Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 29 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Mandante forte contra visitante indigesto

Montagem/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Invicto em casa, Palmeiras recebe o São Bernardo, às 19h30, no Estádio do Pacaembu


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

27/02/2014 | 07:00


De um lado, o Palmeiras, dono da segunda melhor campanha como mandante no Campeonato Paulista – até a décima rodada –, invicto jogando em casa com quatro vitórias e um empate. Do outro, o São Bernardo, visitante inoportuno, que já trouxe para o Grande ABC 11 pontos em três triunfos e duas igualdades e ainda ostenta a melhor defesa do torneio, vazada apenas seis vezes. Hoje, as equipes se confrontam no Pacaembu, às 19h30.

Aliás, o Verdão carrega grande retrospecto jogando no estádio, onde não perde desde 14 de maio do ano passado, quando foi derrotado pelo Tijuana por 2 a 1, pela Libertadores. A equipe da Capital se agarra à marca para se recuperar do primeiro revés sofrido no Paulistão, domingo, para o Botafogo, por 3 a 1.

“O São Bernardo tem a melhor defesa. Precisaremos de movimentação para conseguir os gols. Desde o ano passado, eles mantiveram boa base. Chama atenção a marcação, que preenche muito bem os espaços. Eles estão muito bem treinados”, afirmou o técnico palmeirense Gilson Kleina.

“Somos convidados indigestos neste campeonato e queremos continuar assim. Sabemos que podemos jogar com disposição para trazer mais um grande resultado”, destacou o técnico Edson Boaro, que elogiou o adversário. “É time acertado, que marca forte, de saída rápida. Será jogo difícil, mas temos condições de enfrentar de igual para igual. Serão mais cautelosos (depois da primeira derrota), é uma pressão a mais para o lado deles e vamos tentar surpreender”, emendou.

No Verdão, a boa notícia é a volta do atacante Alan Kardec, que cumpriu suspensão diante do Botafogo. Outros que também retornam são o meia Wesley e o lateral-esquerdo Juninho, poupados nas duas últimas rodadas. Por outro lado, Kleina terá sete desfalques: Wellington, Diogo, Josimar, Victorino e Leandro (problemas físicos ou clínicos), França e Bruno César (suspensos).

Pelo lado do São Bernardo, Boaro não poderá contar com o lateral-direito Rafael Cruz e o volante Edson, suspensos. As novidades no time devem ser Eduardo deslocado para a direita, com Magalhães na esquerda, e Willian Favoni no meio de campo. No ataque, Careca – que sentiu dores nas costas em Lins – pode retomar o lugar de Elionar Bombinha, ao lado de Gil.


Lateral Eduardo reencontra Verdão, onde foi preterido por Felipão


O sonho de todo jogador de futebol é chegar aos principais clubes do País. Em 2010, o lateral Eduardo, atualmente no São Bernardo, teve essa chance ao ser contratado pelo Palmeiras. Aos 20 anos, chegou bastante elogiado pelos dirigentes, que o chamaram de “aposta especial” por ser ambidestro e atuar nos dois lados do campo. Foi utilizado por Muricy Ramalho, depois com Antonio Carlos Zago, mas com a chegada de Luiz Felipe Scolari perdeu espaço e acabou saindo. Hoje, espera grande atuação contra o ex-clube.

“Passei oito meses lá. Fui contratado por indicação do Muricy, mas o time não estava em fase tão boa. Joguei com o Zago, mas quando o Felipão chegou, não tive mais chances e acabei indo para o Vitória”, contou Eduardo. “Curiosamente, meu primeiro jogo (no clube baiano) foi contra o Palmeiras. Tenho carinho imenso pelo clube, mas hoje visto a camisa do São Bernardo e espero jogar bem, porque ainda quero voltar a um grande.”


ELOGIOS

O goleiro Wilson Júnior rasgou elogios ao adversário de hoje. “De todos os clubes grandes, é o que trabalhou mais certo. Com o futebol da maneira como está, caro, com dificuldade para revelar atletas, montou um grupo, conseguiu manter a base do ano passado e completou com jogadores de nível de seleção. O Kleina deixou o conjunto falando mais alto do que qualquer individualidade”, disse.


Gilson Kleina diz tirar lições da primeira derrota


O Palmeiras foi o último time a perder a invencibilidade no Paulistão, domingo, diante do Botafogo. De acordo com o técnico Gilson Kleina, o Verdão tentou tirar proveito do resultado para enfrentar o São Bernardo.

“Derrota em nenhum momento é bom, mas o que falamos rapidamente é que precisamos tirar lição deste jogo, e poderemos usar isto por muito tempo. Não temos que mudar nossas características, mas quem vem nos enfrentar chega com outra postura. Temos que fazer de tudo para demonstrar nosso melhor. Trabalhamos no maior verde do mundo, e não tem como você não fazer de cada jogo o de sua vida”, disse Kleina.


PLANOS

O clube está atrás de investidores para custear ao menos parte dos 5 milhões de euros (cerca de R$ 16 milhões) que o Benfica pede para vender o atacante Alan Kardec. Entre os clubes ficou definido que, assim que a quantia for obtida, o jogador será liberado para ser comprado pelo Verdão.

