Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Justiça Eleitoral indefere candidatura de Donisete

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Problemas com filiados e convenção do Pros contaminam coligação do ex-prefeito de Mauá


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

20/10/2020 | 00:01


A Justiça Eleitoral de Mauá indeferiu ontem o pedido de registro de candidatura do ex-prefeito de Mauá e prefeiturável pelo PDT, Donisete Braga. O revés se deu por problemas com a documentação do Pros, partido coligado com o projeto, e que contaminou toda a chapa. O pedetista antecipou que a sigla deixará a aliança.

O juiz Marcos Alexandre Santos Ambrogi, da 217ª Zona Eleitoral, elencou série de inconsistências no cumprimento de requisitos legais por parte do Pros, como ausência de comprovação da convenção. O magistrado constatou ainda que a sigla sequer conseguiu provar que os candidatos a vereador pelo partido estão de fato filiados à legenda. O juiz citou que, na lista de presença da suposta convenção do Pros, apenas uma pessoa está regularmente nas fileiras do partido.

“Segundo o artigo 87º do Código Eleitoral, só podem concorrer às eleições os candidatos que estiverem filiados a um partido político. Uma vez que cada partido político possui inúmeros filiados, é necessário escolher entre eles, em convenção partidária, os que serão candidatos a cargos eletivos. No caso, ausente convenção válida, na medida em que comprovada a filiação de apenas um participante. A irregularidade é insanável”, diz trecho da sentença.

Ambrogi conclui que a coligação encabeçada por Donisete fica indeferida por conta do princípio da “indivisibilidade das chapas formadas”.

Por meio de nota, a campanha de Donisete comunicou a saída do Pros da coligação. “Um problema administrativo de um partido coligado deverá fazer com que ele tenha que sair da coligação. Estamos oficializando a saída do partido da coligação para darmos continuidade ao trabalho da campanha de Donisete com todos os pré-requisitos exigidos pela lei”. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Justiça Eleitoral indefere candidatura de Donisete

Problemas com filiados e convenção do Pros contaminam coligação do ex-prefeito de Mauá

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

20/10/2020 | 00:01


A Justiça Eleitoral de Mauá indeferiu ontem o pedido de registro de candidatura do ex-prefeito de Mauá e prefeiturável pelo PDT, Donisete Braga. O revés se deu por problemas com a documentação do Pros, partido coligado com o projeto, e que contaminou toda a chapa. O pedetista antecipou que a sigla deixará a aliança.

O juiz Marcos Alexandre Santos Ambrogi, da 217ª Zona Eleitoral, elencou série de inconsistências no cumprimento de requisitos legais por parte do Pros, como ausência de comprovação da convenção. O magistrado constatou ainda que a sigla sequer conseguiu provar que os candidatos a vereador pelo partido estão de fato filiados à legenda. O juiz citou que, na lista de presença da suposta convenção do Pros, apenas uma pessoa está regularmente nas fileiras do partido.

“Segundo o artigo 87º do Código Eleitoral, só podem concorrer às eleições os candidatos que estiverem filiados a um partido político. Uma vez que cada partido político possui inúmeros filiados, é necessário escolher entre eles, em convenção partidária, os que serão candidatos a cargos eletivos. No caso, ausente convenção válida, na medida em que comprovada a filiação de apenas um participante. A irregularidade é insanável”, diz trecho da sentença.

Ambrogi conclui que a coligação encabeçada por Donisete fica indeferida por conta do princípio da “indivisibilidade das chapas formadas”.

Por meio de nota, a campanha de Donisete comunicou a saída do Pros da coligação. “Um problema administrativo de um partido coligado deverá fazer com que ele tenha que sair da coligação. Estamos oficializando a saída do partido da coligação para darmos continuidade ao trabalho da campanha de Donisete com todos os pré-requisitos exigidos pela lei”. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;