Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Sem acordo, Dersa para obra de viaduto no Capuava

Empresa só retoma construção após receber autorização da Prefeitura


Angela Martins
Do Diário do Grande ABC

14/12/2011 | 07:00


A construção de viaduto de 800 metros de extensão no bairro Capuava, na divisa de Santo André com Mauá, foi paralisada pela Dersa. Reivindicação antiga de moradores, trabalhadores e empresários, o elevado irá transpor a linha férrea e ligar as avenidas Comendador Wolters e dos Estados, além de acabar com um dos maiores entraves para motoristas que usam as vias: a passagem em nível na Estação Capuava. A interrupção nas obras do lado de Santo André foi pedida pela Prefeitura, sob alegação de que o projeto tratado inicialmente teria sido modificado.

Segundo a empresa, não há como dar continuidade às obras sem a liberação da Prefeitura. "Em razão disso, a Dersa continua tentando entendimento com os representantes da municipalidade em busca de solução para a questão." No entanto, nenhuma reunião foi marcada.

A construção do viaduto, que faz parte da ligação da Avenida dos Estados com a Jacu-Pêssego e o Rodoanel, teve início em junho. Mas a novela do projeto já dura 21 anos. Fundamental para desatar o nó viário naquela área, o item visitou constantemente a pauta de reivindicações do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC. Até mesmo o ministro dos Transportes em 2005, Alfredo Nascimento, prometeu ao prefeito interino de Mauá à época, Diniz Lopes, construir o elevado, que custaria R$ 12 milhões.

O viaduto eliminaria a passagem em nível na Avenida Manuel da Nóbrega, ao lado da estação ferroviária. Nos horários de pico, a travessia pela cancela chega a demorar uma hora. Considerada um dos principais gargalos do trânsito na região, a passagem é estreita, o que causa longos congestionamentos, sobretudo porque aquela região abriga importante polo industrial.

A Prefeitura de Santo André informa que foram analisadas as modificações no projeto e encaminhado parecer técnico com sugestões para melhoria das condições de circulação no complexo viário. A administração municipal, no entanto, não especificou prazo para apresentar as sugestões à Dersa.

BINÁRIO 

Além do elevado, o projeto inclui a construção de binário entre as avenidas Rosa Kasinski e Alberto Soares Sampaio, em Mauá. Atualmente, o motorista que precisa chegar à Avenida dos Estados deve utilizar a congestionada Alberto Soares Sampaio, que é mão dupla. Com as intervenções prontas, cada avenida terá sentido único de circulação e agilizará o tráfego, pois não haverá semáforos. De acordo com a Dersa, as obras do binário seguem normalmente.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sem acordo, Dersa para obra de viaduto no Capuava

Empresa só retoma construção após receber autorização da Prefeitura

Angela Martins
Do Diário do Grande ABC

14/12/2011 | 07:00


A construção de viaduto de 800 metros de extensão no bairro Capuava, na divisa de Santo André com Mauá, foi paralisada pela Dersa. Reivindicação antiga de moradores, trabalhadores e empresários, o elevado irá transpor a linha férrea e ligar as avenidas Comendador Wolters e dos Estados, além de acabar com um dos maiores entraves para motoristas que usam as vias: a passagem em nível na Estação Capuava. A interrupção nas obras do lado de Santo André foi pedida pela Prefeitura, sob alegação de que o projeto tratado inicialmente teria sido modificado.

Segundo a empresa, não há como dar continuidade às obras sem a liberação da Prefeitura. "Em razão disso, a Dersa continua tentando entendimento com os representantes da municipalidade em busca de solução para a questão." No entanto, nenhuma reunião foi marcada.

A construção do viaduto, que faz parte da ligação da Avenida dos Estados com a Jacu-Pêssego e o Rodoanel, teve início em junho. Mas a novela do projeto já dura 21 anos. Fundamental para desatar o nó viário naquela área, o item visitou constantemente a pauta de reivindicações do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC. Até mesmo o ministro dos Transportes em 2005, Alfredo Nascimento, prometeu ao prefeito interino de Mauá à época, Diniz Lopes, construir o elevado, que custaria R$ 12 milhões.

O viaduto eliminaria a passagem em nível na Avenida Manuel da Nóbrega, ao lado da estação ferroviária. Nos horários de pico, a travessia pela cancela chega a demorar uma hora. Considerada um dos principais gargalos do trânsito na região, a passagem é estreita, o que causa longos congestionamentos, sobretudo porque aquela região abriga importante polo industrial.

A Prefeitura de Santo André informa que foram analisadas as modificações no projeto e encaminhado parecer técnico com sugestões para melhoria das condições de circulação no complexo viário. A administração municipal, no entanto, não especificou prazo para apresentar as sugestões à Dersa.

BINÁRIO 

Além do elevado, o projeto inclui a construção de binário entre as avenidas Rosa Kasinski e Alberto Soares Sampaio, em Mauá. Atualmente, o motorista que precisa chegar à Avenida dos Estados deve utilizar a congestionada Alberto Soares Sampaio, que é mão dupla. Com as intervenções prontas, cada avenida terá sentido único de circulação e agilizará o tráfego, pois não haverá semáforos. De acordo com a Dersa, as obras do binário seguem normalmente.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;