Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

TV colombiana diz ter sido censurada na Venezuela



14/02/2014 | 01:23


O canal de notícias colombiano NTN24, com sede em Bogotá, denunciou que as autoridades das telecomunicações da Venezuela cortaram o sinal do canal. Desde a véspera a programação está fora do ar.

Em comunicado, a NTN24 informou que enquanto transmitiam os protestos em Caracas ao vivo, o sinal foi retirado e horas depois se soube que a motivação do corte foi a emissão de uma resolução da Comissão Nacional de Telecomunicações da Venezuela, o órgão regulador do setor. A resolução ordenava ao operador de TV Direct "a eliminação do NTN24 de sua grade de programação", disse a rede colombiana.

Idania Chirinos, diretora de conteúdo da NTN24, afirmou em entrevista por telefone à Associated Press que ainda não obteve a resolução, mas que pelo se sabe a televisão foi acusada de incitar a violência. "Estávamos transmitindo exatamente o que estava acontecendo nas ruas. Ou seja, não é por tirar um canal do ar que se eliminar a realidade, você pode eliminar um canal, mas não a realidade."

Chirinos considerou a medida como uma nova censura no país, que conta com a Lei de Responsabilidade Social nos meios de comunicação, na qual se proíbe a "difusão de conteúdos que façam apologia ao ódio ou à violência".

A Associação Nacional de Jornalistas expressou preocupação sobre a atitude do governo. Em comunicado, afirmaram que a retirada do sinal da NTN24 é um "atropelamento inaceitável ao direito da informação".

A rede colombiano disse que os telespectadores podem continuar a seguir o canal na internet. Na conta oficial do Twitter o canal convidou as outras redes que estiverem interessadas em retransmitir o sinal ao vivo da NTN24 para entrarem em contato. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

TV colombiana diz ter sido censurada na Venezuela


14/02/2014 | 01:23


O canal de notícias colombiano NTN24, com sede em Bogotá, denunciou que as autoridades das telecomunicações da Venezuela cortaram o sinal do canal. Desde a véspera a programação está fora do ar.

Em comunicado, a NTN24 informou que enquanto transmitiam os protestos em Caracas ao vivo, o sinal foi retirado e horas depois se soube que a motivação do corte foi a emissão de uma resolução da Comissão Nacional de Telecomunicações da Venezuela, o órgão regulador do setor. A resolução ordenava ao operador de TV Direct "a eliminação do NTN24 de sua grade de programação", disse a rede colombiana.

Idania Chirinos, diretora de conteúdo da NTN24, afirmou em entrevista por telefone à Associated Press que ainda não obteve a resolução, mas que pelo se sabe a televisão foi acusada de incitar a violência. "Estávamos transmitindo exatamente o que estava acontecendo nas ruas. Ou seja, não é por tirar um canal do ar que se eliminar a realidade, você pode eliminar um canal, mas não a realidade."

Chirinos considerou a medida como uma nova censura no país, que conta com a Lei de Responsabilidade Social nos meios de comunicação, na qual se proíbe a "difusão de conteúdos que façam apologia ao ódio ou à violência".

A Associação Nacional de Jornalistas expressou preocupação sobre a atitude do governo. Em comunicado, afirmaram que a retirada do sinal da NTN24 é um "atropelamento inaceitável ao direito da informação".

A rede colombiano disse que os telespectadores podem continuar a seguir o canal na internet. Na conta oficial do Twitter o canal convidou as outras redes que estiverem interessadas em retransmitir o sinal ao vivo da NTN24 para entrarem em contato. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;