Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Esquerda mexicana seguirá governando a capital do país


Da AFP

28/06/2006 | 17:56


A Cidade do México, o mais importante baluarte eleitoral da esquerda mexicana, manterá o PRD (Partido da Revolução Democrática) no poder durante os próximos seis anos, segundo as pesquisas relacionadas às eleições de domingo, 2 de julho.

Além das presidenciais e legislativas (Congresso), os eleitores da capital, e dos estados de Morelos (centro), Jalisco (oeste) e Guanajuato (noroeste) renovam seus governantes no próximo domingo.

Na capital (com nove milhões de habitantes, sem contar a parte comum com o estado do México), o PRD governa desde 1997.

Seu candidato, Marcelo Ebrard, chega com vantagem arrasadora de pelo menos 25 pontos sobre os adversários. A candidatura dele é defendida por Andrés Manuel López Obrador, o ex-prefeito e candidato presidencial.

A campanha pela prefeitura vem sendo discreta mas, na propaganda na televisão, a oposição apresenta como ponto débil do governo do PRD o alto índice de insegurança.

Ebrard, que foi chefe de polícia mas terminou destituído pelo presidente Vicente Fox, tem como proposta criar a "polícia de bairro" com 20 mil novos elementos, profissionalizar as forças da ordem e criar numerosos grupos especiais para atender diferentes setores da população.

Segue a Ebrard outro candidato Demetrio Sodi, polêmico veterano da política que militou no Partido Revolucionário Institucional (PRI, 71 anos no poder), passando pelo PRD, até optar pelo PAN (Plano de Ação Nacional) em protesto contra a imposição de Ebrard como candidato.

Beatriz Paredes, uma política experiente do PRI que foi líder do Congresso federal (2000-2003), se apresenta em terceiro lugar.

No estado natal do presidente Vicente Fox, o candidato do PAN, José Manuel Oliva, conta com ampla vantagem de 25 pontos.

Em Jalisco (oeste, 6,33 milhões de habitantes), cuja capital, Guadalajara, é a segunda cidade do país, o PRI ameaça recuperar esta importante base eleitoral que o PAN arrebatou-lhe há doze anos.

Segundo uma pesquisa da Demotecnia de 23 de junho passado, o candidato do PRI, Arturo Zamora, conta com 46% das intenções de voto, contra 41% dados ao aspirante do PAN, Emilio González, que acusa o rival do PRI, sem muito sucesso, de envolvimento com o narcotráfico.

Em Morelos (centro, 1,55 milhão), governado pelo PAN, o candidato da situação também poderá ser derrotado por Fernando Martínez, de uma aliança liderada pelo PRD.

Em maio de 1998, um governador do PRI, Jorge Carrillo, renunciou ao cargo depois de ser relacionado com um perigoso seqüestrador.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Esquerda mexicana seguirá governando a capital do país

Da AFP

28/06/2006 | 17:56


A Cidade do México, o mais importante baluarte eleitoral da esquerda mexicana, manterá o PRD (Partido da Revolução Democrática) no poder durante os próximos seis anos, segundo as pesquisas relacionadas às eleições de domingo, 2 de julho.

Além das presidenciais e legislativas (Congresso), os eleitores da capital, e dos estados de Morelos (centro), Jalisco (oeste) e Guanajuato (noroeste) renovam seus governantes no próximo domingo.

Na capital (com nove milhões de habitantes, sem contar a parte comum com o estado do México), o PRD governa desde 1997.

Seu candidato, Marcelo Ebrard, chega com vantagem arrasadora de pelo menos 25 pontos sobre os adversários. A candidatura dele é defendida por Andrés Manuel López Obrador, o ex-prefeito e candidato presidencial.

A campanha pela prefeitura vem sendo discreta mas, na propaganda na televisão, a oposição apresenta como ponto débil do governo do PRD o alto índice de insegurança.

Ebrard, que foi chefe de polícia mas terminou destituído pelo presidente Vicente Fox, tem como proposta criar a "polícia de bairro" com 20 mil novos elementos, profissionalizar as forças da ordem e criar numerosos grupos especiais para atender diferentes setores da população.

Segue a Ebrard outro candidato Demetrio Sodi, polêmico veterano da política que militou no Partido Revolucionário Institucional (PRI, 71 anos no poder), passando pelo PRD, até optar pelo PAN (Plano de Ação Nacional) em protesto contra a imposição de Ebrard como candidato.

Beatriz Paredes, uma política experiente do PRI que foi líder do Congresso federal (2000-2003), se apresenta em terceiro lugar.

No estado natal do presidente Vicente Fox, o candidato do PAN, José Manuel Oliva, conta com ampla vantagem de 25 pontos.

Em Jalisco (oeste, 6,33 milhões de habitantes), cuja capital, Guadalajara, é a segunda cidade do país, o PRI ameaça recuperar esta importante base eleitoral que o PAN arrebatou-lhe há doze anos.

Segundo uma pesquisa da Demotecnia de 23 de junho passado, o candidato do PRI, Arturo Zamora, conta com 46% das intenções de voto, contra 41% dados ao aspirante do PAN, Emilio González, que acusa o rival do PRI, sem muito sucesso, de envolvimento com o narcotráfico.

Em Morelos (centro, 1,55 milhão), governado pelo PAN, o candidato da situação também poderá ser derrotado por Fernando Martínez, de uma aliança liderada pelo PRD.

Em maio de 1998, um governador do PRI, Jorge Carrillo, renunciou ao cargo depois de ser relacionado com um perigoso seqüestrador.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;