Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Xeque-Mate: Justiça libera 44 acusados e mantém 23 presos


Do Diário OnLine
Com Agência Brasil

14/06/2007 | 16:28


A Justiça liberou até agora 44 acusados na Operação Xeque-Mate e manteve detidas, com prisão preventiva, outras 23 pessoas investigadas. A ação da PF (Polícia Federal) tinha 85 mandados de prisão, outros cinco acusados ainda estão foragidos. Os liberados estavam entre os 67 que cumpriam prisão temporária desde o início da ação.

A decisão sobre a liberação ou não dos presos da Operação Xeque-Mate está nas mãos da 2ª Vara Criminal Federal de Três Lagoas (MS) e da 5ª Vara da Justiça Federal de Mato Grosso do Sul.

Com a Operação, a PF tenta desmontar diversos esquemas de tráfico de drogas, corrupção e jogos ilegais. Os agentes investigam o contrabando de componentes eletrônicos para a utilização em máquinas caça-níqueis e tráfico de drogas. Os detidos são acusados de praticarem crimes como corrupção, falsidade ideológica, formação de quadrilha, tráfico de influência e exploração de prestígio.

As últimas prisões preventivas foram decretadas pelo o juiz da 2ª Vara Criminal Federal de Três Lagoas (MS), Albino Coimbra Neto, na noite de quarta-feira. Foram 17 prisões nesta decisão, além de dois casos que dispensavam novas determinações, pois já tinham prisão cautelar determinada - Leandro Cezar dos Santos, que não consta da lista dos que já foram presos pela PF, e Ivanildo Santos da Silva, que já está preso.

Na terça-feira, a 5ª Vara da Justiça Federal de Mato Grosso do Sul tinha determinado a prisão preventiva de nove investigados, entre eles, dois foragidos: Gandi Jamil e Raimundo Romano. Entre os liberados na quarta-feira, estão Dario Morelli, compadre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e os familiares de Nilton Cezar Servo, acusado pela PF de ser o chefe do esquema.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;