Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

É mentira, diz Marinho sobre denúncias

Fábio Rocha/TV Globo/Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Júnior Carvalho

14/09/2018 | 06:47


Candidato do PT ao governo do Estado, o ex-prefeito Luiz Marinho, de São Bernardo, afirmou serem mentirosas acusações de corrupção em seus mandatos (2009-2012 e 2013-2016), como nepotismo e fraudes em licitações. A declaração foi dada ontem, em entrevista concedida pelo petista à Rede Globo.

Questionado sobre os processos pelos quais está envolvido, Marinho evitou explicar as acusações e decidiu criticar o Ministério Público. “O Ministério Público está aí para fazer o seu papel, eu compreendo. Mas eu lamento que o MP não tenha me chamado para (fazer) algum esclarecimento. Peço, portanto, que o Judiciário acelere o processo para eu ter chance de comprovar minha inocência, porque é assim que se trata. (O fato de) Alguém (ser) acusado não significa que ele é culpado”, contemporizou ele.

Marinho é réu pela prática de nepotismo cruzado em ação civil movida pelo MP em 2016. A promotoria viu irregularidades na contratação, em 2015, de Aglaupe Gebara Grana, filha do ex-prefeito Santo André Carlos Grana (PT), então na chefia do Executivo andreense. Aglaupe estava lotada na Secretaria de Comunicação do governo Marinho, enquanto que Sandra Losano Marinho, então cunhada de Luiz Marinho – era companheira de Brás Marinho, irmão do então prefeito –, era servidora comissionada no governo de Carlos Grana. O processo ainda tramita na Justiça de São Bernardo.

Marinho também foi indagado sobre a delação, no âmbito da Operação Lava Jato, do ex-presidente da empreiteira OAS, Léo Pinheiro, que afirmou que a construtora foi favorecida na licitação das obras antienchentes na cidade. O petista foi perguntado ainda sobre as denúncias de desvios na construção do Museu do Trabalhador, no âmbito da Operação Hefesta. “Eu quero garantir que não passa da mais absoluta mentira. E quando eu for chamado, que eu ainda não fui, terei condições de demonstrar e comprovar que não passa de mentira”, salientou. O ex-prefeito de São Bernardo voltou a falar na criação de 2 milhões de emprego. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;