Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

O adeus de um pioneiro da TV no Grande ABC


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

25/05/2018 | 07:00


Na história da imprensa do Grande ABC, a presença de Glenir Santarnecchi: homem de rádio, jornal e televisão. Um dos pioneiros da TV no Grande ABC.

A partir de 1993, e durante 12 anos, Glenir apresentou o programa ABC Brasil, pela TV São Caetano, o canal 45 UHF e Canal 4 Cambras/Net. Um programa diário, em revezamento com o advogado João da Costa Faria, esportista Altevir Anhê, professor Daniel Bellucci Contru e o saudoso prefeito Luiz Tortorelli.

Glenir entrevistou centenas de convidados, sempre muito bem vestido, de terno, gravata e muita bossa.

Tinha classe o Dr. Glenir, formado em Direito pela Universidade São Francisco, com pós-graduação em Direito Administrativo e Direito Civil pela Pontifícia Universidade Católica. Atuou na Rádio Cacique, Prefeitura de São Caetano e jornais locais. Presidiu a Fundação Pró-Memória. Trabalhou na Eletropaulo.

E tinha bom humor. Certa noite, no Museu de Mauá, numa das tantas reuniões desses idealistas da memória, convidamos Glenir e demais colegas a um jantar. E os levamos a um recém-inaugurado restaurante do governo cujo prato custava R$ 1 – R$ 0,50 à noite. Que bela sopa todos nós saboreamos!

HISTÓRIA E MEMÓRIA

Glenir Santarnecchi foi professor de nível médio em História Geral. Lecionou durante dez anos na Faculdade Paulista de Serviço Social de São Caetano. Imortal da Academia de Letras da Grande São Paulo.

É autor do livro São Caetano Di Thiene, o Santo que Deu Nome à Cidade (All Print Editora, 2010).

D. Glenir Santarnecchi (como gostava de assinar) legou à memória muita coisa boa.

Na pasta que organizamos sobre ele, há uma foto original do atirador Glenir, o nº 129, com os colegas da 2ª Companhia do TG 277 de São Caetano.

Noutra foto, também original, o roqueiro Glenir. Crooner de ‘Os Teenagers’, conjunto musical que hoje seria chamado de banda – claro, da sua São Caetano.
Agora, a partida.

O HOMEM

Glenir era filho de Dante Santarnecchi e Maria Pasquali. Casado com a psicóloga Maria da Conceição dos Santos e pai de Érica Maria. Parte aos 73 anos. Seu corpo foi encaminhado para cremação ao Cemitério Jardim da Colina, em São Bernardo.

A missa de sétimo dia será rezada amanhã, sábado, dia 26, às 16h, na Paróquia São Caetano: Praça Comendador Ermelino Matarazzo, bairro Fundação, em São Caetano.


José Antônio Botan

(Santo André, 10-9-1944 – São Paulo, 20-5-2018)

A família Botan, de origem italiana, faz parte da história da imigração em São Caetano, espalhando-se pelo Grande ABC. O contabilista e advogado José Antônio Botan, andreense, fez uma linda carreira no Primeiro Cartório de Notas de Santo André, ingressando como auxiliar e assumindo a sua direção entre 1980 e 1981. Podia ser encontrado sempre na repartição da Rua Primeiro de Maio, no Centro de Santo André.

José Antônio Botan formou-se em Contabilidade na Escola Senador Flaquer, do professor Valdemar Mattei, e em Direito na Brás Cubas de Mogi das Cruzes. E gostava muito de história e memória, colaborando com esta página do Diário.

Filho de Domingos Botan e Maria Bandeira Botan, José Antônio parte aos 73 anos. Deixa a mulher, Maria Cecília Machado Botan, a irmã Vera Lucia, as filhas Maria Augusta, Maria Cecília e Maria Theresa, e uma neta, Giulia. Foi sepultado no Cemitério da Saudade, em Vila Assunção. A missa de sétimo dia será celebrada amanhã, sábado, às 16h, na Catedral do Carmo

Dr. Rubens Awada

(São Pedro, SP, 11-2-1933 – Santo André, 23-5-2018)

Formado pela Faculdade Paulista de Medicina, Dr. Rubens Awada construiu uma linda história em Santo André, desde a juventude. De um lado, o amor ao clube Panelinha, de outro, a coragem de, com outros colegas, fundar, clinicar e administrar por muitos anos o Hospital e Maternidade Brasil.

Dr. Rubens Awada sempre participou das atividades sociais da região. E, no início da página
Memória, contribuiu decisivamente com este espaço, cedendo e identificando imagens do Carnaval do seu clube de coração, Pan Wd, o doce rival do Ocara Clube.

Filho de Rachid Awada e Maria Aron Awada, Dr. Rubens parte aos 85 anos. Deixa a mulher, Ignez Chedid Awada, os filhos Adriana e Marcelo e os netos Marina, Marcela, Vitor e Fabiana. Residia no bairro Jardim e foi sepultado no Cemitério da Saudade, em Vila Assunção.


