Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ivan entra no Golfo do México com ventos de 260 km/h


Da AFP

14/09/2004 | 15:33


O furacão Ivan entrou nesta terça-feira com ventos de 260 km/h no Golfo do México, ameaçando a costa leste mexicana e as plataformas petroleiras. Desde a última quarta-feira, o Ivan provocou inundações, deslizamentos e danos materiais em várias ilhas do Caribe, além de deixar pelo menos 69 mortos.

Após passar por Cuba, o Ivan seguiu para o sul-sudeste da costa norte do Golfo do México, informou o Centro Nacional de Furacões de Miami, nos Estados Unidos. "O Ivan continua sendo um furacão extremamente perigoso de categoria 5 na escala Saffir-Simpson", afirmou o Centro.

Cuba - Em Cuba, numa mobilização logística impressionante, cerca de 1,7 milhão de pessoas tinham sido evacuadas pela passagem de Ivan. Os primeiros informes de danos elaborados pela Defesa Civil cubana indicaram que o mar penetrou na costa sul de Pinar del Río, afetando os povoados de La Coloma e Cortés, quando foram verificadas destruições de telhados e marés devastadoras e deslizamentos em zonas montanhosas da região leste.

Até esta terça-feira de manhã, não havia informação de perdas de vidas humanas em Cuba, enquanto em Havana continuavam ocorrendo chuvas e ventanias. Nas províncias de Granma e Santiago de Cuba (1.100 km a leste de Havana), foram danificadas umas 500 casas, ao mesmo tempo em que dois povoados estavam incomunicáveis por via terrestre devido a deslizamentos de terras sobre estradas das zonas montanhosas.

Um alerta de furacão continua em vigor para as províncias cubanas de Pinar del Río, Havana, assim como para a cidade de Havana e a Ilha da Juventude, embora o Centro de Furacões tenha indicado que "a maré ciclônica e as ondas devam continuar diminuindo em Cuba".

México - No balneário mexicano de Cancún, que esteve em perigo até que Ivan seguiu rumo noroeste, somente foram registrados leves danos materiais, ventos de pouco menos de 100 km/h e ondas de dois a quatro metros. Na região, foram evacuadas cerca de 5 mil pessoas das ilhas caribenhas de Holbox, Contoy, Ilha Blanca e Palo Bravo, no extremo nordeste da Península de Yucatán.

Outras centenas de moradores foram evacuadas da ilha turística de Cozumel e de localidades costeiras de Quintana Roo e do vizinho Estado de Yucatán. Além disso, as petroleiras Chevron-Texaco, BP e Shell anunciaram a evacuação do pessoal não essencial de suas plataformas no Golfo do México.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ivan entra no Golfo do México com ventos de 260 km/h

Da AFP

14/09/2004 | 15:33


O furacão Ivan entrou nesta terça-feira com ventos de 260 km/h no Golfo do México, ameaçando a costa leste mexicana e as plataformas petroleiras. Desde a última quarta-feira, o Ivan provocou inundações, deslizamentos e danos materiais em várias ilhas do Caribe, além de deixar pelo menos 69 mortos.

Após passar por Cuba, o Ivan seguiu para o sul-sudeste da costa norte do Golfo do México, informou o Centro Nacional de Furacões de Miami, nos Estados Unidos. "O Ivan continua sendo um furacão extremamente perigoso de categoria 5 na escala Saffir-Simpson", afirmou o Centro.

Cuba - Em Cuba, numa mobilização logística impressionante, cerca de 1,7 milhão de pessoas tinham sido evacuadas pela passagem de Ivan. Os primeiros informes de danos elaborados pela Defesa Civil cubana indicaram que o mar penetrou na costa sul de Pinar del Río, afetando os povoados de La Coloma e Cortés, quando foram verificadas destruições de telhados e marés devastadoras e deslizamentos em zonas montanhosas da região leste.

Até esta terça-feira de manhã, não havia informação de perdas de vidas humanas em Cuba, enquanto em Havana continuavam ocorrendo chuvas e ventanias. Nas províncias de Granma e Santiago de Cuba (1.100 km a leste de Havana), foram danificadas umas 500 casas, ao mesmo tempo em que dois povoados estavam incomunicáveis por via terrestre devido a deslizamentos de terras sobre estradas das zonas montanhosas.

Um alerta de furacão continua em vigor para as províncias cubanas de Pinar del Río, Havana, assim como para a cidade de Havana e a Ilha da Juventude, embora o Centro de Furacões tenha indicado que "a maré ciclônica e as ondas devam continuar diminuindo em Cuba".

México - No balneário mexicano de Cancún, que esteve em perigo até que Ivan seguiu rumo noroeste, somente foram registrados leves danos materiais, ventos de pouco menos de 100 km/h e ondas de dois a quatro metros. Na região, foram evacuadas cerca de 5 mil pessoas das ilhas caribenhas de Holbox, Contoy, Ilha Blanca e Palo Bravo, no extremo nordeste da Península de Yucatán.

Outras centenas de moradores foram evacuadas da ilha turística de Cozumel e de localidades costeiras de Quintana Roo e do vizinho Estado de Yucatán. Além disso, as petroleiras Chevron-Texaco, BP e Shell anunciaram a evacuação do pessoal não essencial de suas plataformas no Golfo do México.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;