Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Cientistas desenvolvem exame capaz de detectar 5 tipos de câncer precocemente

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


23/07/2020 | 09:27


Pesquisadores da China e dos Estados Unidos desenvolveram um novo exame de sangue capaz de detectar cinco tipos de câncer de forma precoce. O estudo foi publicado na revista "Nature Communications", do grupo "Nature", um dos mais importantes do mundo, na última terça-feira, 21. Os cientistas alertam que o teste não funciona para prever quem terá ou não câncer. O exame identifica quem já têm algum tipo de tumor, mas continua assintomático para os métodos de detecção atuais.

O teste, chamado "PanSeer", conseguiu detectar os cânceres colorretal, de estômago, esôfago, pulmões e fígado até quatro anos antes que métodos convencionais. Os índices de acertos foram altos: 91% no câncer de esôfago e 100% no fígado. Os exames de rastreamento atuais são a colonoscopia, realizada a partir dos 45 anos, e a tomografia, no caso do fumantes. Para os outros tipos de câncer, a situação mais comum é a descoberta do tumor quando o paciente está em tratamento para outras doenças.

Os testes foram desenvolvidos por pesquisadores da Universidade Fudan, em Xangai, na China, da Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos, e da Singlera Genomics, start-up dirigida pelos próprios cientistas nos dois países. A intenção agora é comercializar os testes.

"O foco imediato é testar pessoas com maior risco, com base no histórico familiar, idade ou outros fatores de risco conhecidos", afirma o primeiro autor do estudo, Kun Zhang, da Universidade da Califórnia em San Diego.

As amostras dos pacientes haviam sido coletadas como parte de um estudo maior, lançado pela Universidade Fudan. A pesquisa reuniu amostras de mais de 120 mil pessoas, coletadas entre 2007 e 2017.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cientistas desenvolvem exame capaz de detectar 5 tipos de câncer precocemente


23/07/2020 | 09:27


Pesquisadores da China e dos Estados Unidos desenvolveram um novo exame de sangue capaz de detectar cinco tipos de câncer de forma precoce. O estudo foi publicado na revista "Nature Communications", do grupo "Nature", um dos mais importantes do mundo, na última terça-feira, 21. Os cientistas alertam que o teste não funciona para prever quem terá ou não câncer. O exame identifica quem já têm algum tipo de tumor, mas continua assintomático para os métodos de detecção atuais.

O teste, chamado "PanSeer", conseguiu detectar os cânceres colorretal, de estômago, esôfago, pulmões e fígado até quatro anos antes que métodos convencionais. Os índices de acertos foram altos: 91% no câncer de esôfago e 100% no fígado. Os exames de rastreamento atuais são a colonoscopia, realizada a partir dos 45 anos, e a tomografia, no caso do fumantes. Para os outros tipos de câncer, a situação mais comum é a descoberta do tumor quando o paciente está em tratamento para outras doenças.

Os testes foram desenvolvidos por pesquisadores da Universidade Fudan, em Xangai, na China, da Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos, e da Singlera Genomics, start-up dirigida pelos próprios cientistas nos dois países. A intenção agora é comercializar os testes.

"O foco imediato é testar pessoas com maior risco, com base no histórico familiar, idade ou outros fatores de risco conhecidos", afirma o primeiro autor do estudo, Kun Zhang, da Universidade da Califórnia em San Diego.

As amostras dos pacientes haviam sido coletadas como parte de um estudo maior, lançado pela Universidade Fudan. A pesquisa reuniu amostras de mais de 120 mil pessoas, coletadas entre 2007 e 2017.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;