Fechar
Publicidade

Sábado, 8 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Jô Fernandes abdica das férias por ‘ano de vitórias’ em 2017


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

20/11/2016 | 07:00


Quem comparecer à sala de fisioterapia do São Caetano no Estádio Anacleto Campanella nas próximas semanas vai encontrar Jô Fernandes por lá. O atacante, considerado como principal revelação da base do clube nos últimos tempos, passou por cirurgia no joelho direito há uma semana para sanar problemas no menisco e cartilagem. O procedimento, segundo o próprio atleta, foi um sucesso e permitirá que ele volte a correr em campo daqui a 30 dias. Assim, enquanto os demais colegas de elenco estarão em férias, o artilheiro da equipe na temporada – 12 gols – seguirá trabalhando para ter um 2017 “de muitas conquistas e vitórias”, como ele mesmo prevê.

“O pior já passou. Agora é ter paciência e recuperar, porque quatro semanas passam voando. Comecei o tratamento na segunda-feira. Vou tratar dois períodos todos os dias, até aos sábados. Não vou ter férias nem nada. O grupo vai sair por um período e vou continuar tratando no São Caetano mesmo. Não vão faltar empenho e dedicação”, prometeu Jô.

Foi a terceira intervenção cirúrgica que o atacante são-caetanense fez na carreira. Todas no mesmo joelho. “Posso dizer que estou um pouco acostumado”, brincou. “Por mais simples que seja, nunca é fácil, ainda mais a recuperação, porque exige muita paciência. Mas tenho fé em Deus. Ele viu o tanto que eu estava sofrendo com dor, o quanto estava me incomodando, então a cirurgia foi um alívio para mim. Agora estou totalmente tranquilo, com a cabeça na recuperação”, admitiu.

A operação foi realizada no Hospital Ifor, em São Bernardo, pelo médico Marcelo Navarro. Segundo Jô Fernandes, o procedimento ocorreu no momento certo e foi fundamental para que possa retornar a jogar em alto nível. “O doutor disse que a lesão estava feia, o joelho estava muito inflamado, que eu teria de fazer muito sacrifício para poder jogar. Então, agora estou feliz para que o mais rápido possível possa voltar. Tirei um peso das costas”, declarou. “Ele conversou comigo, disse que vou poder fazer todos os trabalhos, porque antes eu não estava treinando igual ao grupo, ficava de fora de muitos treinamentos. Então, estava sempre um passo atrás dos outros jogadores. Ele (médico) me deu essa notícia que vou poder treinar normal, dar saltos, enfim, tudo o que não podia”, emendou.

PELA TELINHA
Por conta da cirurgia, Jô acompanhou o jogo decisivo contra a Ferroviária pela TV. O Azulão acabou eliminado nos pênaltis e passará mais um ano sem disputar competições nacionais. E o atacante disse ter sofrido durante o duelo, sobretudo com o desfecho.

“Foi bem difícil. Fiquei muito nervoso, principalmente na disputa de pênaltis. Tenho identificação com o São Caetano. Sou da cidade, cresci aqui, desde pequeno acompanho, então onde vou a galera está sempre questionando. Foi difícil não poder estar lá, ajudando de alguma forma, mas deixo aqui os parabéns aos meus companheiros, e a quem jogou no meu lugar, caso do Naôh, que foi muito bem. Infelizmente, não conseguimos a classificação. Mas temos de levantar a cabeça porque logo o Paulista (Série A-2) está aí. É continuar trabalhando.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Jô Fernandes abdica das férias por ‘ano de vitórias’ em 2017

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

20/11/2016 | 07:00


Quem comparecer à sala de fisioterapia do São Caetano no Estádio Anacleto Campanella nas próximas semanas vai encontrar Jô Fernandes por lá. O atacante, considerado como principal revelação da base do clube nos últimos tempos, passou por cirurgia no joelho direito há uma semana para sanar problemas no menisco e cartilagem. O procedimento, segundo o próprio atleta, foi um sucesso e permitirá que ele volte a correr em campo daqui a 30 dias. Assim, enquanto os demais colegas de elenco estarão em férias, o artilheiro da equipe na temporada – 12 gols – seguirá trabalhando para ter um 2017 “de muitas conquistas e vitórias”, como ele mesmo prevê.

“O pior já passou. Agora é ter paciência e recuperar, porque quatro semanas passam voando. Comecei o tratamento na segunda-feira. Vou tratar dois períodos todos os dias, até aos sábados. Não vou ter férias nem nada. O grupo vai sair por um período e vou continuar tratando no São Caetano mesmo. Não vão faltar empenho e dedicação”, prometeu Jô.

Foi a terceira intervenção cirúrgica que o atacante são-caetanense fez na carreira. Todas no mesmo joelho. “Posso dizer que estou um pouco acostumado”, brincou. “Por mais simples que seja, nunca é fácil, ainda mais a recuperação, porque exige muita paciência. Mas tenho fé em Deus. Ele viu o tanto que eu estava sofrendo com dor, o quanto estava me incomodando, então a cirurgia foi um alívio para mim. Agora estou totalmente tranquilo, com a cabeça na recuperação”, admitiu.

A operação foi realizada no Hospital Ifor, em São Bernardo, pelo médico Marcelo Navarro. Segundo Jô Fernandes, o procedimento ocorreu no momento certo e foi fundamental para que possa retornar a jogar em alto nível. “O doutor disse que a lesão estava feia, o joelho estava muito inflamado, que eu teria de fazer muito sacrifício para poder jogar. Então, agora estou feliz para que o mais rápido possível possa voltar. Tirei um peso das costas”, declarou. “Ele conversou comigo, disse que vou poder fazer todos os trabalhos, porque antes eu não estava treinando igual ao grupo, ficava de fora de muitos treinamentos. Então, estava sempre um passo atrás dos outros jogadores. Ele (médico) me deu essa notícia que vou poder treinar normal, dar saltos, enfim, tudo o que não podia”, emendou.

PELA TELINHA
Por conta da cirurgia, Jô acompanhou o jogo decisivo contra a Ferroviária pela TV. O Azulão acabou eliminado nos pênaltis e passará mais um ano sem disputar competições nacionais. E o atacante disse ter sofrido durante o duelo, sobretudo com o desfecho.

“Foi bem difícil. Fiquei muito nervoso, principalmente na disputa de pênaltis. Tenho identificação com o São Caetano. Sou da cidade, cresci aqui, desde pequeno acompanho, então onde vou a galera está sempre questionando. Foi difícil não poder estar lá, ajudando de alguma forma, mas deixo aqui os parabéns aos meus companheiros, e a quem jogou no meu lugar, caso do Naôh, que foi muito bem. Infelizmente, não conseguimos a classificação. Mas temos de levantar a cabeça porque logo o Paulista (Série A-2) está aí. É continuar trabalhando.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;