves (baixo) e Gabriel Levy (acordeom e teclado). Vanessa ainda promete um momento voz e violão com duas canções do próximo disco: Blind Mask, feita em parceria com Zeca Baleiro (que também assina a produção do CD), e Roteiro, com texto do poeta português Sidónio Muralha.

Vanessa Bumagny – Show. Nesta quinta-feira, às 20h. No Sesc São Caetano – r. Piauí, 554. Tel.: 4223-8800. Ingr.: R$ 15, R$ 10 (usuário matriculado), R$ 5 (comerciário) e R$ 7,50 (maiores de 60 anos e estudantes).


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

‘Gente Nova no Pedaço’: Vanessa Bumagny

Gislaine Gutierre
Do Diário do Grande ABC

19/04/2007 | 07:05


Tem Gente Nova no Pedaço: a cantora Vanessa Bumagny, que ficou conhecida pela delicada e alegre interpretação de Flor da Idade, de Chico Buarque, participa nesta quinta-feira do projeto promovido pelo Sesc São Caetano, que se propõe a levar ao palco jovens talentos e artistas consagrados. O show, que é o primeiro da artista na região, começa às 20h.

Descendente de russos e portugueses, Vanessa descobriu por meio de Mozart sua vocação artística. Tinha 17 anos de idade, estudava nos Estados Unidos por meio de intercâmbio e até então cogitava seguir as dicas dos amigos, de cursar Direito ou Publicidade.

“Tive certeza absoluta de que cantar era o que eu queria fazer”, conta Vanessa, sobre a época em que participava do coral do colégio norte-americano, cujo repertório era basicamente erudito.

A opção pela carreira artística teve seu preço: “Tem aquela coisa de família, de dizer ‘isso não é profissão’”, lembra. Ela chegou a cursar durante um ano a faculdade de Publicidade, mas desistiu. “Não teve jeito”, fala, sorrindo.

Não foi a única surpresa que Vanessa causou aos Bumagny. Aos 12 anos, num passeio com o pai, este ofereceu-lhe um disco de presente, à escolha da menina. O eleito: Luiz Gonzaga. “Ele achou estranhíssimo, mas eu via o Luiz Gonzaga na TV e o achava incrível, adorava”.

Hoje, sua música tem lá as influências do Rei do Baião. “Tenho alma nordestina”, diz Vanessa, que teve sua banda de forró e foi backing vocal de Chico César. A todas essas influências, soma-se a MPB “transferida” pela mãe, o pop e o rock adorados por Vanessa na adolescência. Mistura que aparece bem no álbum de estréia, De Papel, base para o show de quinta-feira.

Acompanham-na Zeca Loureiro (voz, violão, guitarra e cavaco), Mauro Sanches (percussão e bateria), Henrique Alves (baixo) e Gabriel Levy (acordeom e teclado). Vanessa ainda promete um momento voz e violão com duas canções do próximo disco: Blind Mask, feita em parceria com Zeca Baleiro (que também assina a produção do CD), e Roteiro, com texto do poeta português Sidónio Muralha.

Vanessa Bumagny – Show. Nesta quinta-feira, às 20h. No Sesc São Caetano – r. Piauí, 554. Tel.: 4223-8800. Ingr.: R$ 15, R$ 10 (usuário matriculado), R$ 5 (comerciário) e R$ 7,50 (maiores de 60 anos e estudantes).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;