Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

População começa a sentir efeitos de impasse entre governo e empresa

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ecopontos estão saturados sem coleta, e ruas começam a acumular lixo


Matheus Angioleto
Especial para o Diário

06/07/2017 | 07:00


 Moradores de São Bernardo começam a sentir as consequências do impasse entre Prefeitura e SBC Valorização de Resíduos, empresa responsável pela coleta de lixo. Ontem, em diversas ruas do município, foi possível ver acúmulo de lixo – ecopontos apresentam problemas há pelo menos uma semana.

O governo alega que “desde o início da gestão busca atualizar o contrato, considerando que o mesmo é nocivo e prejudicial à população, uma vez que não respeita o uso de dinheiro público”. O Executivo alega ainda que a empresa passou a “retaliar a administração, precarizando serviços em alguns pontos da cidade”. Além de afirmar ter notificado a SBC Valorização, a Prefeitura desmente débitos alegados pela empresa e reforça arcar com a folha salarial da prestadora de serviço, “com depósito judicial mensal”.

Ainda em nota, a municipalidade afirma que “visando minimizar os problemas de impacto aos moradores iniciou, com equipamentos e mão de obra próprios, a limpeza dos ecopontos. Assim que todos estiveram aptos, serão liberados para a população (o que deve ocorrer hoje)”.

Para finalizar, São Bernardo afirma que “caso a empresa não retome os serviços de maneira adequada, tomará as medidas cabíveis para solucionar os problemas causados”.

Por outro lado, a SBC Valorização de Resíduos justifica estar sem receber da Prefeitura “há mais de sete meses” e que vem “utilizando dinheiro próprio e obtido por meio de operações de empréstimos para cobrir o rombo de R$ 123 milhões causado pelo descumprimento do contrato pelo Executivo e realizar a coleta e a limpeza urbana”.

A SBC diz que “serviços essenciais, como a coleta domiciliar e o tratamento dos resíduos, estão sendo realizados com atrasos, por escassez de recursos (combustível, peças de manutenção e equipamentos), porém, jamais foram interrompidos. A situação provocada pela falta de pagamento da Prefeitura se tornou insustentável e poderá impactar os serviços prestados pela SBC VR. Os demais serviços, como coleta seletiva e zeladoria, estão paralisados por total falta de recursos financeiros. Os 12 ecopontos estão no limite da capacidade por falta de recursos operacionais para destinar os resíduos recolhidos”, informa em nota – o texto também nega irregularidades no contrato e afirma não haver motivos para justificar “cancelamento unilateral da PPP (Parceria Público-Privada)”.

Enquanto o imbróglio entre as partes continua, moradores são afetados. “O lixo estava na rua desde segunda-feira passada. Eles (Prefeitura) vieram limpar ontem (anteontem) com escavadeira”, conta a síndica Maria Aparecida da Silva Garcia, 62 anos, da Pauliceia. Segundo o funileiro aposentado Miguel Grecco, 75, a Vila Vivaldi vem sendo alvo de descarte de lixo nas calçadas constantemente. “Ontem (anteontem), a calçada estava com lixo de fora a fora.”

 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;