A meta da diretoria é encontrar investidor para pagar a transação com os portugueses de forma integral. Caso não consiga, quer um parceiro que assuma ao menos 40% do total, com o próprio Palmeiras bancando a quantia restante.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mandante forte contra visitante indigesto

Invicto em casa, Palmeiras recebe o São Bernardo, às 19h30, no Estádio do Pacaembu

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

27/02/2014 | 07:00


De um lado, o Palmeiras, dono da segunda melhor campanha como mandante no Campeonato Paulista – até a décima rodada –, invicto jogando em casa com quatro vitórias e um empate. Do outro, o São Bernardo, visitante inoportuno, que já trouxe para o Grande ABC 11 pontos em três triunfos e duas igualdades e ainda ostenta a melhor defesa do torneio, vazada apenas seis vezes. Hoje, as equipes se confrontam no Pacaembu, às 19h30.

Aliás, o Verdão carrega grande retrospecto jogando no estádio, onde não perde desde 14 de maio do ano passado, quando foi derrotado pelo Tijuana por 2 a 1, pela Libertadores. A equipe da Capital se agarra à marca para se recuperar do primeiro revés sofrido no Paulistão, domingo, para o Botafogo, por 3 a 1.

“O São Bernardo tem a melhor defesa. Precisaremos de movimentação para conseguir os gols. Desde o ano passado, eles mantiveram boa base. Chama atenção a marcação, que preenche muito bem os espaços. Eles estão muito bem treinados”, afirmou o técnico palmeirense Gilson Kleina.

“Somos convidados indigestos neste campeonato e queremos continuar assim. Sabemos que podemos jogar com disposição para trazer mais um grande resultado”, destacou o técnico Edson Boaro, que elogiou o adversário. “É time acertado, que marca forte, de saída rápida. Será jogo difícil, mas temos condições de enfrentar de igual para igual. Serão mais cautelosos (depois da primeira derrota), é uma pressão a mais para o lado deles e vamos tentar surpreender”, emendou.

No Verdão, a boa notícia é a volta do atacante Alan Kardec, que cumpriu suspensão diante do Botafogo. Outros que também retornam são o meia Wesley e o lateral-esquerdo Juninho, poupados nas duas últimas rodadas. Por outro lado, Kleina terá sete desfalques: Wellington, Diogo, Josimar, Victorino e Leandro (problemas físicos ou clínicos), França e Bruno César (suspensos).

Pelo lado do São Bernardo, Boaro não poderá contar com o lateral-direito Rafael Cruz e o volante Edson, suspensos. As novidades no time devem ser Eduardo deslocado para a direita, com Magalhães na esquerda, e Willian Favoni no meio de campo. No ataque, Careca – que sentiu dores nas costas em Lins – pode retomar o lugar de Elionar Bombinha, ao lado de Gil.


Lateral Eduardo reencontra Verdão, onde foi preterido por Felipão


O sonho de todo jogador de futebol é chegar aos principais clubes do País. Em 2010, o lateral Eduardo, atualmente no São Bernardo, teve essa chance ao ser contratado pelo Palmeiras. Aos 20 anos, chegou bastante elogiado pelos dirigentes, que o chamaram de “aposta especial” por ser ambidestro e atuar nos dois lados do campo. Foi utilizado por Muricy Ramalho, depois com Antonio Carlos Zago, mas com a chegada de Luiz Felipe Scolari perdeu espaço e acabou saindo. Hoje, espera grande atuação contra o ex-clube.

“Passei oito meses lá. Fui contratado por indicação do Muricy, mas o time não estava em fase tão boa. Joguei com o Zago, mas quando o Felipão chegou, não tive mais chances e acabei indo para o Vitória”, contou Eduardo. “Curiosamente, meu primeiro jogo (no clube baiano) foi contra o Palmeiras. Tenho carinho imenso pelo clube, mas hoje visto a camisa do São Bernardo e espero jogar bem, porque ainda quero voltar a um grande.”


ELOGIOS

O goleiro Wilson Júnior rasgou elogios ao adversário de hoje. “De todos os clubes grandes, é o que trabalhou mais certo. Com o futebol da maneira como está, caro, com dificuldade para revelar atletas, montou um grupo, conseguiu manter a base do ano passado e completou com jogadores de nível de seleção. O Kleina deixou o conjunto falando mais alto do que qualquer individualidade”, disse.


Gilson Kleina diz tirar lições da primeira derrota


O Palmeiras foi o último time a perder a invencibilidade no Paulistão, domingo, diante do Botafogo. De acordo com o técnico Gilson Kleina, o Verdão tentou tirar proveito do resultado para enfrentar o São Bernardo.

“Derrota em nenhum momento é bom, mas o que falamos rapidamente é que precisamos tirar lição deste jogo, e poderemos usar isto por muito tempo. Não temos que mudar nossas características, mas quem vem nos enfrentar chega com outra postura. Temos que fazer de tudo para demonstrar nosso melhor. Trabalhamos no maior verde do mundo, e não tem como você não fazer de cada jogo o de sua vida”, disse Kleina.


PLANOS

O clube está atrás de investidores para custear ao menos parte dos 5 milhões de euros (cerca de R$ 16 milhões) que o Benfica pede para vender o atacante Alan Kardec. Entre os clubes ficou definido que, assim que a quantia for obtida, o jogador será liberado para ser comprado pelo Verdão.

A meta da diretoria é encontrar investidor para pagar a transação com os portugueses de forma integral. Caso não consiga, quer um parceiro que assuma ao menos 40% do total, com o próprio Palmeiras bancando a quantia restante.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;