Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Atacantes esquentam a briga entre os titulares dentro do Santo André

Rodriguinho, Camilo e Wanderley ameaçam a volta de Nunes, que cumpriu suspensão no último jogo do time


Nelson Cilo
Do Diário do Grande ABC

24/11/2009 | 07:00


Sérgio Soares ainda não decidiu se Nunes, que cumpriu suspensão nos 4 a 2 do Santo André contra o Avaí, volta ao time diante do Náutico, domingo, às 17h, no Estádio Bruno Daniel, na penúltima rodada pelo Campeonato Brasileiro. Aparentemente, nem a condição de artilheiro da equipe (dez gols) assegura uma das vagas no esquema ofensivo. O comandante disse que as boas atuações de Rodriguinho, Camilo (marcou dois) e Wanderley (um) serviram para esquentar a briga entre os eventuais titulares. "É do jeito que eu gosto. Prefiro que assim seja na hora do trabalho. Que venham outros problemas como esse", declarou o treinador, durante a entrevista coletiva, ao analisar o desempenho de um setor decisivo para o mais recente resultado.

Camilo sobrou em campo ao chegar duas vezes às redes, mas o técnico não mediu elogios especialmente a quem estava esquecido no ambiente. Segundo ele, Rodriguinho conseguiu participar, direta ou indiretamente, dos lances mais importantes do meio à frente.

"Se eu já estivesse aqui, já o teria escalado bem antes. Ele (Rodriguinho) não ficaria esse tempo todo de fora", afirmou Sérgio Soares, ao mandar um recado indireto àqueles que o antecederam no cargo. "Ele coordenou as nossas principais jogadas nas imediações da área."

Além do centroavante Nunes, Sérgio Soares ganha mais uma alternativa (mas de banco) para encarar o Náutico: o garoto Renato Dias, expulso no Estádio Serra Dourada, que também cumpriu suspensão automática. "Tenho uma semana inteira para ver as minhas opções, mas isso não me preocupa", avisou.

Tanta badalação ao companheiro Rodriguinho não parecia incomodar Camilo que, a exemplo de Wanderley, tumultuou a zaga do Avaí do início ao fim.

Ao comemorar os dois gols, Camilo, emprestado pelo Cruzeiro - acostumado ao Mineirão lotado -, correu até a pista do estádio quase vazio e, de braços levantados, não parava de acenar à Tuda e à Fúria, torcidas organizadas do clube.

"O tamanho do público não mede a emoção de ninguém. Se duas pessoas estiverem lá para te aplaudir, a importância dos gols é a mesma. Ou mais forte, no caso da gente, que luta como nunca para sair dessa. Olha, vou confessar que poucas vezes vibrei tanto na minha carreira", contou Camilo, um dos mais requisitados pela imprensa na coletiva.

Risco de rebaixamento do clube aumenta

Nem a goleada sobre o Avaí (4 a 2) conseguiu aliviar o altíssimo risco de rebaixamento do Santo André à Série B do Campeonato Brasileiro. A exemplo do que ocorre ao Náutico, que surpreendeu o Corinthians e também soma 38 pontos, o professor de Engenharia da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Tristão Garcia, do site Infobola, projeta 99% de chances de queda ao time do técnico Sérgio Soares.

Ambos poderiam alcançar o máximo de 44 - idêntica pontuação do Botafogo-RJ, o primeiro fora da zona de perigo. O Santo André precisaria derrotar o Náutico (rival mais direto) no duelo mortal de domingo e o Inter (dia 6 no Beira-Rio) e torcer para o Botafogo não ganhar mais nada nas duas rodadas finais da temporada nacional. O Santo André ficaria na dependência de outros critérios para o eventual desempate.

Milagre? Na opinião do goleiro Neneca, não adiantaria se ligar na tensa matemática ou secar alguns adversários mais diretos. "Seria pior. Sem essa de aumentar a responsabilidade. Vamos cumprir a nossa parte e depois ver o que aconteceu", disse.

Os números também continuam desfavoráveis ao Fluminense. Apesar da recente reação na tabela, o fantasma crava 54% no Tricolor das Laranjeiras. Em seguida, Botafogo-RJ (20%), Coritiba (16%) e Atlético-PR (12%).

