Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Suricato vive em grupo para se proteger


Bruna Gonçalves
Do Diário do Grande ABC

12/05/2013 | 07:00


 

Pouca gente sabe que Timão, personagem de O Rei Leão, é um suricato (Suricata suricatta). Também chamado de suricate ou suricata, vive em regiões quentes da África, possui cabeça alongada, focinho pontiagudo, patas curtas e cauda comprida.

Apesar de ser mamífero pequeno - mede entre 20 cm e 27 cm e pesa de 700 g a 900 g - é muito valente e observador. Por isso, sabe o que fazer para escapar dos predadores, como águias e chacais.

O segredo? A convivência em grupo (que tem de dez a 15 integrantes). Os suricatos costumam dividir as tarefas (como vigiar as tocas) para evitar que os companheiros corram perigo. Além disso, emitem sons para se comunicar e alertar os demais sobre qualquer ameaça.

Quando se sentem encurralados, se escondem nos túneis subterrâneos que constroem escavando a terra com as patas dianteiras. Mesmo em segurança, sempre um ou dois suricatos ficam de guarda do lado de fora da toca, observando a área apoiados nas patas traseiras e na base da cauda. E se algum fica doente, os demais permanecem próximos cuidando.

De coloração acastanhada e com listras negras nas costas, a espécie gosta de se aquecer no sol. Tem hábito diurno e come insetos e pequenos invertebrados.

A gestação dura 77 dias, e a fêmea tem de dois a cinco filhotes no interior do abrigo. Qualquer adulto do grupo pode cuidar deles. Isso porque a mãe, em geral, sai em busca de alimentos. A espécie vive cerca de 13 anos e não corre perigo de extinção.

Consultoria da bióloga Juliana Corrêa, do zoo do parque Beto Carrero World.

 

População é pequena no Brasil

No Brasil, o suricato é encontrado em poucos zoológicos, como os de Bauru e Sorocaba, cidades do interior de São Paulo. A espécie também pode ser vista no zoo do parque Beto Carrero World, em Santa Catarina. Os três machos e duas fêmeas adultos chegaram ao local no ano passado, quando foram transferidos do Zoológico de Temaiken, na Argentina.

Para construir a moradia dos animais, foi realizado estudo sobre seu habitat. Desse modo, o espaço ganhou características semelhantes àquelas encontradas na natureza.

Há, por exemplo, área com terra argilosa para que possam cavar túneis subterrâneos, além de tubulações de concreto para se protegerem. Para cobrir parte do lar dos suricatos, foi utilizado capim, planta comum no ambiente natural da espécie.

 

Famoso na ficção

Timão é o suricato falador que vive junto do melhor amigo, o javali Pumba, na animação O Rei Leão (1994). A divertida dupla se mete em muitas confusões e aventuras e está sempre em busca de sua comida preferida: insetos suculentos. Na trama, os personagens conhecem o pequeno leão Simba, para quem dão abrigo e ensinam o estilo de vida sem preocupações, chamado Hakuna Matata.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Suricato vive em grupo para se proteger

Bruna Gonçalves
Do Diário do Grande ABC

12/05/2013 | 07:00


 

Pouca gente sabe que Timão, personagem de O Rei Leão, é um suricato (Suricata suricatta). Também chamado de suricate ou suricata, vive em regiões quentes da África, possui cabeça alongada, focinho pontiagudo, patas curtas e cauda comprida.

Apesar de ser mamífero pequeno - mede entre 20 cm e 27 cm e pesa de 700 g a 900 g - é muito valente e observador. Por isso, sabe o que fazer para escapar dos predadores, como águias e chacais.

O segredo? A convivência em grupo (que tem de dez a 15 integrantes). Os suricatos costumam dividir as tarefas (como vigiar as tocas) para evitar que os companheiros corram perigo. Além disso, emitem sons para se comunicar e alertar os demais sobre qualquer ameaça.

Quando se sentem encurralados, se escondem nos túneis subterrâneos que constroem escavando a terra com as patas dianteiras. Mesmo em segurança, sempre um ou dois suricatos ficam de guarda do lado de fora da toca, observando a área apoiados nas patas traseiras e na base da cauda. E se algum fica doente, os demais permanecem próximos cuidando.

De coloração acastanhada e com listras negras nas costas, a espécie gosta de se aquecer no sol. Tem hábito diurno e come insetos e pequenos invertebrados.

A gestação dura 77 dias, e a fêmea tem de dois a cinco filhotes no interior do abrigo. Qualquer adulto do grupo pode cuidar deles. Isso porque a mãe, em geral, sai em busca de alimentos. A espécie vive cerca de 13 anos e não corre perigo de extinção.

Consultoria da bióloga Juliana Corrêa, do zoo do parque Beto Carrero World.

 

População é pequena no Brasil

No Brasil, o suricato é encontrado em poucos zoológicos, como os de Bauru e Sorocaba, cidades do interior de São Paulo. A espécie também pode ser vista no zoo do parque Beto Carrero World, em Santa Catarina. Os três machos e duas fêmeas adultos chegaram ao local no ano passado, quando foram transferidos do Zoológico de Temaiken, na Argentina.

Para construir a moradia dos animais, foi realizado estudo sobre seu habitat. Desse modo, o espaço ganhou características semelhantes àquelas encontradas na natureza.

Há, por exemplo, área com terra argilosa para que possam cavar túneis subterrâneos, além de tubulações de concreto para se protegerem. Para cobrir parte do lar dos suricatos, foi utilizado capim, planta comum no ambiente natural da espécie.

 

Famoso na ficção

Timão é o suricato falador que vive junto do melhor amigo, o javali Pumba, na animação O Rei Leão (1994). A divertida dupla se mete em muitas confusões e aventuras e está sempre em busca de sua comida preferida: insetos suculentos. Na trama, os personagens conhecem o pequeno leão Simba, para quem dão abrigo e ensinam o estilo de vida sem preocupações, chamado Hakuna Matata.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;