Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 23 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Aluno de 12 anos ganha prêmio de Física


Camila Galvez
Do Diário do Grande ABC

04/05/2011 | 07:12


Gabriel Dante Cawamura Seppelfelt tem 12 anos e um par de óculos sobre os olhos puxados que herdou da mãe, a bancária Alice Rumiko Cawamura, 49. Quando sorri, as bochechas saltam em seu rosto. Sua voz é tímida e baixa, mas não hesita ao dizer: "Gosto mesmo é de fazer cálculos".

O estudante da Emef (Escola de Ensino Fundamental) Leandro Klein, de São Caetano, conquistou neste mês a medalha de ouro na Olimpíada Paulista de Física 2010 (categoria 6º ano). Ele concorreu com estudantes de escolas públicas e particulares de todo o Estado de São Paulo. Gabriel também levou para casa o prêmio de Melhor Aluno das Escolas Públicas do Estado.

O incentivo partiu da própria escola, que montou um grupo de estudos no contraturno das aulas do menino.

A professora de Ciências Carina Kelly da Costa foi quem ensinou Física a Gabriel. "Ele aprende muito rápido e ainda ajuda os colegas", contou.

Não é só na escola que Gabriel brinca de ser professor. Em casa, o irmão mais novo, Henrique, 5, também é aluno. "Ele dá aulas para o irmão na lousa que demos para ele", afirmou a mãe. O quadro negro, aliás, foi pedido do próprio Gabriel, que fez questão de usar o convencional, no qual se escreve com giz.

Os pais incentivam o filho em tudo. "No dia em que ele ficou sabendo do grupo de Física, veio perguntar para mim o que era. Eu disse que era uma matéria com muitas fórmulas, muita Matemática. Ele se interessou na hora", comentou o pai, o instrumentista eletrônico Paulo Pedro Seppelfelt, 52.

A medalha da Olimpíada de Física não é a única que Gabriel conquistou: ele também trouxe honrarias das olimpíadas de Astronomia e Astronáutica e Matemática. "Tem alguns meninos da minha idade, mas a maioria é mais velha", afirmou o aluno.

Os pais fazem questão de garantir espaço para a brincadeira na vida do menino. "Ele estuda de manhã e passa a tarde no grupo de estudos duas vezes por semana. Os outros dias ele usa para fazer as lições, estudar e brincar, porque a brincadeira é importante para o aprendizado", avaliou Alice.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;