Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Mosley afirma que é a FIA quem dita as regras


Do Diário do Grande ABC

04/06/2009 | 07:00


O presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), Max Mosley, parece não estar disposto a aceitar as modificações propostas pelas equipes para a temporada 2010.

Mosley declarou ontem que as exigências da Fota (sigla em inglês para Associação das Equipes de Fórmula 1) são irreais e salientou que é a FIA quem dita as regras do esporte. "Fazemos as regras. Nós temos feito isso há 60 anos e vamos continuar fazendo", afirmou à revista suíça Motorsport Aktuell.

As equipes exigiram a retirada do teto orçamentário de 40 milhões de libras (cerca de R$ 128 milhões), assinatura de um novo Pacto de Concórdia até 2012 e o plano de redução de custos proposto pelas escuderias.

Apesar das divergências, Mosley espera chegar a acordo com as equipes que disputam a Fórmula 1.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mosley afirma que é a FIA quem dita as regras

Do Diário do Grande ABC

04/06/2009 | 07:00


O presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), Max Mosley, parece não estar disposto a aceitar as modificações propostas pelas equipes para a temporada 2010.

Mosley declarou ontem que as exigências da Fota (sigla em inglês para Associação das Equipes de Fórmula 1) são irreais e salientou que é a FIA quem dita as regras do esporte. "Fazemos as regras. Nós temos feito isso há 60 anos e vamos continuar fazendo", afirmou à revista suíça Motorsport Aktuell.

As equipes exigiram a retirada do teto orçamentário de 40 milhões de libras (cerca de R$ 128 milhões), assinatura de um novo Pacto de Concórdia até 2012 e o plano de redução de custos proposto pelas escuderias.

Apesar das divergências, Mosley espera chegar a acordo com as equipes que disputam a Fórmula 1.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;