Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

FSA contrata empresa para organizar concurso

Seleção anterior, promovida pela instituição, teve o reitor aprovado em 1º em etapa inicial


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

02/04/2019 | 07:00


 A FSA (Fundação Santo André) lançou edital para concurso público organizado pelo IBCF (Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação). Serão ofertadas 38 vagas (duas para pessoas com deficiência) e três cadastros reservas, para cargos de níveis técnicos e administrativos. Diferentemente do certame anterior, promovido pela própria instituição e com prazo de apenas sete dias para inscrição, nesta seleção os candidatos terão até o dia 29 de abril para se cadastrar.

Em 23 de março, o Diário revelou que a FSA promoveu concurso para professores e o atual reitor, Francisco Milreu, fez parte da disputa e se classificou em primeiro lugar na etapa inicial. Especialista em direito empresarial, o advogado Marcelo Artuni apontou, à época, que a participação do reitor era “imoral”. Sobre o atual concurso, promovido por empresa externa, Artuni avaliou que esse é o procedimento que deveria ter sido seguido no certame anterior. “É o mais correto a se fazer.”

Questionada sobre a mudança no procedimento a FSA informou, por meio de nota, que “em função de sua recente revitalização e em meio ao processo de provimento de empregos públicos tem realizado sucessivos concursos públicos, na medida em que as demandas de ordem interna se apresentam”.

BANCA

O Diário solicitou os nomes dos integrantes da banca avaliadora do concurso que foi prestado pelo reitor, mas a FSA informou que a relação só será publicada na conclusão do certame, previsto para hoje. O edital previa que qualquer vínculo profissional, pessoal ou acadêmico do integrante com os candidatos impediria a sua participação. Na avaliação de Artuni, os nomes deveriam ter sido divulgados no decorrer do concurso, para garantir a transparência. “Divulgar depois só aumenta a desconfiança”, afirmou.

Sobre a participação de Milreu – que chegou a ser alvo de sindicância sob suspeita de não ter se submetido a concurso público para sua admissão, confessou esse fato ao Diário em 2018 e posteriormente voltou atrás, sem apresentar documentos comprobatórios – a FSA alegou que como qualquer cidadão, o reitor teria o direito de entrar na disputa. 

O Ministério Público instaurou inquérito civil para apurar irregularidades e a Câmara ingressou CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;