Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Ouro para o Brasil, uma cena nacional em São Bernardo

Mil novecentos e sessenta e quatro. A campanha Ouro para o bem do Brasil chega também a São Bernardo.


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

21/08/2010 | 00:00


Mil novecentos e sessenta e quatro. A campanha Ouro para o bem do Brasil chega também a São Bernardo. E o jornalista Hermano Pini Filho, correspondente de O Estado de S. Paulo, registra o fato com as três fotos de hoje. A campanha foi lançada logo depois do golpe de 31 de março; o presidente era o Castelo Branco. Em crônica, Hermano relembra algo que foi febre na ocasião, quase meio século atrás. E faz uma boa pergunta: o que se fez com a riqueza arrecadada?

Da Dulcora a uma história do Brasil Colônia
Texto: Hermano Pini Filho

Sugeria-se que as pessoas, sendo casadas, dessem a aliança de ouro em troca de outra, de metal barato, com a gravação Doei ouro para o bem do Brasil - 1964. Muitos fizeram isso, mas houve quem doasse colares, brincos e outros objetos de ouro. Dinheiro também, informou-se na ocasião.

Foi amplo o incentivo à campanha dado pelo paraibano Assis Chateaubriand (Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Mello - 1891/1968) dono dos Diários Associados, também de rádios e televisões. Foi lançada em junho de 1964, teve apoio de parte da população e de algumas empresas. Cidades realizaram manifestações, inclusive com desfiles em vias públicas. O ato realizado na Rua Marechal Deodoro, em São Bernardo, eu fotografei. Nas fotos aparecem escolares portando faixas, também veículos de empresas exibindo dizeres alusivos à campanha.

A Dulcora, na época instalada em São Bernardo, decidiu contribuir com uma espécie de símbolo do seu principal produto, os caramelos conhecidos como drops. Eram comercializados em embalagem atraente, cada uma contendo dez unidades, quadrados em sua forma. Tinha ela a forma do caramelo. Uma de tais embalagens a Dulcora doou à campanha. Sim, embalagem similar à dos caramelos, mas de ouro maciço. Algo semelhante ao que fez Manuel João Branco que, na época do Brasil colonial, foi entregar ao rei de Portugal um cacho de bananas... de ouro.

Li em algum lugar que o ricaço Manuel João Branco era dono de terras, inclusive da área (ou parte dela) em que está hoje São Caetano. Mas essa é outra história. E o Ouro para o bem do Brasil?
Em quê deu a campanha? Há quem indague, como se observa na própria internet, do volume de ouro arrecadado. Há a informação, também na internet, de que foram obtidos 400 quilos de ouro.

EM TEMPO
A festa no Volkswagen Clube focalizada quinta-feira aqui em Memória por Hermano Pini Filho fez parte do evento que marcou o lançamento da perua Brasília, em 1973.

NAS ONDAS DO RÁDIO

USP FM (93,7). Memória. Elvis Presley, vida e obra de um cantor. Produção e apresentação: Milton Parron. Trabalhos técnicos: Cido Tavares. Hoje, às 9h.

TRIANON AM (740). Quinta Avenida. Hoje: pianista Ted Fiorito e orquestra; The King Sisters (conjunto vocal); Mel Tormé (cantor); amanhã: Johnny Mathis. Produção e apresentação: Ronaldo Benvenga; coordenação: Lucas Neto. Hoje, às 19h; amanhã, às 9h. Na internet: www.comercialderadio.com.br e www.quintaavenida.mus.br.

BANDEIRANTES AM (840) e FM (90,9). Memória. Carlos José, vida e obra de um cantor. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 23h, com reprise amanhã, às 5h.
ELDORADO AM (700). Brasil em Todos os Tempos. Produção e apresentação: Geraldo Nunes. Amanhã, às 6h e 12h.

