Fechar
Publicidade

Sábado, 8 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Covid: Eli Lilly pede à FDA alteração em composição de medicamento experimental



16/04/2021 | 08:44


A farmacêutica Eli Lilly solicitou à Agência de Administração de Alimentos e Drogas (FDA, na sigla em inglês), a "Anvisa americana", uma alteração na composição de seu medicamento experimental contra a covid-19. O bamlanivimabe, que hoje tem autorização para uso emergencial nos Estados Unidos, passaria a ser administrado junto ao etesevimab em razão das novas variantes do coronavírus.

Se acatado o pedido, a FDA deve revogar a autorização emergencial do bamlanivimabe e emitir uma nova que valide a utilização dos dois anticorpos monoclonais em conjunto. A empresa garante que a solicitação não se deve a preocupações com segurança.

"A crescente prevalência de variantes indica que o bamlanivimabe, sozinho, pode não neutralizar o vírus totalmente. Com fornecimento suficiente de etesevimabe, acreditamos que agora é o momento certo para completar nossa transição planejada e focar na administração desses dois anticorpos neutralizantes juntos", diz a farmacêutica, em nota.

O bamlanivimabe da Eli Lilly foi o primeiro medicamento composto de anticorpos a ter autorização de uso emergencial emitida pela FDA, a principal agência sanitária do mundo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Covid: Eli Lilly pede à FDA alteração em composição de medicamento experimental


16/04/2021 | 08:44


A farmacêutica Eli Lilly solicitou à Agência de Administração de Alimentos e Drogas (FDA, na sigla em inglês), a "Anvisa americana", uma alteração na composição de seu medicamento experimental contra a covid-19. O bamlanivimabe, que hoje tem autorização para uso emergencial nos Estados Unidos, passaria a ser administrado junto ao etesevimab em razão das novas variantes do coronavírus.

Se acatado o pedido, a FDA deve revogar a autorização emergencial do bamlanivimabe e emitir uma nova que valide a utilização dos dois anticorpos monoclonais em conjunto. A empresa garante que a solicitação não se deve a preocupações com segurança.

"A crescente prevalência de variantes indica que o bamlanivimabe, sozinho, pode não neutralizar o vírus totalmente. Com fornecimento suficiente de etesevimabe, acreditamos que agora é o momento certo para completar nossa transição planejada e focar na administração desses dois anticorpos neutralizantes juntos", diz a farmacêutica, em nota.

O bamlanivimabe da Eli Lilly foi o primeiro medicamento composto de anticorpos a ter autorização de uso emergencial emitida pela FDA, a principal agência sanitária do mundo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;