Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 4 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Suárez brilha e Barcelona fatura tricampeonato mundial

Divulgação/FC Barcelona Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Suárez marca dois e Messi faz outro em lance
contestável na vitória por 3 a 0 sobre River Plate


Vinícius Ramalho
Especial para o Diário

21/12/2015 | 07:00


Lionel Messi e Neymar voltaram ao time titular do Barcelona, mas quem foi peça fundamental na vitória dos catalães sobre o River Plate por 3 a 0 ma final do Mundial de Clubes foi um jogador que já tinha brilhado na semifinal diante dos chineses do Guangzhou Evergrande. O uruguaio Luis Suárez fez dois gols, acabou eleito o melhor jogador da competição e chegou ao recorde de cinco tentos marcados em duas partidas no torneio que reúne os campeões continentais.

O jogo começou com os argentinos apresentando as famosas valentia e aplicação tática. Durante os primeiros 35 minutos de jogo, era possível dizer que o River era melhor em campo, mas nada que assustasse o goleiro Bravo e os torcedores catalães. Até que Messi abriu o placar em lance polêmico.

Neymar ganhou de cabeça dentro da área e tocou para Messi dominar, mas o camisa 10 ajeitou levemente no braço e mandou no canto de Barovero para inaugurar o marcador no Japão.

No segundo tempo, o River Plate voltou com time mais ofensivo com as entradas de Lucho González e Gonzalo Martínez nos lugares de Rodrigo Mora e Leonardo Ponzio.

Foram precisos somente quatro minutos para a estratégia do técnico Marcelo Gallardo se mostrar falha. Aproveitando os espaços, o Barcelona ampliou após Busquets lançar Suárez, que carregou, finalizou mal, mas contou com colaboração do goleiro argentino para fazer o segundo gol espanhol.

Aos 23 minutos, Suárez fez seu quinto gol em duas partidas, aumentando ainda mais o recorde pessoal. Em jogada do trio MSN, que ainda não tinha atuado junto no Mundial, Messi abriu para Neymar, que centrou na cabeça de Suárez. Na corrida, o uruguaio apareceu dentro da pequena área e desviou, no contrapé do goleiro, fechando o placar em 3 a 0.

O River Plate até tentou o gol de honra, e aos 37 Martinez finalizou colocado de fora da área, mas Bravo espalmou antes de a bola tocar a trave esquerda do chileno.

Os cerca de 20 mil argentinos que atravessaram o mundo deram espetáculo e, como é tradição, apoiaram o time até o apito final, mesmo com placar adverso.

Além de Suárez, outro que atingiu marca histórica ontem foi o lateral Daniel Alves. Presente no tri conquistado no Japão, o brasileiro faturou seu 30º título na carreira, igualando Pelé em número de conquistas – 21 delas foram pelo Barcelona.

Mascherano exalta feito do River e diz que preferia vencer outro rival

Referência no sistema defensivo do Barcelona, o zagueiro Mascherano não escondeu o carinho pelo River Plate, clube que o revelou para o futebol mundial. Ao fim da partida, o argentino fez questão de dizer que preferia não ter que enfrentar o clube de Buenos Aires.

“É difícil se desapegar. Eu tentei me isolar de tudo, sabia que tinha que jogar, é a minha profissão. Eu preferia que o River não fosse o rival. Dei os parabéns para o técnico Marcelo Gallardo por tudo. A derrota não muda em absolutamente nada o feito desses jogadores e do técnico do River”, afirmou.

Mascherano estreou nos profissionais do River Plate em 2003 e ficou no clube até 2005, quando acertou sua transferência para o Corinthians. Ele conquistou o título argentino em 2004.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Suárez brilha e Barcelona fatura tricampeonato mundial

Suárez marca dois e Messi faz outro em lance
contestável na vitória por 3 a 0 sobre River Plate

Vinícius Ramalho
Especial para o Diário

21/12/2015 | 07:00


Lionel Messi e Neymar voltaram ao time titular do Barcelona, mas quem foi peça fundamental na vitória dos catalães sobre o River Plate por 3 a 0 ma final do Mundial de Clubes foi um jogador que já tinha brilhado na semifinal diante dos chineses do Guangzhou Evergrande. O uruguaio Luis Suárez fez dois gols, acabou eleito o melhor jogador da competição e chegou ao recorde de cinco tentos marcados em duas partidas no torneio que reúne os campeões continentais.

O jogo começou com os argentinos apresentando as famosas valentia e aplicação tática. Durante os primeiros 35 minutos de jogo, era possível dizer que o River era melhor em campo, mas nada que assustasse o goleiro Bravo e os torcedores catalães. Até que Messi abriu o placar em lance polêmico.

Neymar ganhou de cabeça dentro da área e tocou para Messi dominar, mas o camisa 10 ajeitou levemente no braço e mandou no canto de Barovero para inaugurar o marcador no Japão.

No segundo tempo, o River Plate voltou com time mais ofensivo com as entradas de Lucho González e Gonzalo Martínez nos lugares de Rodrigo Mora e Leonardo Ponzio.

Foram precisos somente quatro minutos para a estratégia do técnico Marcelo Gallardo se mostrar falha. Aproveitando os espaços, o Barcelona ampliou após Busquets lançar Suárez, que carregou, finalizou mal, mas contou com colaboração do goleiro argentino para fazer o segundo gol espanhol.

Aos 23 minutos, Suárez fez seu quinto gol em duas partidas, aumentando ainda mais o recorde pessoal. Em jogada do trio MSN, que ainda não tinha atuado junto no Mundial, Messi abriu para Neymar, que centrou na cabeça de Suárez. Na corrida, o uruguaio apareceu dentro da pequena área e desviou, no contrapé do goleiro, fechando o placar em 3 a 0.

O River Plate até tentou o gol de honra, e aos 37 Martinez finalizou colocado de fora da área, mas Bravo espalmou antes de a bola tocar a trave esquerda do chileno.

Os cerca de 20 mil argentinos que atravessaram o mundo deram espetáculo e, como é tradição, apoiaram o time até o apito final, mesmo com placar adverso.

Além de Suárez, outro que atingiu marca histórica ontem foi o lateral Daniel Alves. Presente no tri conquistado no Japão, o brasileiro faturou seu 30º título na carreira, igualando Pelé em número de conquistas – 21 delas foram pelo Barcelona.

Mascherano exalta feito do River e diz que preferia vencer outro rival

Referência no sistema defensivo do Barcelona, o zagueiro Mascherano não escondeu o carinho pelo River Plate, clube que o revelou para o futebol mundial. Ao fim da partida, o argentino fez questão de dizer que preferia não ter que enfrentar o clube de Buenos Aires.

“É difícil se desapegar. Eu tentei me isolar de tudo, sabia que tinha que jogar, é a minha profissão. Eu preferia que o River não fosse o rival. Dei os parabéns para o técnico Marcelo Gallardo por tudo. A derrota não muda em absolutamente nada o feito desses jogadores e do técnico do River”, afirmou.

Mascherano estreou nos profissionais do River Plate em 2003 e ficou no clube até 2005, quando acertou sua transferência para o Corinthians. Ele conquistou o título argentino em 2004.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;