ABC AM (1570). Viagem no Tempo. Uma homenagem ao rádio: o prefixo do Repórter Esso e quadros do programa humorístico PRK-30; Celly Campello canta Túnel do Amor (versão de Fred Jorge); Rinaldo Calheiros, Jamais te esquecerei (composição de Antonio Rago). Produção e apresentação: Marcelo Duarte. Amanhã, das 8h às 9h. Contatos: viagemnotempo@radioabc.com.br.

PÉROLA DA SERRA (87,5). Reminiscências. Notícias históricas de Ribeirão Pires. Produção e apresentação: Américo e Lina Del Corto; e a participação de Octavio David Filho, Idmir Pedro dos Santos, Walter Gallo, Idair F. Santos, Antonio Simões, Pedro Cordeiro e Ademar Bertoldo. Amanhã, das 9h às 12h. Visite o site: www.peroladaserrafm.com.br.

EM 21 DE AGOSTO DE..

1835 - João Barbosa Ortiz nomeado subprefeito de São Bernardo.

1970 - Operários do setor ceramista decidem, em assembléia, reivindicar reajuste salarial de 35%.

1970 - Começa em São Bernardo a 6ª Olimpíada Colegial, com concentração de atletas na Associação dos Funcionários Públicos.

Trabalhadores
Nasce em 21 de agosto:
1919 - Aurélio Bentini, nascido em Jundiaí. Sócio nº 415 do Sindicato dos Químicos do ABC. Soldador da Sociedade de Produtos Industriais. Residente à Avenida João Ramalho, 86.
Fonte: 1º livro geral de registros dos associados do Sindicato dos Químicos do ABC

Crônica de Ribeirão Pires
Texto: Aida Arnoni Bressan

t O primeiro professor de harmônica de Ribeirão Pires foi o Sr. Américo Del Corto, filho de Ribeirão Pires. Ele começou a dar aulas na casa dos alunos, em 1950. Sua primeira aluna foi Heda Eliza Bressan, hoje já professora formada. O primeiro aluno foi Augusto Bertoldo. Em 1951, Del Corto montou sua escola de música na Rua Francisco Monteiro e ali lecionou durante muito tempo.

NOTA
Américo Del Corto está presente semanalmente aqui em Memória, com o seu programa de rádio. Heda é a filha da autora, responsável, com o marido Castro, pela cessão de todas essas notas escritas pela mamãe que partiu.

Domingo, 21 de agosto de 1960

Manchete - Assinado contrato de 35 milhões de cruzeiros para pavimentação de ruas em São Caetano.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS
Quinta-feira, 21 de agosto de 1980

Manchete - PDS decide optar pela emenda que prorroga mandatos de prefeitos e vereadores

Santo André - Governo do Estado inaugura trecho de 1.500 metros da avenida marginal esquerda do Rio Tamanduateí, entre a Avenida da Paz e o Viaduto Castelo Branco.

Protesto - Falta de leite em pó leva mulheres em passeata pelas ruas centrais de Santo André.

Editorial - Casas populares: continua o refrão político

Futebol - Celso Lara pede demissão da presidência do Santo André.

Polícia - PM prende assaltante incendiário em Diadema.

SANTOS DO DIA

Ciríaca, Humbelina, Pio X e Teocleta.

Na estampa, Santa Joana Francisca Fremiot de Chantal (1572-1641). Francesa; fundadora da Congregação da Visitação de Santa Maria. Comemora-se o seu dia em 12 de agosto.
Crédito da estampa: acervo Vangelista Bazani (Gili) e João de Deus Martinez

Falecimento

MARIA JULIA LUZIANO (Monte Aprazível, SP, 18-2-1917 - Santo André 13-8-2010)

Maria Júlia Luziano tem uma linda história de vida, conta a filha Wilma Cassemiro Cruz. Muito pobre no Interior, dona Maria não tinha qualquer curso de corte-e-costura, mas sabia costurar, e muito bem. Até lindos vestidos de noiva ela fazia.

