Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

O abacate tem poder

Andréa Iseki/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


10/05/2011 | 00:00


O abacate é originário do continente americano e acabou se espalhando por vários outros países em regiões subtropicais e tropicais do mundo. É muito apreciado na América Latina, onde faz parte de pratos doces e salgados das culinárias locais. O Brasil ocupa hoje o quarto lugar como produtor deste fruto,ficando atrás apenas do México, Estados Unidos e República Dominicana. 

O abacate é rico em gordura sendo fonte de ácido oléico, que é um tipo de ácido graxo monoinsaturado e de calorias. Até pouco tempo atrás, seu consumo não era recomendado para portadores de hipertensão arterial, diabetes, doenças cardiovasculares e outras patologias que estão ligadas ao consumo excessivo de gordura por parte do organismo.

No entanto, pesquisas feitas a partir do início da década de 90, demonstraram que o consumo moderado do abacate, contribui para reduzir os triglicerídeos, o colesterol LDL e o colesterol total. Outros estudos, feitos com diabéticos, revelaram que após um mês de consumo regulado do abacate, estes pacientes apresentaram diminuição do índice glicêmico no sangue.

O abacate é reconhecido hoje como fonte de muitos nutrientes, com quantidades significativas de ácido oléico, vitamina C, fibras, e lipídios em sua composição. No entanto, como é um fruto rico em calorias, deve ser sempre consumido sem exageros, principalmente por aqueles que lutam contra a obesidade e por quem está seguindo uma dieta de baixas calorias.

Por Marco de Cardoso



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O abacate tem poder


10/05/2011 | 00:00


O abacate é originário do continente americano e acabou se espalhando por vários outros países em regiões subtropicais e tropicais do mundo. É muito apreciado na América Latina, onde faz parte de pratos doces e salgados das culinárias locais. O Brasil ocupa hoje o quarto lugar como produtor deste fruto,ficando atrás apenas do México, Estados Unidos e República Dominicana. 

O abacate é rico em gordura sendo fonte de ácido oléico, que é um tipo de ácido graxo monoinsaturado e de calorias. Até pouco tempo atrás, seu consumo não era recomendado para portadores de hipertensão arterial, diabetes, doenças cardiovasculares e outras patologias que estão ligadas ao consumo excessivo de gordura por parte do organismo.

No entanto, pesquisas feitas a partir do início da década de 90, demonstraram que o consumo moderado do abacate, contribui para reduzir os triglicerídeos, o colesterol LDL e o colesterol total. Outros estudos, feitos com diabéticos, revelaram que após um mês de consumo regulado do abacate, estes pacientes apresentaram diminuição do índice glicêmico no sangue.

O abacate é reconhecido hoje como fonte de muitos nutrientes, com quantidades significativas de ácido oléico, vitamina C, fibras, e lipídios em sua composição. No entanto, como é um fruto rico em calorias, deve ser sempre consumido sem exageros, principalmente por aqueles que lutam contra a obesidade e por quem está seguindo uma dieta de baixas calorias.

Por Marco de Cardoso

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;