Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Câmara discutirá futuro da Ouvidoria em Santo André


Leandro Laranjeira
Do Diário do Grande ABC

05/06/2009 | 07:36


Após ter cogitada a sua extinção, a Ouvidoria da Prefeitura de Santo André será alvo de debate na Câmara. Os vereadores aprovaram ontem a realização de audiência pública para discutir o futuro do órgão. A proposta partiu do governista Donizeti Pereira (PV). A assessoria legislativa terá prazo de 30 dias para agendar a data do encontro, a ser realizado nas dependências da Casa.

A audiência terá por objetivo esclarecer pontos acerca das funções e realizações da Ouvidoria, e fazer com que os vereadores tenham acesso à prestação de contas do órgão. "Se o serviço não funciona, como alguns defendem, temos de cobrar. Por isso a necessidade da audiência", afirmou Donizeti.

Recentemente, os peemedebistas José de Araújo e Sargento Juliano (presidente da Câmara) propuseram - por meio de indicação ao prefeito Aidan Ravin (PTB) - o fim da Ouvidoria. Alegam que o órgão é ineficiente, uma vez que não cumpre o papel de resolver demandas da população relativas a serviços públicos mal prestados. A insatisfação também é estendida ao orçamento anual direcionado para a Ouvidoria (R$ 497.452 em 2009), considerado oneroso aos cofres públicos por vereadores favoráveis à extinção do órgão.

Divisão - Apesar de o fim da Ouvidoria ser uma reivindicação da bancada do PMDB, apoiada por vereadores de outros partidos, a decisão depende exclusivamente do prefeito. Aidan teria de elaborar um projeto com base na sugestão dos peemedebistas e enviá-lo para o Legislativo decidir o futuro do órgão.

Anteontem, o chefe do Executivo afirmou que a intenção é discutir mudanças no órgão para que se torne um instrumento mais efetivo e eficaz. Negou que esteja favorável à extinção da Ouvidoria, como havia sido ventilado na Câmara. Aidan, porém, não colocou um ponto final na possibilidade de acabar com o órgão, desde que se trate de uma reivindicação da maioria dos vereadores, e que a questão seja amplamente discutida.

A Casa está dividida quanto ao assunto. Dos 21 vereadores, 10 declaram ser favoráveis ao fim da Ouvidoria. Até o meio da semana, nove eram contrários à proposta, mas ontem o líder de governo Marcelo Chehade (PSDB) se juntou ao grupo. Apenas Donizeti, autor do pedido de audiência, diz não ter posição definida.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Câmara discutirá futuro da Ouvidoria em Santo André

Leandro Laranjeira
Do Diário do Grande ABC

05/06/2009 | 07:36


Após ter cogitada a sua extinção, a Ouvidoria da Prefeitura de Santo André será alvo de debate na Câmara. Os vereadores aprovaram ontem a realização de audiência pública para discutir o futuro do órgão. A proposta partiu do governista Donizeti Pereira (PV). A assessoria legislativa terá prazo de 30 dias para agendar a data do encontro, a ser realizado nas dependências da Casa.

A audiência terá por objetivo esclarecer pontos acerca das funções e realizações da Ouvidoria, e fazer com que os vereadores tenham acesso à prestação de contas do órgão. "Se o serviço não funciona, como alguns defendem, temos de cobrar. Por isso a necessidade da audiência", afirmou Donizeti.

Recentemente, os peemedebistas José de Araújo e Sargento Juliano (presidente da Câmara) propuseram - por meio de indicação ao prefeito Aidan Ravin (PTB) - o fim da Ouvidoria. Alegam que o órgão é ineficiente, uma vez que não cumpre o papel de resolver demandas da população relativas a serviços públicos mal prestados. A insatisfação também é estendida ao orçamento anual direcionado para a Ouvidoria (R$ 497.452 em 2009), considerado oneroso aos cofres públicos por vereadores favoráveis à extinção do órgão.

Divisão - Apesar de o fim da Ouvidoria ser uma reivindicação da bancada do PMDB, apoiada por vereadores de outros partidos, a decisão depende exclusivamente do prefeito. Aidan teria de elaborar um projeto com base na sugestão dos peemedebistas e enviá-lo para o Legislativo decidir o futuro do órgão.

Anteontem, o chefe do Executivo afirmou que a intenção é discutir mudanças no órgão para que se torne um instrumento mais efetivo e eficaz. Negou que esteja favorável à extinção da Ouvidoria, como havia sido ventilado na Câmara. Aidan, porém, não colocou um ponto final na possibilidade de acabar com o órgão, desde que se trate de uma reivindicação da maioria dos vereadores, e que a questão seja amplamente discutida.

A Casa está dividida quanto ao assunto. Dos 21 vereadores, 10 declaram ser favoráveis ao fim da Ouvidoria. Até o meio da semana, nove eram contrários à proposta, mas ontem o líder de governo Marcelo Chehade (PSDB) se juntou ao grupo. Apenas Donizeti, autor do pedido de audiência, diz não ter posição definida.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;