Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

MTST barra entrada de novas famílias em acampamento

Cerca de 1.300 estão no local e aguardam decisão da Justiça


Cadu Proieti
Do Diário do Grande ABC

13/03/2012 | 07:00


O MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) barrou a entrada de novas famílias no terreno ocupado há dez dias no Jardim do Estádio, em Santo André. Segundo lideranças do grupo, a estrutura montada não tem condições de atender mais gente. Inicialmente eram 300 famílias. O número subiu para 700 em apenas dois dias e atualmente está em 1.300.

"Já vieram cerca de 300 pessoas pedir para entrar no acampamento, mas congelamos o número. Todos os dias aparece gente aqui pedindo para ficar, mas não temos condições de criar mais espaços coletivos", relatou Maria das Dores, uma das coordenadoras do movimento.

O proprietário da área, Flávio Barone Pereira, protocolou no dia 5 pedido de reintegração de posse. Até ontem, porém, o juiz João Antunes dos Santos Neto, da 5ª Vara Cível de Santo André, ainda não havia julgado o processo.

A advogada Estela Alba Duca, que defende Pereira, afirmou que irá esperar a decisão do magistrado. "Vamos aguardar o pronunciamento judicial."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

MTST barra entrada de novas famílias em acampamento

Cerca de 1.300 estão no local e aguardam decisão da Justiça

Cadu Proieti
Do Diário do Grande ABC

13/03/2012 | 07:00


O MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) barrou a entrada de novas famílias no terreno ocupado há dez dias no Jardim do Estádio, em Santo André. Segundo lideranças do grupo, a estrutura montada não tem condições de atender mais gente. Inicialmente eram 300 famílias. O número subiu para 700 em apenas dois dias e atualmente está em 1.300.

"Já vieram cerca de 300 pessoas pedir para entrar no acampamento, mas congelamos o número. Todos os dias aparece gente aqui pedindo para ficar, mas não temos condições de criar mais espaços coletivos", relatou Maria das Dores, uma das coordenadoras do movimento.

O proprietário da área, Flávio Barone Pereira, protocolou no dia 5 pedido de reintegração de posse. Até ontem, porém, o juiz João Antunes dos Santos Neto, da 5ª Vara Cível de Santo André, ainda não havia julgado o processo.

A advogada Estela Alba Duca, que defende Pereira, afirmou que irá esperar a decisão do magistrado. "Vamos aguardar o pronunciamento judicial."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;