A Itália em Memória na TV

A entrevistada desta semana do DGABC TV é a professora Tereza Drago, diretora da escola Spazio, de ensino da língua italiana, criada há 26 anos no interior da fábrica Pirelli de Santo André e que, desde 2001, funciona na sede da Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira.

Professora Tereza divulga a sessão solene dedicada à comunidade italiana de Santo André, marcada para o dia 30 de maio, quarta-feira próxima, às 19h, na Câmara Municipal, numa iniciativa do vereador Edson Sardano. Há quase dez anos esta sessão não era realizada.

A homenagem lembrará nomes que fizeram e fazem história sobre a presença italiana em Santo André. Estará presente o Coral da Ítalo-Brasileira, desta entidade fundada em 1900 com o nome Savoia e que é uma das mais antigas do Grande ABC.


Diário há 30 anos

Quarta-feira, 25 de maio de 1988 – ano 31, edição 6761

Manchete – Receita prorroga prazo do trileão

Constituinte – Aprovado o fim da censura.

São Caetano – Prefeitura distribui bolsas de estudos para cursos na Fundação das Artes.

Acidente – Três irmãos morrem em desabamento na Cidade Júlia, no limite entre Diadema e São Paulo.

Saúde – Aids avança nas cadeias do Grande ABC. Reportagem: Walter Venturini e Rafael Guelta.


Em 25 de maio de...

1918 – O capitão Francisco de Almeida Garretti, secretário do Tiro Brasileiro de Guerra nº 34, de São Bernardo, anunciava o seu endereço: Rua Vergueiro, 248, em São Paulo. Era ali que atendia os atiradores residentes na Capital.

A guerra. Do noticiário do Estadão: chega a Gênova, na Itália, a missão naval brasileira, presidida pelo almirante Francisco de Mattos, que no mesmo dia foi recebido pelo papa Benedicto XV.

A ação dos hidroaviões italianos no Adriático.

1948 – Falece no Rio de Janeiro o engenheiro e senador Roberto Simonsen, integrante da Academia Paulista de Letras, presidente da Federação das Indústrias de São Paulo e superintendente da Cerâmica São Caetano.

1973 – Inaugurado o Centro de Formação Profissional da Volkswagen, em São Bernardo.


Hoje

Dia da Costureira

Dia da Indústria

Dia Nacional da Adoção

Dia da África

Dia do Massagista


Municípios Brasileiros


Celebram aniversários em 25 de maio:

Na Bahia, Camamu e Canavieiras.

No Ceará, Catarina.

Na Paraíba, Catolé do Rocha.

Fonte: IBGE
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O adeus de um pioneiro da TV no Grande ABC

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

25/05/2018 | 07:00


Na história da imprensa do Grande ABC, a presença de Glenir Santarnecchi: homem de rádio, jornal e televisão. Um dos pioneiros da TV no Grande ABC.

A partir de 1993, e durante 12 anos, Glenir apresentou o programa ABC Brasil, pela TV São Caetano, o canal 45 UHF e Canal 4 Cambras/Net. Um programa diário, em revezamento com o advogado João da Costa Faria, esportista Altevir Anhê, professor Daniel Bellucci Contru e o saudoso prefeito Luiz Tortorelli.

Glenir entrevistou centenas de convidados, sempre muito bem vestido, de terno, gravata e muita bossa.

Tinha classe o Dr. Glenir, formado em Direito pela Universidade São Francisco, com pós-graduação em Direito Administrativo e Direito Civil pela Pontifícia Universidade Católica. Atuou na Rádio Cacique, Prefeitura de São Caetano e jornais locais. Presidiu a Fundação Pró-Memória. Trabalhou na Eletropaulo.

E tinha bom humor. Certa noite, no Museu de Mauá, numa das tantas reuniões desses idealistas da memória, convidamos Glenir e demais colegas a um jantar. E os levamos a um recém-inaugurado restaurante do governo cujo prato custava R$ 1 – R$ 0,50 à noite. Que bela sopa todos nós saboreamos!

HISTÓRIA E MEMÓRIA

Glenir Santarnecchi foi professor de nível médio em História Geral. Lecionou durante dez anos na Faculdade Paulista de Serviço Social de São Caetano. Imortal da Academia de Letras da Grande São Paulo.

É autor do livro São Caetano Di Thiene, o Santo que Deu Nome à Cidade (All Print Editora, 2010).

D. Glenir Santarnecchi (como gostava de assinar) legou à memória muita coisa boa.

Na pasta que organizamos sobre ele, há uma foto original do atirador Glenir, o nº 129, com os colegas da 2ª Companhia do TG 277 de São Caetano.

Noutra foto, também original, o roqueiro Glenir. Crooner de ‘Os Teenagers’, conjunto musical que hoje seria chamado de banda – claro, da sua São Caetano.
Agora, a partida.

O HOMEM

Glenir era filho de Dante Santarnecchi e Maria Pasquali. Casado com a psicóloga Maria da Conceição dos Santos e pai de Érica Maria. Parte aos 73 anos. Seu corpo foi encaminhado para cremação ao Cemitério Jardim da Colina, em São Bernardo.

