Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 28 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Atenção às boas oportunidades

Perto de ganhar nova versão ou facelift, modelos recebem bons descontos nas concessionárias


Vagner Aquino
Do Diário do Grande ABC

20/06/2012 | 07:00


Da década de 1980 para trás os veículos vendidos no Brasil permaneciam anos e anos em linha. Culpa da falta de opções, pois antes o número de modelos no País sequer chegava na casa dos 100. Hoje, esse número passa de 450 (47 marcas). Aquele cenário deixava as montadoras livres para agir conforme a própria vontade. Há muitos casos em que a novidade para o ano seguinte era a simples inclusão do retrovisor direito, por exemplo - lembrando que naquela época o item não era obrigatório.

Sim, hoje ainda há montadoras que optam pelo simples tapinha no visual (chamado de facelift). Mas a forte demanda de concorrentes fez o consumidor ficar mais exigente. Tanto que atualmente é difícil um carro permanecer mais de três anos sem receber mudanças. O resultado disso? Queda nos preços dos modelos que estão perto de uma mudança.

É exatamente o que está acontecendo com o EcoSport, que já sofre as consequências da escassez. "Desde o começo de janeiro (quando a Ford apresentou o novo EcoSport), o utilitário baixou de R$ 57,9 mil para R$ 49,9 mil na versão 1.6 Freestyle, o carro chefe do modelo. Mas, se barganhar, o cliente leva até por R$ 48,5 mil", conta Rogério Falcone, supervisor de vendas da Ford Sandrecar, em Santo André. Vale ressaltar que esta baixa também engloba a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), em vigor desde o mês passado.

Já a General Motors prefere ser um pouco mais sutil e não fala abertamente da chegada da nova Spin, minivan que aterrissa aqui ainda neste ano, aposentando de uma só vez Meriva e Zafira. Mesmo assim, esta última "baixou de R$ 65 mil para cerca de R$ 58 mil de dois anos para cá", aponta Roberto Flávio Sinício Barbosa, gerente de vendas da Vigorito de Santo André.

"Tudo depende da estratégia de cada montadora. Antigamente, os lançamentos eram guardados a sete chaves e o consumidor era pego de surpresa, hoje, a renovação é evidenciada tanto por meio da mídia quanto de ações da própria montadora", diz Paulo Roberto Garbossa, diretor da ADK Automotive e especialista no setor automotivo.

Mas a Fiat não está agindo assim com o Punto, que receberá novidades em breve. O hatch continua sendo vendido normalmente, mas as revendas da marca na região reconhecem que seus preços serão reposicionados em julho.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;