Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Sem acordo, profissionais de TI ameaçam greve

Tiago Silva/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Tauana Marin
Do Diário do Grande ABC

18/02/2011 | 07:10


Trabalhadores de TI (Tecnologia da Informação) estão prestes a paralisar as atividades, caso a classe patronal não ofereça acordo que atenda às reivindicações da campanha salarial deste ano.

"Se não houver acordo adequado para os trabalhadores, coerente com o faturamento das empresas do setor, nós seremos obrigados a fazer o primeiro apagão da tecnologia do Estado de São Paulo e do Brasil. O sindicato patronal precisa saber que estamos caminhando rumo à paralisação", afirma o presidente do Sindpd (Sindicato dos Trabalhadores de Tecnologia da Informação), Antonio Neto.

Ontem, durante o período da manhã, o sindicato realizou manifestação em frente ao sindicato patronal - com a presença de cerca de 500 trabalhadores - no mesmo momento em que os empresários se reuniam em assembleia para definir posicionamento diante das reivindicações dos trabalhadores e um possível dissídio coletivo.

NA REGIÃO - Uma equipe do sindicato esteve, inclusive, na HP/EDS, situada no bairro Taboão, em São Bernardo, onde distribuiu material informativo sobre a negociação salarial e conversou com trabalhadores da empresa, esclarecendo dúvidas e ouvindo sugestões.

REIVINDICAÇÕES - Com data-base em 1º de janeiro, a categoria aguarda desfecho das negociações, que até o momento estão, praticamente, estagnadas. O Sindpd solicita 11,9% de aumento salarial, PLR (Participação nos Lucros e Resultados), auxílio-refeição de R$ 15 por dia e ampliação de pisos.

Enquanto que o sindicato patronal oferece 6,47% de reajuste, que é apenas a reposição da inflação, e refuta todas as outras exigências.

"Esperamos que as manifestações que estamos realizando colaborem para que os empresários proponham acordo que supra as necessidades dos trabalhadores. O que tudo indica é que teremos novidades na próxima semana. Estamos abertos para dialogar com a classe patronal, a qualquer momento", enfatiza o presidente do Sindpd.

BASE - A decisão atinge cerca de 90 mil profissionais no Estado de São Paulo, nas mais de 7.800 empresas, que concentra quase metade da categoria no Brasil.

O Grande ABC corresponde a 15% do total, aproximadamente, o que representa 13,5 mil trabalhadores. Desse total, cerca de 3.500 funcionários são contratados pela HP/EDS.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sem acordo, profissionais de TI ameaçam greve

Tauana Marin
Do Diário do Grande ABC

18/02/2011 | 07:10


Trabalhadores de TI (Tecnologia da Informação) estão prestes a paralisar as atividades, caso a classe patronal não ofereça acordo que atenda às reivindicações da campanha salarial deste ano.

"Se não houver acordo adequado para os trabalhadores, coerente com o faturamento das empresas do setor, nós seremos obrigados a fazer o primeiro apagão da tecnologia do Estado de São Paulo e do Brasil. O sindicato patronal precisa saber que estamos caminhando rumo à paralisação", afirma o presidente do Sindpd (Sindicato dos Trabalhadores de Tecnologia da Informação), Antonio Neto.

Ontem, durante o período da manhã, o sindicato realizou manifestação em frente ao sindicato patronal - com a presença de cerca de 500 trabalhadores - no mesmo momento em que os empresários se reuniam em assembleia para definir posicionamento diante das reivindicações dos trabalhadores e um possível dissídio coletivo.

NA REGIÃO - Uma equipe do sindicato esteve, inclusive, na HP/EDS, situada no bairro Taboão, em São Bernardo, onde distribuiu material informativo sobre a negociação salarial e conversou com trabalhadores da empresa, esclarecendo dúvidas e ouvindo sugestões.

REIVINDICAÇÕES - Com data-base em 1º de janeiro, a categoria aguarda desfecho das negociações, que até o momento estão, praticamente, estagnadas. O Sindpd solicita 11,9% de aumento salarial, PLR (Participação nos Lucros e Resultados), auxílio-refeição de R$ 15 por dia e ampliação de pisos.

Enquanto que o sindicato patronal oferece 6,47% de reajuste, que é apenas a reposição da inflação, e refuta todas as outras exigências.

"Esperamos que as manifestações que estamos realizando colaborem para que os empresários proponham acordo que supra as necessidades dos trabalhadores. O que tudo indica é que teremos novidades na próxima semana. Estamos abertos para dialogar com a classe patronal, a qualquer momento", enfatiza o presidente do Sindpd.

BASE - A decisão atinge cerca de 90 mil profissionais no Estado de São Paulo, nas mais de 7.800 empresas, que concentra quase metade da categoria no Brasil.

O Grande ABC corresponde a 15% do total, aproximadamente, o que representa 13,5 mil trabalhadores. Desse total, cerca de 3.500 funcionários são contratados pela HP/EDS.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;