Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Feras do atletismo buscam índice para o Mundial no GP Brasil, em Belém

Competição sai do Rio de Janeiro e vai para o Pará; Duda tenta marca no salto em distância


das Agências

12/05/2013 | 07:00


A temporada 2013 do atletismo nacional começa oficialmente hoje com a disputa do Grande Prêmio Brasil, único torneio na América do Sul que faz parte do calendário da Federação Internacional. Nos últimos três anos, a competição foi realizada no Rio de Janeiro, mas na primeira etapa do ciclo de 2016, a disputa será no Mangueirão, em Belém, Pará.

A transferência do torneio demonstra o descaso com que o atletismo tem sido tratado na cidade olímpica. Não há no Rio de Janeiro um estádio para receber competições da modalidade, considerada a número um dos Jogos e a que mais distribui medalhas (141). O Célio de Barros, que faz parte do Complexo do Maracanã, virou canteiro de obras da reconstrução do estádio para a Copa do Mundo de 2014 e o Engenhão, que foi sede do GP entre 2010 e 2012, está interditado desde o fim de março por problemas na cobertura.

Problemas à parte, os atletas focam na busca por índice ao Mundial de Moscou. A programação começa às 8h35, com a prova do lançamento do martelo e será finalizada por volta das 18h.

Entre as estrelas que ainda não estão garantidas no Mundial está Mauro Vinícius da Silva, o Duda, da BM&FBovespa/São Caetano. Campeão mundial indoor do salto em distância e finalista olímpico, tem chegado perto da marca classificatória (8,10 m) nos torneios que disputou. "Gosto de saltar em Belém, com o público que comparece e espero que o índice saia. Nunca comecei tão bem uma temporada", disse Duda, que fez 8,08 m no ano.

Entre os estrangeiros, destacam-se o cubano Lázaro Borges, vice-campeão mundial do salto com vara e o bahamense Michael Mathieu, campeão olímpico do revezamento 4 x 400 m, mas que disputará no Brasil os 200 m.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Feras do atletismo buscam índice para o Mundial no GP Brasil, em Belém

Competição sai do Rio de Janeiro e vai para o Pará; Duda tenta marca no salto em distância

das Agências

12/05/2013 | 07:00


A temporada 2013 do atletismo nacional começa oficialmente hoje com a disputa do Grande Prêmio Brasil, único torneio na América do Sul que faz parte do calendário da Federação Internacional. Nos últimos três anos, a competição foi realizada no Rio de Janeiro, mas na primeira etapa do ciclo de 2016, a disputa será no Mangueirão, em Belém, Pará.

A transferência do torneio demonstra o descaso com que o atletismo tem sido tratado na cidade olímpica. Não há no Rio de Janeiro um estádio para receber competições da modalidade, considerada a número um dos Jogos e a que mais distribui medalhas (141). O Célio de Barros, que faz parte do Complexo do Maracanã, virou canteiro de obras da reconstrução do estádio para a Copa do Mundo de 2014 e o Engenhão, que foi sede do GP entre 2010 e 2012, está interditado desde o fim de março por problemas na cobertura.

Problemas à parte, os atletas focam na busca por índice ao Mundial de Moscou. A programação começa às 8h35, com a prova do lançamento do martelo e será finalizada por volta das 18h.

Entre as estrelas que ainda não estão garantidas no Mundial está Mauro Vinícius da Silva, o Duda, da BM&FBovespa/São Caetano. Campeão mundial indoor do salto em distância e finalista olímpico, tem chegado perto da marca classificatória (8,10 m) nos torneios que disputou. "Gosto de saltar em Belém, com o público que comparece e espero que o índice saia. Nunca comecei tão bem uma temporada", disse Duda, que fez 8,08 m no ano.

Entre os estrangeiros, destacam-se o cubano Lázaro Borges, vice-campeão mundial do salto com vara e o bahamense Michael Mathieu, campeão olímpico do revezamento 4 x 400 m, mas que disputará no Brasil os 200 m.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;