A missa de sétimo dia será rezada amanhã, sábado, dia 26, às 16h, na Paróquia São Caetano: Praça Comendador Ermelino Matarazzo, bairro Fundação, em São Caetano.


José Antônio Botan

(Santo André, 10-9-1944 – São Paulo, 20-5-2018)

A família Botan, de origem italiana, faz parte da história da imigração em São Caetano, espalhando-se pelo Grande ABC. O contabilista e advogado José Antônio Botan, andreense, fez uma linda carreira no Primeiro Cartório de Notas de Santo André, ingressando como auxiliar e assumindo a sua direção entre 1980 e 1981. Podia ser encontrado sempre na repartição da Rua Primeiro de Maio, no Centro de Santo André.

José Antônio Botan formou-se em Contabilidade na Escola Senador Flaquer, do professor Valdemar Mattei, e em Direito na Brás Cubas de Mogi das Cruzes. E gostava muito de história e memória, colaborando com esta página do Diário.

Filho de Domingos Botan e Maria Bandeira Botan, José Antônio parte aos 73 anos. Deixa a mulher, Maria Cecília Machado Botan, a irmã Vera Lucia, as filhas Maria Augusta, Maria Cecília e Maria Theresa, e uma neta, Giulia. Foi sepultado no Cemitério da Saudade, em Vila Assunção. A missa de sétimo dia será celebrada amanhã, sábado, às 16h, na Catedral do Carmo

Dr. Rubens Awada

(São Pedro, SP, 11-2-1933 – Santo André, 23-5-2018)

Formado pela Faculdade Paulista de Medicina, Dr. Rubens Awada construiu uma linda história em Santo André, desde a juventude. De um lado, o amor ao clube Panelinha, de outro, a coragem de, com outros colegas, fundar, clinicar e administrar por muitos anos o Hospital e Maternidade Brasil.

Dr. Rubens Awada sempre participou das atividades sociais da região. E, no início da página
Memória, contribuiu decisivamente com este espaço, cedendo e identificando imagens do Carnaval do seu clube de coração, Pan Wd, o doce rival do Ocara Clube.

Filho de Rachid Awada e Maria Aron Awada, Dr. Rubens parte aos 85 anos. Deixa a mulher, Ignez Chedid Awada, os filhos Adriana e Marcelo e os netos Marina, Marcela, Vitor e Fabiana. Residia no bairro Jardim e foi sepultado no Cemitério da Saudade, em Vila Assunção.


A Itália em Memória na TV

A entrevistada desta semana do DGABC TV é a professora Tereza Drago, diretora da escola Spazio, de ensino da língua italiana, criada há 26 anos no interior da fábrica Pirelli de Santo André e que, desde 2001, funciona na sede da Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira.

Professora Tereza divulga a sessão solene dedicada à comunidade italiana de Santo André, marcada para o dia 30 de maio, quarta-feira próxima, às 19h, na Câmara Municipal, numa iniciativa do vereador Edson Sardano. Há quase dez anos esta sessão não era realizada.

A homenagem lembrará nomes que fizeram e fazem história sobre a presença italiana em Santo André. Estará presente o Coral da Ítalo-Brasileira, desta entidade fundada em 1900 com o nome Savoia e que é uma das mais antigas do Grande ABC.


Diário há 30 anos

Quarta-feira, 25 de maio de 1988 – ano 31, edição 6761

Manchete – Receita prorroga prazo do trileão

Constituinte – Aprovado o fim da censura.

São Caetano – Prefeitura distribui bolsas de estudos para cursos na Fundação das Artes.

Acidente – Três irmãos morrem em desabamento na Cidade Júlia, no limite entre Diadema e São Paulo.

Saúde – Aids avança nas cadeias do Grande ABC. Reportagem: Walter Venturini e Rafael Guelta.


Em 25 de maio de...

1918 – O capitão Francisco de Almeida Garretti, secretário do Tiro Brasileiro de Guerra nº 34, de São Bernardo, anunciava o seu endereço: Rua Vergueiro, 248, em São Paulo. Era ali que atendia os atiradores residentes na Capital.

A guerra. Do noticiário do Estadão: chega a Gênova, na Itália, a missão naval brasileira, presidida pelo almirante Francisco de Mattos, que no mesmo dia foi recebido pelo papa Benedicto XV.

A ação dos hidroaviões italianos no Adriático.

1948 – Falece no Rio de Janeiro o engenheiro e senador Roberto Simonsen, integrante da Academia Paulista de Letras, presidente da Federação das Indústrias de São Paulo e superintendente da Cerâmica São Caetano.

1973 – Inaugurado o Centro de Formação Profissional da Volkswagen, em São Bernardo.


Hoje

Dia da Costureira

Dia da Indústria

Dia Nacional da Adoção

Dia da África

Dia do Massagista


Municípios Brasileiros


Celebram aniversários em 25 de maio:

Na Bahia, Camamu e Canavieiras.

No Ceará, Catarina.

Na Paraíba, Catolé do Rocha.

Fonte: IBGE
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;