Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Carreta da mamografia chega, mas não atende

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Serviço, estacionado no Centro de Mauá, está com aparelho quebrado; previsão é iniciar amanhã


Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

27/02/2019 | 07:00


A carreta do projeto itinerante Mulheres de Peito, do governo do Estado, – ação que oferece mamografia gratuita à população sem a necessidade de agendamento – chegou ontem a Mauá, no entanto, o aparelho que realiza o exame (mamógrafo) está quebrado. Com isso, a previsão é a de que o início dos atendimentos às moradoras da cidade só ocorra amanhã.

A vendedora Katia Silveira, 41 anos, moradora da Vila Guarani, saiu da Praça XXII de Novembro, no Centro, onde o equipamento está estacionado, frustrada. Depois de se deslocar até a unidade de saúde da Vila Magini para buscar pedido médico para a mamografia, ela foi informada, pelos funcionários da carreta estadual, sobre o problema e que deveria retornar amanhã pela manhã para pegar senha. “Aos 24 anos, tirei um nódulo da mama e, desde então, faço acompanhamento semestral. Desde o ano passado fiquei sem convênio e espero pelo procedimento na rede mauaense há quatro meses. Quando o pessoal do posto de saúde me ligou, informando que o projeto do Estado estaria aqui, fui buscar a guia para resolver esse problema, mas perdi viagem”, lamentou Katia.

Já a locutora Patricia Pereira Miklos, 35, saiu do Jardim Santo André, no município andreense, para buscar atendimento na carreta. “As pessoas ficam decepcionadas ao chegar aqui e ver que não vão ser atendidas. Tenho histórico de câncer de mama na família e tenho de fazer acompanhamento. Não dá para contar com a rede municipal, porque demora. Temos esperança com a carreta, mas foi decepção por hoje (ontem).”

ATENDIMENTO
A carreta de exames ficará estacionada na Praça XXII de Novembro, no Centro, até o dia 16 de março. A meta é a de que a ação examine cerca de 600 mulheres em 12 dias de atendimento. O serviço entregará, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, até 50 senhas diárias, e excepcionalmente no sábado, dia 9, das 9h às 13h, 25 senhas, por meio de critério da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

Os exames não serão realizados no período de Carnaval – de 2 a 5 de março. As mulheres interessadas em fazer o procedimento devem levar documento de identidade com foto, cartão do SUS (Sistema Único de Saúde), comprovante de residência e o pedido médico. O Ministério da Saúde também prevê exames de imagem sem necessidade de requisição médica para mulheres acima de 50 anos.

Esta é a segunda vez que a cidade recebe a ação, já que em anos anteriores a Prefeitura negou o serviço. A administração anterior, chefiada por Donisete Braga (PT), afirmou que o programa não seria necessário, pois não havia fila de espera para o exame no município. Já em 2017, o atual chefe do Executivo, Atila Jacomusi (PSB), solicitou a ação estadual. Naquele ano, a carreta da mamografia permaneceu na cidade por 24 dias, entre fevereiro e março, e realizou 1.100 exames.

A Secretaria de Estado da Saúde informou que a carreta do programa Mulheres de Peito poderá ter o prazo de permanência estendido, caso necessário. Não foi informado, entretanto, o destino do serviço posteriormente.

Conforme o Estado, o equipamento de mamografia está em manutenção “devido a um problema técnico e a oferta de exames será retomada tão logo seja restabelecido o funcionamento adequado”. A pasta esclareceu, ainda, que a interrupção é temporária e a finalidade é garantir atendimento com segurança e qualidade à população.

As imagens captadas pelos mamógrafos são encaminhadas para o serviço estadual de diagnóstico por imagem, que emite laudos a distância, na Capital paulista. O resultado sai em até 48 horas após a realização do procedimento.

