Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 17 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Armani nega que sua publicidade incentive turismo sexual


Da AFP

13/03/2007 | 08:13


O grupo italiano de moda Giorgio Armani se declarou surpreso e decepcionado que alguém tenha visto alguma malícia em sua publicidade para roupas infantis, que foi considerada na Espanha um incentivo ao turismo sexual.

"Jamais teríamos imaginado que se pudesse ver qualquer malícia nesta imagem", afirma o grupo em um comunicado divulgado nesta terça-feira.

"Levando em consideração o estilo que caracteriza nossas campanhas e o extremo cuidado que sempre mobilizamos para sua realização, muito nos surpreende e decepciona que se tenha dado uma interpretação diferente", destaca a marca fundada em 1975 pelo estilista Giorgio Armani.

A publicidade para a linha Armani Júnior mostra duas crianças de origem asiática, com idade por volta dos oito anos, que posam abraçadas e sorridentes, uma vestida com jeans e camisa branca e a outra com a parte superior de um biquíni e bermudas.

O juiz da vara infantil da Comunidade de Madri, Arturo Canalda, afirmou na sexta-feira passada que considerava o anúncio "no limite" da legalidade e pediu que a campanha fosse cancelada porque parecia "incitar o turismo sexual".

"Não considero normal que duas crianças tão pequenas apareçam com os lábios pintados", declarou Canalda.

Em fevereiro, os estilistas italianos Domenico Dolce e Stefano Gabbana cancelaram na Espanha e depois no resto do mundo uma publicidade que mostrava um homem que mantinha uma mulher no chão e a agarrava pelos punhos, enquanto outros quatro homens observavam a cena indiferentes em um segundo plano.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Armani nega que sua publicidade incentive turismo sexual

Da AFP

13/03/2007 | 08:13


O grupo italiano de moda Giorgio Armani se declarou surpreso e decepcionado que alguém tenha visto alguma malícia em sua publicidade para roupas infantis, que foi considerada na Espanha um incentivo ao turismo sexual.

"Jamais teríamos imaginado que se pudesse ver qualquer malícia nesta imagem", afirma o grupo em um comunicado divulgado nesta terça-feira.

"Levando em consideração o estilo que caracteriza nossas campanhas e o extremo cuidado que sempre mobilizamos para sua realização, muito nos surpreende e decepciona que se tenha dado uma interpretação diferente", destaca a marca fundada em 1975 pelo estilista Giorgio Armani.

A publicidade para a linha Armani Júnior mostra duas crianças de origem asiática, com idade por volta dos oito anos, que posam abraçadas e sorridentes, uma vestida com jeans e camisa branca e a outra com a parte superior de um biquíni e bermudas.

O juiz da vara infantil da Comunidade de Madri, Arturo Canalda, afirmou na sexta-feira passada que considerava o anúncio "no limite" da legalidade e pediu que a campanha fosse cancelada porque parecia "incitar o turismo sexual".

"Não considero normal que duas crianças tão pequenas apareçam com os lábios pintados", declarou Canalda.

Em fevereiro, os estilistas italianos Domenico Dolce e Stefano Gabbana cancelaram na Espanha e depois no resto do mundo uma publicidade que mostrava um homem que mantinha uma mulher no chão e a agarrava pelos punhos, enquanto outros quatro homens observavam a cena indiferentes em um segundo plano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;