E mais: amarrava vassoura; ou seja: fazia ela própria as vassouras usadas em casa e sob encomendas das vizinhas; cortava os cabelos do marido e filhos, para economizar, e dos filhos das vizinhas, para conseguir um orçamento familiar melhor.

Na época das festas, como no Natal, dona Maria Julia comprava cortes de chita e fazia roupas bem caprichadas para a família toda - simples, mas com muito carinho. Principalmente: ensinou os filhos a praticar o bem, a trabalhar com afinco, a lutar contra adversidades.

Ficou viúva aos 57 anos. E tocou a vida com os filhos. Em 1976 veio para Santo André. Morou no Parque João Ramalho e, nos últimos anos, no bairro Paraíso. Católica devota, fazia parte da Irmandade do Sagrado Coração de Jesus e frequentava as igrejas dos bairros em que morou.

Filha de José Luziano Batista e Maria Luiza de Jesus, foi registrada em 4 de março de 1917. Casou-se com Hermínio Cassimiro. Tiveram 13 filhos: Aparecida, Clarice, Arivaldo, Maurílio, Olavo, Antonio, Wilma, Maria Luiza, Hermínio Filho, Nadir, Shirley (formada professora), José Carlos e Laerte. Partiu aos 93 anos. Foi sepultada no Cemitério do Curuçá. Deixa 39 netos e 23 bisnetos. AM

SANTO ANDRÉ
Aranir Marretti Moreto, 61. Natural de Cajobi (SP). Dia 17. Cemitério Curuçá.

SÃO BERNARDO
Ercilia da Silva Boaventura, 87. Natural de São Paulo (SP). Dia 18. Cemitério Jardim da Colina.
Benicia Barbosa da Silva Ribeiro, 86. Natural de Correntes (PE). Dia 17. Cemitério dos Casa.
Maria Amélia Marques de Oliveira, 84. Natural de Ibitiuva (SP). Dia 17. Cemitério Jardim da Colina.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ouro para o Brasil, uma cena nacional em São Bernardo

Mil novecentos e sessenta e quatro. A campanha Ouro para o bem do Brasil chega também a São Bernardo.

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

21/08/2010 | 00:00


Mil novecentos e sessenta e quatro. A campanha Ouro para o bem do Brasil chega também a São Bernardo. E o jornalista Hermano Pini Filho, correspondente de O Estado de S. Paulo, registra o fato com as três fotos de hoje. A campanha foi lançada logo depois do golpe de 31 de março; o presidente era o Castelo Branco. Em crônica, Hermano relembra algo que foi febre na ocasião, quase meio século atrás. E faz uma boa pergunta: o que se fez com a riqueza arrecadada?

Da Dulcora a uma história do Brasil Colônia
Texto: Hermano Pini Filho

Sugeria-se que as pessoas, sendo casadas, dessem a aliança de ouro em troca de outra, de metal barato, com a gravação Doei ouro para o bem do Brasil - 1964. Muitos fizeram isso, mas houve quem doasse colares, brincos e outros objetos de ouro. Dinheiro também, informou-se na ocasião.

Foi amplo o incentivo à campanha dado pelo paraibano Assis Chateaubriand (Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Mello - 1891/1968) dono dos Diários Associados, também de rádios e televisões. Foi lançada em junho de 1964, teve apoio de parte da população e de algumas empresas. Cidades realizaram manifestações, inclusive com desfiles em vias públicas. O ato realizado na Rua Marechal Deodoro, em São Bernardo, eu fotografei. Nas fotos aparecem escolares portando faixas, também veículos de empresas exibindo dizeres alusivos à campanha.

A Dulcora, na época instalada em São Bernardo, decidiu contribuir com uma espécie de símbolo do seu principal produto, os caramelos conhecidos como drops. Eram comercializados em embalagem atraente, cada uma contendo dez unidades, quadrados em sua forma. Tinha ela a forma do caramelo. Uma de tais embalagens a Dulcora doou à campanha. Sim, embalagem similar à dos caramelos, mas de ouro maciço. Algo semelhante ao que fez Manuel João Branco que, na época do Brasil colonial, foi entregar ao rei de Portugal um cacho de bananas... de ouro.

