Fechar
Publicidade

Sábado, 31 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Santos bobeia e não evita jogo da volta

Time abre 2 a 0 em assistências de Neymar, mas permite empate do Flamengo-PI


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

11/04/2013 | 07:00


Nem mesmo as duas belas assistências de Neymar ou o gol do argentino Montillo foram suficientes para o Santos eliminar o Flamengo-PI, ontem à noite, em Teresina, na estreia das equipes pela Copa do Brasil. Até certo momento, o Peixe conseguia triunfo parcial por dois gols de diferença. No entanto, permitiu a igualdade dos donos da casa (2 a 2) e, assim, a definição de quem avança ficará para a partida na Vila Belmiro, na quarta-feira.

O time santista foi a campo com o que tinha de melhor. A única ausência foi a de Arouca, que se recupera de lesão. Mas quem fez mesmo falta não fica em campo, mas à beira dele. Muricy Ramalho, em recuperação de problemas abdominais que o levaram a ser internado, sequer foi ao Piauí e cedeu lugar ao auxiliar Tata.

Com Neymar e Montillo como principais responsáveis pela criação e conclusão das jogadas, não demorou para o Santos tomar conta do jogo. Aliás, não só isso, como também para abrir o placar. Aos 26 minutos, Neymar deu toque de calcanhar e deixou Giva na cara do gol. O atacante teve calma para driblar o goleiro e fazer 1 a 0.

Quatro minutos depois, o segundo do Alvinegro. Neymar cruzou da esquerda e Montillo, livre de marcação, deu toque de cabeça para encobrir Robson: 2 a 0.

Instantaneamente o Peixe parecia satisfeito com o resultado e passou a valorizar demais a posse de bola, sem objetividade. E o Flamengo logo aproveitou. Aos 33, após Rafael cometer pênalti sobre Lúcio, Edson Di cobrou e converteu.

Antes do intervalo, o Santos ainda desperdiçou chance clara com Giva, mas na volta para o segundo tempo o time da casa seguiu em busca da igualdade. E a alcançou, aos dez minutos, em cobrança de falta de Edson Di que desviou na barreira e entrou no ângulo: 2 a 2.

O jogo mudou de cenário a partir daí. Os piauienses se mostravam bastante satisfeitos em adiar a decisão para Santos. Mas para o Peixe não era o cenário ideal. Foi aí que faltou calma e o excesso de preciosismo prejudicou.

Um verdadeiro festival de oportunidades desperdiçadas e, inclusive, um gol anulado de Giva - a arbitragem marcou toque de mão de Neymar. Aliás, o próprio camisa 11 errou no mínimo três chances claras de deixar o Santos em vantagem - teve ainda outro gol anulado, impedido. Mas os dois gols marcados fora já deixam o time em boa situação.

 

Mesmo de longe, Muricy comemora dois anos no clube

O técnico Muricy Ramalho é exceção à regra no momento do futebol brasileiro. Isso porque ontem comemorou dois anos à frente do Santos. Sua estreia no comando do Peixe foi em 10 de abril de 2011, em empate sem gols diante do extinto Americana. Enquanto o time jogava no Piauí, o comandante seguia em recuperação após ser internado na sexta-feira com dores abdominais - já recebeu alta.

E, mesmo de longe, o treinador celebrou a marca. "O Santos é um grande clube e só tenho a agradecer a todos que fazem parte dessa história. No futebol brasileiro é assim. Para se manter muito tempo no cargo é preciso vitórias e títulos. São quatro em dois anos. Me sinto muito bem aqui e temos a esperança de conquistar muito mais, pois o Santos dá toda a estrutura necessária para trabalharmos", destacou Muricy.

Neste tempo, o técnico conquistou dois Paulistões, uma Libertadores e uma Recopa Sul-Americana.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santos bobeia e não evita jogo da volta

Time abre 2 a 0 em assistências de Neymar, mas permite empate do Flamengo-PI

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

11/04/2013 | 07:00


Nem mesmo as duas belas assistências de Neymar ou o gol do argentino Montillo foram suficientes para o Santos eliminar o Flamengo-PI, ontem à noite, em Teresina, na estreia das equipes pela Copa do Brasil. Até certo momento, o Peixe conseguia triunfo parcial por dois gols de diferença. No entanto, permitiu a igualdade dos donos da casa (2 a 2) e, assim, a definição de quem avança ficará para a partida na Vila Belmiro, na quarta-feira.

O time santista foi a campo com o que tinha de melhor. A única ausência foi a de Arouca, que se recupera de lesão. Mas quem fez mesmo falta não fica em campo, mas à beira dele. Muricy Ramalho, em recuperação de problemas abdominais que o levaram a ser internado, sequer foi ao Piauí e cedeu lugar ao auxiliar Tata.

Com Neymar e Montillo como principais responsáveis pela criação e conclusão das jogadas, não demorou para o Santos tomar conta do jogo. Aliás, não só isso, como também para abrir o placar. Aos 26 minutos, Neymar deu toque de calcanhar e deixou Giva na cara do gol. O atacante teve calma para driblar o goleiro e fazer 1 a 0.

Quatro minutos depois, o segundo do Alvinegro. Neymar cruzou da esquerda e Montillo, livre de marcação, deu toque de cabeça para encobrir Robson: 2 a 0.

Instantaneamente o Peixe parecia satisfeito com o resultado e passou a valorizar demais a posse de bola, sem objetividade. E o Flamengo logo aproveitou. Aos 33, após Rafael cometer pênalti sobre Lúcio, Edson Di cobrou e converteu.

Antes do intervalo, o Santos ainda desperdiçou chance clara com Giva, mas na volta para o segundo tempo o time da casa seguiu em busca da igualdade. E a alcançou, aos dez minutos, em cobrança de falta de Edson Di que desviou na barreira e entrou no ângulo: 2 a 2.

O jogo mudou de cenário a partir daí. Os piauienses se mostravam bastante satisfeitos em adiar a decisão para Santos. Mas para o Peixe não era o cenário ideal. Foi aí que faltou calma e o excesso de preciosismo prejudicou.

Um verdadeiro festival de oportunidades desperdiçadas e, inclusive, um gol anulado de Giva - a arbitragem marcou toque de mão de Neymar. Aliás, o próprio camisa 11 errou no mínimo três chances claras de deixar o Santos em vantagem - teve ainda outro gol anulado, impedido. Mas os dois gols marcados fora já deixam o time em boa situação.

 

Mesmo de longe, Muricy comemora dois anos no clube

O técnico Muricy Ramalho é exceção à regra no momento do futebol brasileiro. Isso porque ontem comemorou dois anos à frente do Santos. Sua estreia no comando do Peixe foi em 10 de abril de 2011, em empate sem gols diante do extinto Americana. Enquanto o time jogava no Piauí, o comandante seguia em recuperação após ser internado na sexta-feira com dores abdominais - já recebeu alta.

E, mesmo de longe, o treinador celebrou a marca. "O Santos é um grande clube e só tenho a agradecer a todos que fazem parte dessa história. No futebol brasileiro é assim. Para se manter muito tempo no cargo é preciso vitórias e títulos. São quatro em dois anos. Me sinto muito bem aqui e temos a esperança de conquistar muito mais, pois o Santos dá toda a estrutura necessária para trabalharmos", destacou Muricy.

Neste tempo, o técnico conquistou dois Paulistões, uma Libertadores e uma Recopa Sul-Americana.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;