Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

STJ nega indenização por desapropriação na Serra do Mar


Do Diário OnLine

22/03/2002 | 10:47


A 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça negou um pedido de indenização milionária envolvendo o Parque Estadual da Serra do Mar. As empresas Itaguaré - Agrícola e Industrial S/A e Custódia Maria Terezinha de Augustinis Stabil entraram em juízo contra a Fazenda do Estado de São Paulo, alegando desapropriação indireta devido à criação da reserva ambiental.

Os imóveis estão situados em Bertioga, no litoral Norte de São Paulo, e são cortados pela rodovia Rio-Santos. As empresas ajuizaram uma ação indenizatória alegando que desde sua aquisição, sempre protegeram a área visando à implantação de projetos turísticos e de reflorestamento.

Durante vistoria da área, o perito oficial atribuiu uma indenização de R$ 40.051.843,65, cálculo estabelecido em 1997. O assistente técnico das empresas avaliou em R$ 49.117.740, 24. Em contrapartida, o assistente técnico da Fazenda do Estado avaliou a área em R$ 4.719.524,00.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

STJ nega indenização por desapropriação na Serra do Mar

Do Diário OnLine

22/03/2002 | 10:47


A 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça negou um pedido de indenização milionária envolvendo o Parque Estadual da Serra do Mar. As empresas Itaguaré - Agrícola e Industrial S/A e Custódia Maria Terezinha de Augustinis Stabil entraram em juízo contra a Fazenda do Estado de São Paulo, alegando desapropriação indireta devido à criação da reserva ambiental.

Os imóveis estão situados em Bertioga, no litoral Norte de São Paulo, e são cortados pela rodovia Rio-Santos. As empresas ajuizaram uma ação indenizatória alegando que desde sua aquisição, sempre protegeram a área visando à implantação de projetos turísticos e de reflorestamento.

Durante vistoria da área, o perito oficial atribuiu uma indenização de R$ 40.051.843,65, cálculo estabelecido em 1997. O assistente técnico das empresas avaliou em R$ 49.117.740, 24. Em contrapartida, o assistente técnico da Fazenda do Estado avaliou a área em R$ 4.719.524,00.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;