Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 31 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Celulari é Quixote


Ângela Corrêa
Do Diário do Grande ABC

06/09/2007 | 07:07


Edson Celulari se livra da pele de galã e veste armadura e peruca desgrenhada do cavaleiro da triste figura na peça Dom Quixote de Lugar Nenhum, que estréia nesta sexta-feira no Teatro Shopping Frei Caneca, em São Paulo.

Embora a adaptação do épico de Miguel de Cervantes tenha sido feita por Ruy Guerra, o projeto é totalmente pessoal – de Celulari e do diretor do espetáculo, Ernesto Piccolo, amigos há 25 anos.

“Minha mãe deu o livro de presente para o Edson. Ela morreu há alguns anos e, meses atrás, ele me disse que precisávamos fazer logo a peça”, lembrou Piccolo.

A versão de Guerra, produzida depois do convite da dupla, tirou Dom Quixote da Espanha e o trouxe para o agreste brasileiro. O resultado é uma mistura da estética quinhentista com comédia de cordel.

Além das principais figuras do original – o escudeiro Sancho Pança, a amada Dulcinéia e o cavalo Rocinante – a peça tem novos personagens, ao sabor daquela região brasileira. Quixote adota o nome Queixada, e seu alazão vira Rocin.

Testado e aprovado - O novo texto trouxe, além de uma grande oportunidade criativa, a pressão pelo compromisso frente ao público, em especial o nordestino, primeiro a ver a peça. “Mas a recepção foi muito positiva. Disseram que não tentamos americanizar o agreste”, afirmou Piccolo.

A responsabilidade também era grande junto ao escritor da versão. Ruy Guerra deixou claro que seu texto só poderia ser alterado por algum especialista na história que completa 400 anos este ano. “É um problema o autor vivo”, brincou Celulari.

O texto original tinha material para mais de quatro horas de espetáculo. “Sentávamos em frente ao texto com medo de modificá-lo. Mas conseguimos diminuir o espetáculo para 1h30, centrados no personagem” contou Piccolo.

Apesar do novo cenário, o fidalgo mantém as tarefas: matar um dragão, encontrar a amada Dulcinéia e lutar por justiça. Lourival Prudêncio interpreta uma versão um tanto diabólica do escudeiro.

Em cena, Celulari também mostra a voz. “São canções curtas, um xote e uma marchinha. Mas não é um musical e sim um espetáculo musicado”.

O ator também produz a peça. “Só assim faço grandes papéis no teatro. Raramente me chamam”, desabafa.

Dom Quixote de Lugar Nenhum. Teatro Shopping Frei Caneca – r. Frei Caneca, 569, São Paulo. Tel.: 3472-2229. Ingr.: R$ 80. Classif. ind.: 14 anos. De 7 a 30 de setembro. Sex, às 21h30; sáb, às 20h e 22h30, e dom. às 18h.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;