Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Câmara de Diadema quer explicações de secretário sobre remédios


Fabrício Calado Moreira
Do Diário do Grande ABC

11/02/2006 | 08:08


A Câmara de Diadema chamará o secretário municipal de Saúde Marcos Calvo para explicar a incineração de medicamentos vencidos no almoxarifado da Prefeitura. A ida dele à Casa é defendida por vereadores da oposição e também da situação, que estiveram no depósito para apurar denúncia feita pelos vereadores Lauro Michels (PSDB) e Vagner Feitosa (PSB), o Vaguinho.

Vaguinho fará requerimento na sessão da próxima quinta-feira para que a secretaria forneça dados sobre todas as incinerações de medicamentos nos últimos cinco anos, além de informar se o procedimento é feito por empresa licitada e qual o custo aos cofres públicos. "Já que o PT quer investigar, não tem por que meu requerimento não passar", diz Vaguinho.

Para Calvo, "não há constrangimento algum" em comparecer para prestar esclarecimentos aos vereadores, mas o secretário criticou o uso político do episódio. "Nem sempre o interesse que move as pessoas é o da comunidade, e sim o da autopromoção", alfineta, sem citar nomes. Antes mesmo da denúncia, já estava marcada para o dia 22 deste mês a prestação de contas da Saúde, prevista para ocorrer na Câmara, ao qual Calvo irá.

Fogo amigo – A bancada do PT na Câmara fechou questão e decidiu ter postura crítica sobre as denúncias em reunião feita às pressas na última quinta-feira. "Não quero prejulgar ninguém, mas existe grande possibilidade de haver má-fé de alguém, e vamos apurar isso. Ninguém será mais radical que a bancada do PT neste sentido", garantiu. O líder de Governo na Câmara, Jair Batista, o Pastor Jair (PT), afirmou que "quem quer que seja o responsável terá de pagar".

Como meio de tornar o jogo político favorável ao governo, a bancada do PT pretende questionar de que forma a denúncia chegou a Vaguinho e Michels, que são da oposição. Os petistas estranham o vazamento de informações por meio de denúncia anônima, como afirmaram os dois vereadores. Uma parte do partido acredita que a informação deva ter vindo de dentro, já que alguns dos representantes do Conselho Municipal de Saúde têm ligações com o PSDB.

Fritura – De qualquer maneira, o episódio deve servir para a fritura de Calvo por alguns parlamentares da base de sustentação. Nos bastidores da política da cidade, é sabido que o secretário de saúde passou por dificuldades com vereadores da base de sustentação do governo por conta de alguns atos que tomou à frente da pasta. O principal foi ter substituído integrantes indicados por petistas para cargos na área da saúde por nomeações técnicas.

Outro ponto de desgaste pode ter sido a perda da presidência do Conselho Popular de Saúde nas eleições de dezembro de 2005. O ex-presidente era Geraldo Laricão, filiado ao PT. O atual, Arlindo Bernardes, o Arlindo da Farmácia, não é petista. Além disso, uma ala do PT não conseguiu eleger tantos candidatos quanto imaginava. Hoje, dos 38 conselheiros titulares, pelo menos 20 não votam com o partido.

A briga deve esquentar hoje, quando serão eleitos outros quatro titulares e quatro suplentes para o Conselho Municipal de Saúde, que terão a função de apurar o caso. O PT, assim como o PSDB, pretende lançar candidato, mas a conjuntura deve instigar outros partidos a também entrarem na disputa.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;