Li em algum lugar que o ricaço Manuel João Branco era dono de terras, inclusive da área (ou parte dela) em que está hoje São Caetano. Mas essa é outra história. E o Ouro para o bem do Brasil?
Em quê deu a campanha? Há quem indague, como se observa na própria internet, do volume de ouro arrecadado. Há a informação, também na internet, de que foram obtidos 400 quilos de ouro.

EM TEMPO
A festa no Volkswagen Clube focalizada quinta-feira aqui em Memória por Hermano Pini Filho fez parte do evento que marcou o lançamento da perua Brasília, em 1973.

NAS ONDAS DO RÁDIO

USP FM (93,7). Memória. Elvis Presley, vida e obra de um cantor. Produção e apresentação: Milton Parron. Trabalhos técnicos: Cido Tavares. Hoje, às 9h.

TRIANON AM (740). Quinta Avenida. Hoje: pianista Ted Fiorito e orquestra; The King Sisters (conjunto vocal); Mel Tormé (cantor); amanhã: Johnny Mathis. Produção e apresentação: Ronaldo Benvenga; coordenação: Lucas Neto. Hoje, às 19h; amanhã, às 9h. Na internet: www.comercialderadio.com.br e www.quintaavenida.mus.br.

BANDEIRANTES AM (840) e FM (90,9). Memória. Carlos José, vida e obra de um cantor. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 23h, com reprise amanhã, às 5h.
ELDORADO AM (700). Brasil em Todos os Tempos. Produção e apresentação: Geraldo Nunes. Amanhã, às 6h e 12h.

ABC AM (1570). Viagem no Tempo. Uma homenagem ao rádio: o prefixo do Repórter Esso e quadros do programa humorístico PRK-30; Celly Campello canta Túnel do Amor (versão de Fred Jorge); Rinaldo Calheiros, Jamais te esquecerei (composição de Antonio Rago). Produção e apresentação: Marcelo Duarte. Amanhã, das 8h às 9h. Contatos: viagemnotempo@radioabc.com.br.

PÉROLA DA SERRA (87,5). Reminiscências. Notícias históricas de Ribeirão Pires. Produção e apresentação: Américo e Lina Del Corto; e a participação de Octavio David Filho, Idmir Pedro dos Santos, Walter Gallo, Idair F. Santos, Antonio Simões, Pedro Cordeiro e Ademar Bertoldo. Amanhã, das 9h às 12h. Visite o site: www.peroladaserrafm.com.br.

EM 21 DE AGOSTO DE..

1835 - João Barbosa Ortiz nomeado subprefeito de São Bernardo.

1970 - Operários do setor ceramista decidem, em assembléia, reivindicar reajuste salarial de 35%.

1970 - Começa em São Bernardo a 6ª Olimpíada Colegial, com concentração de atletas na Associação dos Funcionários Públicos.

Trabalhadores
Nasce em 21 de agosto:
1919 - Aurélio Bentini, nascido em Jundiaí. Sócio nº 415 do Sindicato dos Químicos do ABC. Soldador da Sociedade de Produtos Industriais. Residente à Avenida João Ramalho, 86.
Fonte: 1º livro geral de registros dos associados do Sindicato dos Químicos do ABC

Crônica de Ribeirão Pires
Texto: Aida Arnoni Bressan

t O primeiro professor de harmônica de Ribeirão Pires foi o Sr. Américo Del Corto, filho de Ribeirão Pires. Ele começou a dar aulas na casa dos alunos, em 1950. Sua primeira aluna foi Heda Eliza Bressan, hoje já professora formada. O primeiro aluno foi Augusto Bertoldo. Em 1951, Del Corto montou sua escola de música na Rua Francisco Monteiro e ali lecionou durante muito tempo.

