Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Ribeirão concede reajuste a servidores e professores


Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

25/05/2018 | 07:00


A Câmara de Ribeirão Pires aprovou ontem, por 17 votos contra zero, projeto de lei que reajusta salários do funcionalismo e equipara os vencimentos dos professores ao piso nacional do magistério. O Sineduc (Sindicato dos Professores das Escolas Públicas Municipais) vinha cobrando a atualização da tabela dos profissionais da Educação desde o começo do ano.

De acordo com a matéria, cerca de 2.900 servidores receberão reajuste de 4,15%, que é equivalente à soma do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) relativo ao período entre março de 2017 e fevereiro de 2018 e de março de 2016 e fevereiro de 2017. Os vencimentos do prefeito, vice-prefeito e secretários não terão aumento.

Aos funcionários da Educação será aplicada reposição de 6,81% sobre o salário atual, contemplando cerca de 700 profissionais da rede.

A gestão do prefeito Adler Kiko Teixeira (PSB) informou que haverá equiparação salarial ao piso nacional da categoria, que hoje é de R$ 2.455,35. O reajuste será retroativo desde janeiro de 2018, sendo que a diferença dos ganhos no primeiro quadrimestre do ano será paga em três parcelas entre os meses de outubro e dezembro.

A equiparação do contracheque dos professores e o reajuste salarial dos demais servidores devem gerar impacto de R$ 4,8 milhões na folha de pagamento deste ano, incluindo o 13º salário e um terço de férias.

Para o chefe do Executivo, o aumento está dentro das disponibilidades financeiras do Paço – a cidade trabalha próximo dos limites de gastos com pessoal determinados na LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).

“Entendemos que a valorização dos servidores é um reconhecimento justo pelo empenho de profissionais que diariamente contribuem para a melhoria dos serviços prestados à população. À medida do que é financeiramente viável, observando e respeitando a legislação vigente, estamos avançando e promovendo essa valorização”, destacou Kiko.

No ano passado, a administração socialista realizou a equiparação do salário dos professores ao piso nacional, de R$ 2.135,64 para R$ 2.298. Ainda em 2017, pelo menos 3.700 funcionários públicos municipais receberam reajuste de 100% no auxílio-alimentação, pago pela Prefeitura por meio do Cartão Servidor. Segundo a Prefeitura, “mesmo em cenário de queda de arrecadação da cidade, seguindo a tendência dos municípios brasileiros, a gestão aumentou o benefício para R$ 206,98”. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ribeirão concede reajuste a servidores e professores

Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

25/05/2018 | 07:00


A Câmara de Ribeirão Pires aprovou ontem, por 17 votos contra zero, projeto de lei que reajusta salários do funcionalismo e equipara os vencimentos dos professores ao piso nacional do magistério. O Sineduc (Sindicato dos Professores das Escolas Públicas Municipais) vinha cobrando a atualização da tabela dos profissionais da Educação desde o começo do ano.

De acordo com a matéria, cerca de 2.900 servidores receberão reajuste de 4,15%, que é equivalente à soma do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) relativo ao período entre março de 2017 e fevereiro de 2018 e de março de 2016 e fevereiro de 2017. Os vencimentos do prefeito, vice-prefeito e secretários não terão aumento.

Aos funcionários da Educação será aplicada reposição de 6,81% sobre o salário atual, contemplando cerca de 700 profissionais da rede.

A gestão do prefeito Adler Kiko Teixeira (PSB) informou que haverá equiparação salarial ao piso nacional da categoria, que hoje é de R$ 2.455,35. O reajuste será retroativo desde janeiro de 2018, sendo que a diferença dos ganhos no primeiro quadrimestre do ano será paga em três parcelas entre os meses de outubro e dezembro.

A equiparação do contracheque dos professores e o reajuste salarial dos demais servidores devem gerar impacto de R$ 4,8 milhões na folha de pagamento deste ano, incluindo o 13º salário e um terço de férias.

Para o chefe do Executivo, o aumento está dentro das disponibilidades financeiras do Paço – a cidade trabalha próximo dos limites de gastos com pessoal determinados na LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).

“Entendemos que a valorização dos servidores é um reconhecimento justo pelo empenho de profissionais que diariamente contribuem para a melhoria dos serviços prestados à população. À medida do que é financeiramente viável, observando e respeitando a legislação vigente, estamos avançando e promovendo essa valorização”, destacou Kiko.

No ano passado, a administração socialista realizou a equiparação do salário dos professores ao piso nacional, de R$ 2.135,64 para R$ 2.298. Ainda em 2017, pelo menos 3.700 funcionários públicos municipais receberam reajuste de 100% no auxílio-alimentação, pago pela Prefeitura por meio do Cartão Servidor. Segundo a Prefeitura, “mesmo em cenário de queda de arrecadação da cidade, seguindo a tendência dos municípios brasileiros, a gestão aumentou o benefício para R$ 206,98”. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;