Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Instituto Luz das Estrelas devolve área à Prefeitura


Rita Donato
Do Diário do Grande ABC

30/11/2007 | 09:15


O MP (Ministério Público) determinou que o Instituto Luz das Estrelas devolvesse à Fundação Criança de São Bernardo a área de 36 mil m² doada pela Prefeitura, em 2001, para a construção do Lar Escola Luz das Estrelas, que atenderia cerca de 500 crianças carentes da cidade.

A entidade, presidida pelo empresário Augusto Canô, chegou a arrecadar, com ajuda de artistas, R$ 1,5 milhão para a implementação do projeto, mas não cumpriu o prazo de cinco anos previsto para a conclusão das obras. No espaço há o esqueleto do que seria a sede do centro de apoio.

No demonstrativo das receitas e despesas do Instituto, que deveria ser encaminhado semestralmente à Fundação e à Câmara, a entidade declara que a arrecadação não foi suficiente para cobrir todos os gastos, que somaram R$ 1,9 milhão.

O documento especifica que a construção inacabada do prédio custou R$ 932 mil, o restante do valor teria custeado encargos trabalhistas e outras despesas. O fato teria motivado um pedido de empréstimo bancário de R$ 460 mil.

No entanto, o balanço do Instituto já é alvo de questionamentos. Segundo o vereador Wagner Lino (PT), a instituição deveria ter apresentado documento detalhado referente à contabilidade financeira, captação de recurso e sua destinação desde o início de sua movimentação.

“A documentação não atende ao princípio de anualidade, tampouco demonstra o total de arrecadação com cada evento realizado para captar dinheiro ou a quantidade de pessoas que participaram dos jantares”, afirma o parlamentar.

Lino revela que pretende entrar com nova representação no MP solicitando a prestação de contas do montante recolhido pela entidade. “Não sabemos exatamente em que conta foi depositado o dinheiro e quanto custou a construção. Se sobrou alguma verba em caixa, além do terreno, o Instituto deve devolver à Fundação o valor corrigido”, sustenta.

O presidente do Luz das Estrelas foi procurado, mas não respondeu à reportagem.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Instituto Luz das Estrelas devolve área à Prefeitura

Rita Donato
Do Diário do Grande ABC

30/11/2007 | 09:15


O MP (Ministério Público) determinou que o Instituto Luz das Estrelas devolvesse à Fundação Criança de São Bernardo a área de 36 mil m² doada pela Prefeitura, em 2001, para a construção do Lar Escola Luz das Estrelas, que atenderia cerca de 500 crianças carentes da cidade.

A entidade, presidida pelo empresário Augusto Canô, chegou a arrecadar, com ajuda de artistas, R$ 1,5 milhão para a implementação do projeto, mas não cumpriu o prazo de cinco anos previsto para a conclusão das obras. No espaço há o esqueleto do que seria a sede do centro de apoio.

No demonstrativo das receitas e despesas do Instituto, que deveria ser encaminhado semestralmente à Fundação e à Câmara, a entidade declara que a arrecadação não foi suficiente para cobrir todos os gastos, que somaram R$ 1,9 milhão.

O documento especifica que a construção inacabada do prédio custou R$ 932 mil, o restante do valor teria custeado encargos trabalhistas e outras despesas. O fato teria motivado um pedido de empréstimo bancário de R$ 460 mil.

No entanto, o balanço do Instituto já é alvo de questionamentos. Segundo o vereador Wagner Lino (PT), a instituição deveria ter apresentado documento detalhado referente à contabilidade financeira, captação de recurso e sua destinação desde o início de sua movimentação.

“A documentação não atende ao princípio de anualidade, tampouco demonstra o total de arrecadação com cada evento realizado para captar dinheiro ou a quantidade de pessoas que participaram dos jantares”, afirma o parlamentar.

Lino revela que pretende entrar com nova representação no MP solicitando a prestação de contas do montante recolhido pela entidade. “Não sabemos exatamente em que conta foi depositado o dinheiro e quanto custou a construção. Se sobrou alguma verba em caixa, além do terreno, o Instituto deve devolver à Fundação o valor corrigido”, sustenta.

O presidente do Luz das Estrelas foi procurado, mas não respondeu à reportagem.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;