Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Para preservar e difundir a História paulista

No Arquivo Público do Estado de São Paulo, o Departamento de Difusão e Preservação...


Ademir Medici

16/08/2014 | 07:00


No Arquivo Público do Estado de São Paulo, o Departamento de Difusão e Preservação, que tem à frente, como diretora, a advogada e cientista social Yara Prado Fernandes Pascotto.

O objetivo principal do departamento é a guarda e a preservação da documentação pública permanente – documentação que vem das secretarias de Estado, de entidades privadas, sejam elas pessoas físicas ou jurídicas. Claro, desde que apresentem um relevante valor histórico e/ou social.

Essa documentação vem sendo recolhida ao longo do tempo. Algumas coleções, que formam o acervo, são adquiridas. “É um trabalho para várias vidas”, costuma brincar a diretora.

A preservação desses documentos converge diretamente para o que determina a Lei de Acesso à Informação. E só se tem acesso àquilo que é preservado e difundido.

OS CENTROS

O Departamento de Difusão e Preservação é composto de vários centros: Preservação, Iconográfico, Cartográfico e Difusão.

O Centro de Preservação é o verdadeiro zelador do Acervo. Cuida diretamente da documentação, muitas vezes recolhida em estado mais frágil. Cabe ao centro recuperar os documentos, num trabalho que exige muita dedicação, amor e paciência.

Os Centros Iconográfico e Cartográfico reúnem fotos, coleções de jornais, mapas da história do Estado de São Paulo.

E o Centro de Difusão é muito voltado às escolas, com visitas guiadas e a preocupação de despertar mais e mais interesse ao jovem.

AS EXPOSIÇÕES

O acervo é formado por documentos muito interessantes. Os livros coloniais são belíssimos, e entre eles muitos gerados nos Núcleos Coloniais de São Bernardo, São Caetano e Ribeirão Pires e que serão objeto de uma exposição em 2015.

No primeiro semestre deste ano foi realizada a exposição Entre Rios, voltada à área cartográfica e que mostrou o crescimento da cidade de São Paulo em função da rede hidrográfica.

Está em cartaz, hoje, devendo se estender ao longo do mês de agosto, uma mostra sobre os 30 anos da luta pelas eleições diretas no País. Vale a pena conferir e percorrer uma Praça da Sé – local das grandes concentrações políticas –, reconstruída no próprio Arquivo.

Em outubro acontecerá a Semana do Arquivo, com grandes eventos e a participação de estudiosos brasileiros e internacionais.

E já no primeiro semestre de 2015 a exposição dos núcleos coloniais, cujos estudos e seleção dos documentos já começaram.

Em todos os trabalhos, a mesma preocupação: aproximar o Arquivo da sociedade.

AS METAS

Há uma busca constante de novos documentos, que se juntarão aos históricos maços de população. Caso da documentação do Centro de Imigrantes, fundamental para as pessoas e famílias que buscam as suas origens. Há uma negociação em andamento com o Instituto Agronômico de Campinas para o recolhimento dos documentos ali gerados.

“Toda documentação passa por uma avaliação técnica e se ela não tiver no seu órgão de origem condições ideais de armazenamento e guarda, ela vem para cá. E aqui ela recebe todo o tratamento técnico”, informa Yara.

Da fala da Dra. Yara:

1 – O que é moderno hoje um dia será antigo. E esse cuidado deve começar hoje.

2 – Arquivo nenhum deve ser considerado como um amontoado de papel velho. Ele representa o lado cidadão.

3 – É a história precisa de regiões como o Grande ABC, Vale do Ribeira, Vale do Paraíba e todas as demais.

4 – A história preservada enche de orgulho a pessoa que tem acesso a ela: descobre de onde veio, identifica suas raízes.

5 – Em síntese: uma história para toda a vida e que não acaba mais.

ACESSO

As crianças já visitam o Arquivo do Estado. A ideia, agora, é criar um dia de visita do pessoal da chamada terceira idade. O Metrô passa ao lado. Basta descer na Estação Tietê. Em cinco minutos, a pé, chega-se ao antigo e renovado espaço da memória de todo o Estado.

Nas ondas do Rádio

Viagem no Tempo, com Marcelo Lopes Duarte – Vinte e quatro horas por dia na internet: www.viagemnotempo.net . Aos sábados e domingos, o melhor do flash-back, com canções populares brasileiras e internacionais; de segunda-feira a sexta-feira, o melhor da música instrumental. E mais: fotografias e ‘notícias no tempo’.

Estadão AM (700) e FM (92,9) – Estadão Acervo – Para lembrar 25 anos sem Raul Seixas, o pai do rock brasileiro; como as rádios deram a notícia do suicídio de Getúlio Vargas, 60 anos atrás; as histórias curiosas do folclore brasileiro; o reconhecimento da Fifa pela Copa Rio conquistada pelo Palmeiras e a continuidade da história do primeiro centenário do antigo Palestra Itália. Apresentação: Geraldo Nunes. Hoje, às 6h e 14h; amanhã, às 7h.

