Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Decisão do TSE faz vereador adiar saída do PSDB


Leandro Laranjeira
Do Diário do Grande ABC

06/04/2007 | 07:12


Está adiada a saída do vereador de Santo André Marcos Medeiros do PSDB. O oposicionista interrompeu temporariamente as negociações com o PP, iniciadas em fevereiro, para compor a base de sustentação ao Executivo.

Um dos motivos alegados pelo tucano, que durante os dois últimos meses preferiu não tocar no assunto, foi a falta de avanço nas conversações entre PP e governo. “Existiu, sim, uma proposta do Partido Progressista um tanto quanto interessante. Ocorre que esse projeto político sério e interessante que tínhamos em mente dependia de o PP fazer uma aliança com o PT, o que até agora não aconteceu”, explica.

O parlamentar aponta dois principais culpados para justificar a falta de acordo entre as partes: a nova Executiva Estadual do PP e o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Medeiros admite que a troca de comando do partido em São Paulo chegou a atrapalhar o processo – a presidência do diretório saiu das mãos do deputado federal Celso Russomanno para ficar em poder do também deputado federal Paulo Maluf. “Esta situação estava sendo conduzida pelo Russomanno. Evidentemente que agora esse encaminhamento deu uma esfriada.”

A outra situação que, segundo Medeiros, o deixou de “mãos atadas” foi a determinação – no final do mês passado – do TSE de que os mandatos passem a ser propriedade dos partidos e não dos políticos.

“Respeito esse entendimento, mas logicamente estou preocupado com a situação (de poder perder o mandato caso deixe o partido ao qual foi eleito). Por isso, se o assunto já tinha esfriado, agora o congelei. Momentaneamente, não é interessante para mim, mesmo que o projeto político de outro partido seja ótimo, sair do PSDB. Não posso fazer essa transição agora”, declara. “A melhor coisa é suspender as negociações para evitar problemas futuros”, acrescenta.

Medeiros ainda faz questão de empunhar a bandeira branca no PSDB – recentemente, alguns tucanos defenderam a expulsão dele da legenda por conta dessa indecisão.

“Continuo no PSDB, respeitando-o como sempre fiz, mesmo durante todo esse namoro com o PP. Sempre segui a ideologia do meu partido. e continuarei a fazê-lo até o último dia em que eu ficar aqui.”


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Decisão do TSE faz vereador adiar saída do PSDB

Leandro Laranjeira
Do Diário do Grande ABC

06/04/2007 | 07:12


Está adiada a saída do vereador de Santo André Marcos Medeiros do PSDB. O oposicionista interrompeu temporariamente as negociações com o PP, iniciadas em fevereiro, para compor a base de sustentação ao Executivo.

Um dos motivos alegados pelo tucano, que durante os dois últimos meses preferiu não tocar no assunto, foi a falta de avanço nas conversações entre PP e governo. “Existiu, sim, uma proposta do Partido Progressista um tanto quanto interessante. Ocorre que esse projeto político sério e interessante que tínhamos em mente dependia de o PP fazer uma aliança com o PT, o que até agora não aconteceu”, explica.

O parlamentar aponta dois principais culpados para justificar a falta de acordo entre as partes: a nova Executiva Estadual do PP e o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Medeiros admite que a troca de comando do partido em São Paulo chegou a atrapalhar o processo – a presidência do diretório saiu das mãos do deputado federal Celso Russomanno para ficar em poder do também deputado federal Paulo Maluf. “Esta situação estava sendo conduzida pelo Russomanno. Evidentemente que agora esse encaminhamento deu uma esfriada.”

A outra situação que, segundo Medeiros, o deixou de “mãos atadas” foi a determinação – no final do mês passado – do TSE de que os mandatos passem a ser propriedade dos partidos e não dos políticos.

“Respeito esse entendimento, mas logicamente estou preocupado com a situação (de poder perder o mandato caso deixe o partido ao qual foi eleito). Por isso, se o assunto já tinha esfriado, agora o congelei. Momentaneamente, não é interessante para mim, mesmo que o projeto político de outro partido seja ótimo, sair do PSDB. Não posso fazer essa transição agora”, declara. “A melhor coisa é suspender as negociações para evitar problemas futuros”, acrescenta.

Medeiros ainda faz questão de empunhar a bandeira branca no PSDB – recentemente, alguns tucanos defenderam a expulsão dele da legenda por conta dessa indecisão.

“Continuo no PSDB, respeitando-o como sempre fiz, mesmo durante todo esse namoro com o PP. Sempre segui a ideologia do meu partido. e continuarei a fazê-lo até o último dia em que eu ficar aqui.”

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;