Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

O muro caiu

Na queda de braço entre o presidente da Câmara de Diadema, Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT), e o prefeito Mário Reali


Do Diário do Grande ABC

19/02/2010 | 00:00


Na queda de braço entre o presidente da Câmara de Diadema, Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT), e o prefeito Mário Reali, venceu o parlamentar. Depois de deixar o chefe do Executivo em saia-justa durante visita à Câmara, no dia 11, Maninho conseguiu fazer com que a administração petista derrubasse polêmico muro levantado pelo governo municipal em uma viela do bairro Piraporinha, onde mora o vereador. Na tribuna, o muy aliado do prefeito falou cobras e lagartos da decisão em levantar o muro no local, principalmente porque a população do entorno já estava cobrando providências do vereador, atribuindo a ele a ‘excelente' ideia. Ainda na Câmara, Maninho prometeu que, se o problema não fosse resolvido durante o Carnaval, pegaria uma marreta e derrubaria ele mesmo a mureta. Mas não foi necessário. Na sexta-feira à tarde, funcionários da administração Reali apareceram no local para desfazer a obra. Isso porque, em tese, os dois falam a mesma língua. Imagine se ele fosse da oposição...

Bastidores

Batalha de confetes
Pelo menos no Carnaval, na disputa entre os deputados estaduais rivais Orlando Morando (PSDB-São Bernardo) e Alex Manente (PPS-São Bernardo), quem saiu na frente foi o tucano. Orlando é espécie de ‘padrinho' da escola Mocidade Alegre de São Leopoldo, tricampeã dos desfiles. Quem participa ativamente do dia a dia da Acadêmicos da Vila Vivaldi, que ficou em segundo lugar, é o vereador Ramon Ramos (DEM), ligado ao parlamentar do PPS. Os dois já haviam se estranhado no Bloco das Mocréias, em Ribeirão Pires, quando o evento contou com o trio elétrico da cada parlamentar. Qual será o próximo rounde antes da batalha das urnas, em outubro?

Discurso único
Após desistir da pré-candidatura a deputado federal, para apoiar o ex-prefeito de São Bernardo William Dib (PSDB), o vereador de Santo André Paulinho Serra (PSDB) já começa a adotar discurso semelhante ao de Dib. "Sou um soldado do partido", disse ontem o parlamentar, assim como fala com frequência o ex-chefe do Executivo.

‘Demo' alagado
O vereador de Mauá Manoel Lopes (DEM) ficou irritado com o fato de seu gabinete ter inundado novamente ontem, por conta das chuvas. Mas ele não perdeu o rebolado. Disse que seria homenagem do título de sua escola, Unidos do Sílvia Maria, que tinha como tema Água, o Berço da Vida.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O muro caiu

Na queda de braço entre o presidente da Câmara de Diadema, Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT), e o prefeito Mário Reali

Do Diário do Grande ABC

19/02/2010 | 00:00


Na queda de braço entre o presidente da Câmara de Diadema, Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT), e o prefeito Mário Reali, venceu o parlamentar. Depois de deixar o chefe do Executivo em saia-justa durante visita à Câmara, no dia 11, Maninho conseguiu fazer com que a administração petista derrubasse polêmico muro levantado pelo governo municipal em uma viela do bairro Piraporinha, onde mora o vereador. Na tribuna, o muy aliado do prefeito falou cobras e lagartos da decisão em levantar o muro no local, principalmente porque a população do entorno já estava cobrando providências do vereador, atribuindo a ele a ‘excelente' ideia. Ainda na Câmara, Maninho prometeu que, se o problema não fosse resolvido durante o Carnaval, pegaria uma marreta e derrubaria ele mesmo a mureta. Mas não foi necessário. Na sexta-feira à tarde, funcionários da administração Reali apareceram no local para desfazer a obra. Isso porque, em tese, os dois falam a mesma língua. Imagine se ele fosse da oposição...

Bastidores

Batalha de confetes
Pelo menos no Carnaval, na disputa entre os deputados estaduais rivais Orlando Morando (PSDB-São Bernardo) e Alex Manente (PPS-São Bernardo), quem saiu na frente foi o tucano. Orlando é espécie de ‘padrinho' da escola Mocidade Alegre de São Leopoldo, tricampeã dos desfiles. Quem participa ativamente do dia a dia da Acadêmicos da Vila Vivaldi, que ficou em segundo lugar, é o vereador Ramon Ramos (DEM), ligado ao parlamentar do PPS. Os dois já haviam se estranhado no Bloco das Mocréias, em Ribeirão Pires, quando o evento contou com o trio elétrico da cada parlamentar. Qual será o próximo rounde antes da batalha das urnas, em outubro?

Discurso único
Após desistir da pré-candidatura a deputado federal, para apoiar o ex-prefeito de São Bernardo William Dib (PSDB), o vereador de Santo André Paulinho Serra (PSDB) já começa a adotar discurso semelhante ao de Dib. "Sou um soldado do partido", disse ontem o parlamentar, assim como fala com frequência o ex-chefe do Executivo.

‘Demo' alagado
O vereador de Mauá Manoel Lopes (DEM) ficou irritado com o fato de seu gabinete ter inundado novamente ontem, por conta das chuvas. Mas ele não perdeu o rebolado. Disse que seria homenagem do título de sua escola, Unidos do Sílvia Maria, que tinha como tema Água, o Berço da Vida.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;