Rádio ABC (1570) – Causas Nobres. Entrevista ao vivo com o advogado Orlando Narvaes de Campos. Tema: Inovações no Direito de Família e participação dos ouvintes pelo telefone. Produção e apresentação: Antonio Dalto. Hoje ao meio-dia.

Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – Memória. Vários programas pilotos das décadas de 1960 e 1970 que foram produzidos para avaliação pela direção artística da Rádio Bandeirantes e que não chegaram a ser produzidos em série porque os projetos não foram aprovados. Tem Luis Vieira, Sérgio Reis, Moraes Sarmento. Também trecho de entrevista do Mazzaropi e bloco com a história do Clube Atlético Ypiranga. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 23h, com reprise amanhã às 5h.

Diário há 30 anos

Quinta-feira, 16 de agosto de 1984 – ano 27, nº 5598

Manchete – Pressionem meus secretários, diz Montoro (Franco, governador de São Paulo), em audiência com prefeitos do Grande ABC que foram reivindicar obras e serviços.

Educação – FEI (Faculdade de Engenharia Industrial) cria curso de transportes para 1985.

Religiosidade – Reinaugurada a gruta de Nossa Senhora de Lourdes, na Vila Vitória, em Santo André.

Futebol – Pelo Campeonato Paulista, ontem, em Sorocaba: São Bento 0, Santo André 0.

Em 16 de agosto de...

1914 – A guerra na Europa. Manchete do Estadão: ultimato da França e Inglaterra à Turquia; vitória russa contra os austríacos; a autonomia da Polônia.

1969 – Associação Atlética Industrial, de Mauá, realiza o baile ‘Uma noite no circo’.

Município Paulista

Hoje é o aniversário de São Bento do Sapucaí, Santa Gertrudes, São Roque, Taquaritinga e Taquarituba.

Santos do dia

- São Roque (na estampa) ou São Rocco, segundo os italianos. Viveu entre 1295 e 1327. Peregrino. Ajudava especialmente os doentes, vítimas da peste. Ele próprio foi atacado pela peste, vindo a falecer abandonado na prisão.

- Estevão da Hungria

- Roque

- Alsácio 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Para preservar e difundir a História paulista

No Arquivo Público do Estado de São Paulo, o Departamento de Difusão e Preservação...

Ademir Medici

16/08/2014 | 07:00


No Arquivo Público do Estado de São Paulo, o Departamento de Difusão e Preservação, que tem à frente, como diretora, a advogada e cientista social Yara Prado Fernandes Pascotto.

O objetivo principal do departamento é a guarda e a preservação da documentação pública permanente – documentação que vem das secretarias de Estado, de entidades privadas, sejam elas pessoas físicas ou jurídicas. Claro, desde que apresentem um relevante valor histórico e/ou social.

Essa documentação vem sendo recolhida ao longo do tempo. Algumas coleções, que formam o acervo, são adquiridas. “É um trabalho para várias vidas”, costuma brincar a diretora.

A preservação desses documentos converge diretamente para o que determina a Lei de Acesso à Informação. E só se tem acesso àquilo que é preservado e difundido.

OS CENTROS

O Departamento de Difusão e Preservação é composto de vários centros: Preservação, Iconográfico, Cartográfico e Difusão.

O Centro de Preservação é o verdadeiro zelador do Acervo. Cuida diretamente da documentação, muitas vezes recolhida em estado mais frágil. Cabe ao centro recuperar os documentos, num trabalho que exige muita dedicação, amor e paciência.

Os Centros Iconográfico e Cartográfico reúnem fotos, coleções de jornais, mapas da história do Estado de São Paulo.

E o Centro de Difusão é muito voltado às escolas, com visitas guiadas e a preocupação de despertar mais e mais interesse ao jovem.

AS EXPOSIÇÕES

O acervo é formado por documentos muito interessantes. Os livros coloniais são belíssimos, e entre eles muitos gerados nos Núcleos Coloniais de São Bernardo, São Caetano e Ribeirão Pires e que serão objeto de uma exposição em 2015.

No primeiro semestre deste ano foi realizada a exposição Entre Rios, voltada à área cartográfica e que mostrou o crescimento da cidade de São Paulo em função da rede hidrográfica.

Está em cartaz, hoje, devendo se estender ao longo do mês de agosto, uma mostra sobre os 30 anos da luta pelas eleições diretas no País. Vale a pena conferir e percorrer uma Praça da Sé – local das grandes concentrações políticas –, reconstruída no próprio Arquivo.

Em outubro acontecerá a Semana do Arquivo, com grandes eventos e a participação de estudiosos brasileiros e internacionais.