As unidades móveis contam com equipe multidisciplinar composta por técnicos em radiologia, profissionais de enfermagem, funcionários administrativos e um médico ultrassonografista. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Carreta da mamografia chega, mas não atende

Serviço, estacionado no Centro de Mauá, está com aparelho quebrado; previsão é iniciar amanhã

Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

27/02/2019 | 07:00


A carreta do projeto itinerante Mulheres de Peito, do governo do Estado, – ação que oferece mamografia gratuita à população sem a necessidade de agendamento – chegou ontem a Mauá, no entanto, o aparelho que realiza o exame (mamógrafo) está quebrado. Com isso, a previsão é a de que o início dos atendimentos às moradoras da cidade só ocorra amanhã.

A vendedora Katia Silveira, 41 anos, moradora da Vila Guarani, saiu da Praça XXII de Novembro, no Centro, onde o equipamento está estacionado, frustrada. Depois de se deslocar até a unidade de saúde da Vila Magini para buscar pedido médico para a mamografia, ela foi informada, pelos funcionários da carreta estadual, sobre o problema e que deveria retornar amanhã pela manhã para pegar senha. “Aos 24 anos, tirei um nódulo da mama e, desde então, faço acompanhamento semestral. Desde o ano passado fiquei sem convênio e espero pelo procedimento na rede mauaense há quatro meses. Quando o pessoal do posto de saúde me ligou, informando que o projeto do Estado estaria aqui, fui buscar a guia para resolver esse problema, mas perdi viagem”, lamentou Katia.

Já a locutora Patricia Pereira Miklos, 35, saiu do Jardim Santo André, no município andreense, para buscar atendimento na carreta. “As pessoas ficam decepcionadas ao chegar aqui e ver que não vão ser atendidas. Tenho histórico de câncer de mama na família e tenho de fazer acompanhamento. Não dá para contar com a rede municipal, porque demora. Temos esperança com a carreta, mas foi decepção por hoje (ontem).”

ATENDIMENTO
A carreta de exames ficará estacionada na Praça XXII de Novembro, no Centro, até o dia 16 de março. A meta é a de que a ação examine cerca de 600 mulheres em 12 dias de atendimento. O serviço entregará, de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h, até 50 senhas diárias, e excepcionalmente no sábado, dia 9, das 9h às 13h, 25 senhas, por meio de critério da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

Os exames não serão realizados no período de Carnaval – de 2 a 5 de março. As mulheres interessadas em fazer o procedimento devem levar documento de identidade com foto, cartão do SUS (Sistema Único de Saúde), comprovante de residência e o pedido médico. O Ministério da Saúde também prevê exames de imagem sem necessidade de requisição médica para mulheres acima de 50 anos.

Esta é a segunda vez que a cidade recebe a ação, já que em anos anteriores a Prefeitura negou o serviço. A administração anterior, chefiada por Donisete Braga (PT), afirmou que o programa não seria necessário, pois não havia fila de espera para o exame no município. Já em 2017, o atual chefe do Executivo, Atila Jacomusi (PSB), solicitou a ação estadual. Naquele ano, a carreta da mamografia permaneceu na cidade por 24 dias, entre fevereiro e março, e realizou 1.100 exames.

A Secretaria de Estado da Saúde informou que a carreta do programa Mulheres de Peito poderá ter o prazo de permanência estendido, caso necessário. Não foi informado, entretanto, o destino do serviço posteriormente.

Conforme o Estado, o equipamento de mamografia está em manutenção “devido a um problema técnico e a oferta de exames será retomada tão logo seja restabelecido o funcionamento adequado”. A pasta esclareceu, ainda, que a interrupção é temporária e a finalidade é garantir atendimento com segurança e qualidade à população.

As imagens captadas pelos mamógrafos são encaminhadas para o serviço estadual de diagnóstico por imagem, que emite laudos a distância, na Capital paulista. O resultado sai em até 48 horas após a realização do procedimento.

As unidades móveis contam com equipe multidisciplinar composta por técnicos em radiologia, profissionais de enfermagem, funcionários administrativos e um médico ultrassonografista. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;