NOTA
Américo Del Corto está presente semanalmente aqui em Memória, com o seu programa de rádio. Heda é a filha da autora, responsável, com o marido Castro, pela cessão de todas essas notas escritas pela mamãe que partiu.

Domingo, 21 de agosto de 1960

Manchete - Assinado contrato de 35 milhões de cruzeiros para pavimentação de ruas em São Caetano.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS
Quinta-feira, 21 de agosto de 1980

Manchete - PDS decide optar pela emenda que prorroga mandatos de prefeitos e vereadores

Santo André - Governo do Estado inaugura trecho de 1.500 metros da avenida marginal esquerda do Rio Tamanduateí, entre a Avenida da Paz e o Viaduto Castelo Branco.

Protesto - Falta de leite em pó leva mulheres em passeata pelas ruas centrais de Santo André.

Editorial - Casas populares: continua o refrão político

Futebol - Celso Lara pede demissão da presidência do Santo André.

Polícia - PM prende assaltante incendiário em Diadema.

SANTOS DO DIA

Ciríaca, Humbelina, Pio X e Teocleta.

Na estampa, Santa Joana Francisca Fremiot de Chantal (1572-1641). Francesa; fundadora da Congregação da Visitação de Santa Maria. Comemora-se o seu dia em 12 de agosto.
Crédito da estampa: acervo Vangelista Bazani (Gili) e João de Deus Martinez

Falecimento

MARIA JULIA LUZIANO (Monte Aprazível, SP, 18-2-1917 - Santo André 13-8-2010)

Maria Júlia Luziano tem uma linda história de vida, conta a filha Wilma Cassemiro Cruz. Muito pobre no Interior, dona Maria não tinha qualquer curso de corte-e-costura, mas sabia costurar, e muito bem. Até lindos vestidos de noiva ela fazia.

E mais: amarrava vassoura; ou seja: fazia ela própria as vassouras usadas em casa e sob encomendas das vizinhas; cortava os cabelos do marido e filhos, para economizar, e dos filhos das vizinhas, para conseguir um orçamento familiar melhor.

Na época das festas, como no Natal, dona Maria Julia comprava cortes de chita e fazia roupas bem caprichadas para a família toda - simples, mas com muito carinho. Principalmente: ensinou os filhos a praticar o bem, a trabalhar com afinco, a lutar contra adversidades.

Ficou viúva aos 57 anos. E tocou a vida com os filhos. Em 1976 veio para Santo André. Morou no Parque João Ramalho e, nos últimos anos, no bairro Paraíso. Católica devota, fazia parte da Irmandade do Sagrado Coração de Jesus e frequentava as igrejas dos bairros em que morou.

Filha de José Luziano Batista e Maria Luiza de Jesus, foi registrada em 4 de março de 1917. Casou-se com Hermínio Cassimiro. Tiveram 13 filhos: Aparecida, Clarice, Arivaldo, Maurílio, Olavo, Antonio, Wilma, Maria Luiza, Hermínio Filho, Nadir, Shirley (formada professora), José Carlos e Laerte. Partiu aos 93 anos. Foi sepultada no Cemitério do Curuçá. Deixa 39 netos e 23 bisnetos. AM

SANTO ANDRÉ
Aranir Marretti Moreto, 61. Natural de Cajobi (SP). Dia 17. Cemitério Curuçá.

SÃO BERNARDO
Ercilia da Silva Boaventura, 87. Natural de São Paulo (SP). Dia 18. Cemitério Jardim da Colina.
Benicia Barbosa da Silva Ribeiro, 86. Natural de Correntes (PE). Dia 17. Cemitério dos Casa.
Maria Amélia Marques de Oliveira, 84. Natural de Ibitiuva (SP). Dia 17. Cemitério Jardim da Colina.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;