Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

S.Bernardo cumpre 42% da meta e prorroga vacinação


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

18/02/2018 | 07:00


O ‘dia D’ da vacinação contra a febre amarela movimentou ontem as 130 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da região, que abriram as portas pela última vez para que os munícipes das sete cidades se imunizassem gratuitamente. A exceção foi São Bernardo, que prorrogou a campanha.

A partir de amanhã, as vacinas continuarão sendo aplicadas nas UBSs são-bernardenses. Desde o início da campanha, em 25 de janeiro, a ação imunizou 297.418 pessoas na cidade, sendo 20.191apenas ontem. O volume representa 42% da meta estipulada pelo Ministério da Saúde, dado que motivou a postergação do fim da ação. Não é preciso ser morador do município para ser vacinado.

São Bernardo registrou o primeiro caso autóctone (contraído no próprio município) do Grande ABC. Já recuperado da doença, o homem de 35 anos é morador do Jardim Palermo e trabalha no Jardim Represa. Ele não havia se vacinado e também não tinha realizado nenhuma viagem nos últimos meses.

“A Prefeitura está muito preocupada com essa doença, por isso estamos ampliando os postos e nos aproximando cada vez mais da casa das pessoas. Estamos oferecendo diversas oportunidades para todos se protegerem”, salientou o prefeito Orlando Morando (PSDB). Ontem, além das 32 UBSs, das nove UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e da vacinação casa a casa, as doses também foram disponibilizadas em supermercados, shoppings e no Poupatempo.

Em Santo André, na US (Unidade de Saúde) Vila Luzita, havia fila para fora do equipamento. “Cheguei faz uns 15 minutos, mas está andando rápido”, avaliou a dona de casa Vera Lúcia dos Reis Gonçalves, 60 anos, que levou os dois netos, de 4 e 10, para tomarem a vacina. “Eu tomei há um mês, após passar no médico e ele dar o aval. Agora, trouxe os netos, porque os pais trabalham a semana toda e não os tinham levado ainda”, contou.

Falta de tempo foi também o motivo que levou o analista de sistema Carlos Fonseca, 32, a se imunizar só agora. “Foi o dia em que consegui uma folga”, disse, ao acrescentar que os casos que têm ocorrido na região não lhe trouxeram preocupação a ponto de correr para se vacinar antes. “São casos isolados, a maioria é de pessoas que contraíram em outras cidades. De qualquer forma, é melhor prevenir”, disse.

A autônoma Ana Cristina Silva, 31, não havia se vacinado anteriormente por receio dos efeitos da aplicação. “Vi notícias de pessoas que morreram depois de tomar a vacina e fiquei com medo, mas depois que pesquisei sobre o assunto, me tranquilizei”, relatou ela, acompanhada dos filhos de 4 e 7, que se vacinariam também.

BALANÇO

Os demais municípios não divulgaram balanço de quantas pessoas haviam sido imunizadas ao longo da campanha.
Em todo o País, entre 1º de julho e 16 de fevereiro, o Brasil confirmou 464 casos de febre amarela e 154 óbitos. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

S.Bernardo cumpre 42% da meta e prorroga vacinação

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

18/02/2018 | 07:00


O ‘dia D’ da vacinação contra a febre amarela movimentou ontem as 130 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da região, que abriram as portas pela última vez para que os munícipes das sete cidades se imunizassem gratuitamente. A exceção foi São Bernardo, que prorrogou a campanha.

A partir de amanhã, as vacinas continuarão sendo aplicadas nas UBSs são-bernardenses. Desde o início da campanha, em 25 de janeiro, a ação imunizou 297.418 pessoas na cidade, sendo 20.191apenas ontem. O volume representa 42% da meta estipulada pelo Ministério da Saúde, dado que motivou a postergação do fim da ação. Não é preciso ser morador do município para ser vacinado.

São Bernardo registrou o primeiro caso autóctone (contraído no próprio município) do Grande ABC. Já recuperado da doença, o homem de 35 anos é morador do Jardim Palermo e trabalha no Jardim Represa. Ele não havia se vacinado e também não tinha realizado nenhuma viagem nos últimos meses.

“A Prefeitura está muito preocupada com essa doença, por isso estamos ampliando os postos e nos aproximando cada vez mais da casa das pessoas. Estamos oferecendo diversas oportunidades para todos se protegerem”, salientou o prefeito Orlando Morando (PSDB). Ontem, além das 32 UBSs, das nove UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e da vacinação casa a casa, as doses também foram disponibilizadas em supermercados, shoppings e no Poupatempo.

Em Santo André, na US (Unidade de Saúde) Vila Luzita, havia fila para fora do equipamento. “Cheguei faz uns 15 minutos, mas está andando rápido”, avaliou a dona de casa Vera Lúcia dos Reis Gonçalves, 60 anos, que levou os dois netos, de 4 e 10, para tomarem a vacina. “Eu tomei há um mês, após passar no médico e ele dar o aval. Agora, trouxe os netos, porque os pais trabalham a semana toda e não os tinham levado ainda”, contou.

Falta de tempo foi também o motivo que levou o analista de sistema Carlos Fonseca, 32, a se imunizar só agora. “Foi o dia em que consegui uma folga”, disse, ao acrescentar que os casos que têm ocorrido na região não lhe trouxeram preocupação a ponto de correr para se vacinar antes. “São casos isolados, a maioria é de pessoas que contraíram em outras cidades. De qualquer forma, é melhor prevenir”, disse.

A autônoma Ana Cristina Silva, 31, não havia se vacinado anteriormente por receio dos efeitos da aplicação. “Vi notícias de pessoas que morreram depois de tomar a vacina e fiquei com medo, mas depois que pesquisei sobre o assunto, me tranquilizei”, relatou ela, acompanhada dos filhos de 4 e 7, que se vacinariam também.

BALANÇO

Os demais municípios não divulgaram balanço de quantas pessoas haviam sido imunizadas ao longo da campanha.
Em todo o País, entre 1º de julho e 16 de fevereiro, o Brasil confirmou 464 casos de febre amarela e 154 óbitos. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;