Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 2 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Adesão de empresas ao Supersimples começa em maio


Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

06/04/2007 | 07:05


A Receita Federal vai começar em maio a fazer a migração das micro e pequenas empresas que hoje estão no Simples Federal para o novo Simples Nacional (mais conhecido como Supersimples), que integra impostos, taxas e contribuições federais, estaduais e municipais.

Para as companhias que ainda não estavam no sistema simplificado – por exemplo, de setores que só agora foram contemplados pela mudança na legislação, como a construção civil, contabilidade, informática, academias e escolas de inglês –, a adesão será a partir de julho.

O novo regime simplificado, além de unificar o pagamento de tributos, deve gerar uma redução de carga tributária de 20% a 50% no caso das que já eram optantes e de até 80% para as que ainda não eram, de acordo com estimativas do Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Inicialmente o processo adesão começaria em julho, mas o Comitê Gestor do Supersimples decidiu antecipar a entrada das atuais optantes para evitar tumulto, segundo o deputado federal José Pimentel, que preside a Frente Parlamentar Mista das Micro e Pequenas Empresas no Congresso Nacional. Atualmente estão no Simples Federal 1,79 milhão de empresas.

Para que os empresários façam a opção (que pela lei é voluntária), estará disponível no dia 2 de maio na página da Receita Federal na internet um sistema em que os empresários poderão fazer a adesão. "O Comitê Gestor está trabalhando esse sistema", disse Pimentel.

Efetiva – Mas a mudança efetiva, ou seja, a entrada em vigor da nova Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, que definiu o Supersimples, será em 1º de julho. O consultor de Políticas Públicas do Sebrae, André Spinola, afirma que o novo regime de tributação poderá agregar mais 300 mil empresas – dos segmentos não contemplados hoje e que poderão fazer a opção – ao sistema.

Spinola avalia ainda que a nova lei ajudará a incorporar mais 1 milhão de estabelecimentos atualmente na informalidade. Isso devido às vantagens que a Lei Geral oferece, entre elas, a unificação e redução de tributos, a redução de burocracia para a abertura de empresas e o limite preferencial de R$ 80 mil para compras governamentais de pequenos empreendimentos.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Adesão de empresas ao Supersimples começa em maio

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

06/04/2007 | 07:05


A Receita Federal vai começar em maio a fazer a migração das micro e pequenas empresas que hoje estão no Simples Federal para o novo Simples Nacional (mais conhecido como Supersimples), que integra impostos, taxas e contribuições federais, estaduais e municipais.

Para as companhias que ainda não estavam no sistema simplificado – por exemplo, de setores que só agora foram contemplados pela mudança na legislação, como a construção civil, contabilidade, informática, academias e escolas de inglês –, a adesão será a partir de julho.

O novo regime simplificado, além de unificar o pagamento de tributos, deve gerar uma redução de carga tributária de 20% a 50% no caso das que já eram optantes e de até 80% para as que ainda não eram, de acordo com estimativas do Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Inicialmente o processo adesão começaria em julho, mas o Comitê Gestor do Supersimples decidiu antecipar a entrada das atuais optantes para evitar tumulto, segundo o deputado federal José Pimentel, que preside a Frente Parlamentar Mista das Micro e Pequenas Empresas no Congresso Nacional. Atualmente estão no Simples Federal 1,79 milhão de empresas.

Para que os empresários façam a opção (que pela lei é voluntária), estará disponível no dia 2 de maio na página da Receita Federal na internet um sistema em que os empresários poderão fazer a adesão. "O Comitê Gestor está trabalhando esse sistema", disse Pimentel.

Efetiva – Mas a mudança efetiva, ou seja, a entrada em vigor da nova Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, que definiu o Supersimples, será em 1º de julho. O consultor de Políticas Públicas do Sebrae, André Spinola, afirma que o novo regime de tributação poderá agregar mais 300 mil empresas – dos segmentos não contemplados hoje e que poderão fazer a opção – ao sistema.

Spinola avalia ainda que a nova lei ajudará a incorporar mais 1 milhão de estabelecimentos atualmente na informalidade. Isso devido às vantagens que a Lei Geral oferece, entre elas, a unificação e redução de tributos, a redução de burocracia para a abertura de empresas e o limite preferencial de R$ 80 mil para compras governamentais de pequenos empreendimentos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;