E já no primeiro semestre de 2015 a exposição dos núcleos coloniais, cujos estudos e seleção dos documentos já começaram.

Em todos os trabalhos, a mesma preocupação: aproximar o Arquivo da sociedade.

AS METAS

Há uma busca constante de novos documentos, que se juntarão aos históricos maços de população. Caso da documentação do Centro de Imigrantes, fundamental para as pessoas e famílias que buscam as suas origens. Há uma negociação em andamento com o Instituto Agronômico de Campinas para o recolhimento dos documentos ali gerados.

“Toda documentação passa por uma avaliação técnica e se ela não tiver no seu órgão de origem condições ideais de armazenamento e guarda, ela vem para cá. E aqui ela recebe todo o tratamento técnico”, informa Yara.

Da fala da Dra. Yara:

1 – O que é moderno hoje um dia será antigo. E esse cuidado deve começar hoje.

2 – Arquivo nenhum deve ser considerado como um amontoado de papel velho. Ele representa o lado cidadão.

3 – É a história precisa de regiões como o Grande ABC, Vale do Ribeira, Vale do Paraíba e todas as demais.

4 – A história preservada enche de orgulho a pessoa que tem acesso a ela: descobre de onde veio, identifica suas raízes.

5 – Em síntese: uma história para toda a vida e que não acaba mais.

ACESSO

As crianças já visitam o Arquivo do Estado. A ideia, agora, é criar um dia de visita do pessoal da chamada terceira idade. O Metrô passa ao lado. Basta descer na Estação Tietê. Em cinco minutos, a pé, chega-se ao antigo e renovado espaço da memória de todo o Estado.

Nas ondas do Rádio

Viagem no Tempo, com Marcelo Lopes Duarte – Vinte e quatro horas por dia na internet: www.viagemnotempo.net . Aos sábados e domingos, o melhor do flash-back, com canções populares brasileiras e internacionais; de segunda-feira a sexta-feira, o melhor da música instrumental. E mais: fotografias e ‘notícias no tempo’.

Estadão AM (700) e FM (92,9) – Estadão Acervo – Para lembrar 25 anos sem Raul Seixas, o pai do rock brasileiro; como as rádios deram a notícia do suicídio de Getúlio Vargas, 60 anos atrás; as histórias curiosas do folclore brasileiro; o reconhecimento da Fifa pela Copa Rio conquistada pelo Palmeiras e a continuidade da história do primeiro centenário do antigo Palestra Itália. Apresentação: Geraldo Nunes. Hoje, às 6h e 14h; amanhã, às 7h.

Rádio ABC (1570) – Causas Nobres. Entrevista ao vivo com o advogado Orlando Narvaes de Campos. Tema: Inovações no Direito de Família e participação dos ouvintes pelo telefone. Produção e apresentação: Antonio Dalto. Hoje ao meio-dia.

Bandeirantes AM (840) e FM (90,9) – Memória. Vários programas pilotos das décadas de 1960 e 1970 que foram produzidos para avaliação pela direção artística da Rádio Bandeirantes e que não chegaram a ser produzidos em série porque os projetos não foram aprovados. Tem Luis Vieira, Sérgio Reis, Moraes Sarmento. Também trecho de entrevista do Mazzaropi e bloco com a história do Clube Atlético Ypiranga. Produção e apresentação: Milton Parron. Hoje, às 23h, com reprise amanhã às 5h.

Diário há 30 anos

Quinta-feira, 16 de agosto de 1984 – ano 27, nº 5598

Manchete – Pressionem meus secretários, diz Montoro (Franco, governador de São Paulo), em audiência com prefeitos do Grande ABC que foram reivindicar obras e serviços.

Educação – FEI (Faculdade de Engenharia Industrial) cria curso de transportes para 1985.

Religiosidade – Reinaugurada a gruta de Nossa Senhora de Lourdes, na Vila Vitória, em Santo André.

Futebol – Pelo Campeonato Paulista, ontem, em Sorocaba: São Bento 0, Santo André 0.

Em 16 de agosto de...

1914 – A guerra na Europa. Manchete do Estadão: ultimato da França e Inglaterra à Turquia; vitória russa contra os austríacos; a autonomia da Polônia.

1969 – Associação Atlética Industrial, de Mauá, realiza o baile ‘Uma noite no circo’.

Município Paulista

Hoje é o aniversário de São Bento do Sapucaí, Santa Gertrudes, São Roque, Taquaritinga e Taquarituba.

Santos do dia

- São Roque (na estampa) ou São Rocco, segundo os italianos. Viveu entre 1295 e 1327. Peregrino. Ajudava especialmente os doentes, vítimas da peste. Ele próprio foi atacado pela peste, vindo a falecer abandonado na prisão.

- Estevão da Hungria

- Roque

- Alsácio 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;