Enquanto isso, persiste o favoritismo do São Paulo ao título. A derrota contra o Botafogo (3 a 2, domingo, no Engenhão) não teve influência para quem viu os rivais do G-4 tropeçarem ou empatarem. Agora, a equipe de Ricardo Gomes mantém 53% de possibilidades contra 32% do Flamengo, 9% do Internacional e somente 6% do ex-líder Palmeiras. (Com Agências)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Atacantes esquentam a briga entre os titulares dentro do Santo André

Rodriguinho, Camilo e Wanderley ameaçam a volta de Nunes, que cumpriu suspensão no último jogo do time

Nelson Cilo
Do Diário do Grande ABC

24/11/2009 | 07:00


Sérgio Soares ainda não decidiu se Nunes, que cumpriu suspensão nos 4 a 2 do Santo André contra o Avaí, volta ao time diante do Náutico, domingo, às 17h, no Estádio Bruno Daniel, na penúltima rodada pelo Campeonato Brasileiro. Aparentemente, nem a condição de artilheiro da equipe (dez gols) assegura uma das vagas no esquema ofensivo. O comandante disse que as boas atuações de Rodriguinho, Camilo (marcou dois) e Wanderley (um) serviram para esquentar a briga entre os eventuais titulares. "É do jeito que eu gosto. Prefiro que assim seja na hora do trabalho. Que venham outros problemas como esse", declarou o treinador, durante a entrevista coletiva, ao analisar o desempenho de um setor decisivo para o mais recente resultado.

Camilo sobrou em campo ao chegar duas vezes às redes, mas o técnico não mediu elogios especialmente a quem estava esquecido no ambiente. Segundo ele, Rodriguinho conseguiu participar, direta ou indiretamente, dos lances mais importantes do meio à frente.

"Se eu já estivesse aqui, já o teria escalado bem antes. Ele (Rodriguinho) não ficaria esse tempo todo de fora", afirmou Sérgio Soares, ao mandar um recado indireto àqueles que o antecederam no cargo. "Ele coordenou as nossas principais jogadas nas imediações da área."

Além do centroavante Nunes, Sérgio Soares ganha mais uma alternativa (mas de banco) para encarar o Náutico: o garoto Renato Dias, expulso no Estádio Serra Dourada, que também cumpriu suspensão automática. "Tenho uma semana inteira para ver as minhas opções, mas isso não me preocupa", avisou.

Tanta badalação ao companheiro Rodriguinho não parecia incomodar Camilo que, a exemplo de Wanderley, tumultuou a zaga do Avaí do início ao fim.

Ao comemorar os dois gols, Camilo, emprestado pelo Cruzeiro - acostumado ao Mineirão lotado -, correu até a pista do estádio quase vazio e, de braços levantados, não parava de acenar à Tuda e à Fúria, torcidas organizadas do clube.

"O tamanho do público não mede a emoção de ninguém. Se duas pessoas estiverem lá para te aplaudir, a importância dos gols é a mesma. Ou mais forte, no caso da gente, que luta como nunca para sair dessa. Olha, vou confessar que poucas vezes vibrei tanto na minha carreira", contou Camilo, um dos mais requisitados pela imprensa na coletiva.

Risco de rebaixamento do clube aumenta

Nem a goleada sobre o Avaí (4 a 2) conseguiu aliviar o altíssimo risco de rebaixamento do Santo André à Série B do Campeonato Brasileiro. A exemplo do que ocorre ao Náutico, que surpreendeu o Corinthians e também soma 38 pontos, o professor de Engenharia da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Tristão Garcia, do site Infobola, projeta 99% de chances de queda ao time do técnico Sérgio Soares.

Ambos poderiam alcançar o máximo de 44 - idêntica pontuação do Botafogo-RJ, o primeiro fora da zona de perigo. O Santo André precisaria derrotar o Náutico (rival mais direto) no duelo mortal de domingo e o Inter (dia 6 no Beira-Rio) e torcer para o Botafogo não ganhar mais nada nas duas rodadas finais da temporada nacional. O Santo André ficaria na dependência de outros critérios para o eventual desempate.

Milagre? Na opinião do goleiro Neneca, não adiantaria se ligar na tensa matemática ou secar alguns adversários mais diretos. "Seria pior. Sem essa de aumentar a responsabilidade. Vamos cumprir a nossa parte e depois ver o que aconteceu", disse.

Os números também continuam desfavoráveis ao Fluminense. Apesar da recente reação na tabela, o fantasma crava 54% no Tricolor das Laranjeiras. Em seguida, Botafogo-RJ (20%), Coritiba (16%) e Atlético-PR (12%).

Enquanto isso, persiste o favoritismo do São Paulo ao título. A derrota contra o Botafogo (3 a 2, domingo, no Engenhão) não teve influência para quem viu os rivais do G-4 tropeçarem ou empatarem. Agora, a equipe de Ricardo Gomes mantém 53% de possibilidades contra 32% do Flamengo, 9% do Internacional e somente 6% do ex-líder Palmeiras. (Com Agências)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;